Juízes 9 Estudo: Abimeleque

Advertisement

Neste capítulo de Juízes 9 estudo, veremos que Abimele, filho de Gideão ou, ainda, filho de Jerubaal, se levantou em Siquém, de forma a manipular os seus moradores, aduzindo que era melhor que apenas um filho de Gideão os governasse, vez que este tinha setenta filhos.

O povo se inclinou a o seguir. Abimeleque, então, matou os seus irmãos, contudo, Jotão, o mais novo, fugiu. Os siquemitas, assim, proclamaram Abimeleque como rei.

Advertisement

O capítulo narra, então, um apólogo de Jotão, o qual, por meio de uma parábala, aduz que as árvores pediram a uma oliveira, bem como a uma videira e a uma figueira que reinassem sobre elas, contudo, todas se negaram, visto que deixariam de cumprir com suas finalidades, em dar seus bons frutos.

Então, as árvores pediram a um espinheiro para que governasse sobre elas, de modo que este prometeu-lhes refúgio em sua sombra, caso fosse ungido, caso contrário dele sairia fogo que as consumiria.

Advertisement

Após, narra-se que Deus suscitou um espírito de aversão entre os moradores de Siquem e Abimeleque, de modo que eles fizeram emboscadas, nos cimos dos montes, contra ele.

Gaal, filho de Ebede, com seus irmãos, vieram a Siquém e os seus moradores confiaram nele. O governador de Siquém, Zebul, infomou Abimeleque sobre Gaal, oportunidade em que pelejaram e prevaleceram sobre ele, sendo que Gaal fugiu.


Você ler a Bíblia todos os dias mas Não consegue Entender a Mensagem de Deus? Clique Aqui e venha Estudar Teologia Conosco de Maneira Fácil e Descomplicada! 📖


Abimeleque, ainda, matou e queimou os moradores da cidade e a tomou. Saindo para Tebes, pelejou e a tomou, contudo, os moradores se esconderam em uma torre, que se localizava no meio da cidade e, enquanto o rei intentava incendiá-la, uma certa mulher lançou uma pedra sobre ele, de forma que lhe quebrou o crânio. Ao vê-lo morto, a mulher pediu a seu escudeiro que a matasse, o qual assim o fez.

Juízes 9 estudo: Contexto histórico

A tribo de Efraim contendeu com Gideão, por não terem participado da peleja, contudo este os acalmou.

Ao saírem a perseguir Zeba e Salmuna, Gideão pediu auxílio aos moradores de Sucote, contudo, estes não o ajudaram e desdenharam de sua busca pelos reis midianitas. De igual forma ocorreu em Penuel. Após capturar tais reis, Gideão se vingou das duas cidades.

Advertisement

Por fim, ao negar se tornar rei, Gideão produziu uma estola sacerdotal, a qual se tornara por cilada ao povo, que passou a se prostituir após ela. Após sua morte, os israelitas voltaram a fazer o que era mau.

(Juízes 9:1-6) Abimeleque

v. 1 E Abimeleque, o filho de Jerubaal, foi a Siquém, até os irmãos da sua mãe e conversou com eles, e com toda a família da casa do pai da sua mãe, dizendo: 

v. 2 Falai, rogo-vos, aos ouvidos de todos os homens de Siquém: O que é melhor para vós: que todos os filhos de Jerubaal, que são setenta pessoas, reinem sobre vós, ou que reine um sobre vós? Lembrai também que eu sou vosso osso e vossa carne.


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)


v. 3 E os irmãos da sua mãe falaram todas estas suas palavras aos ouvidos de todos os homens de Siquém; e o coração deles se inclinou a seguir Abimeleque; pois disseram: Ele é nosso irmão. 

v. 4 E eles lhe deram setenta peças de prata da casa de Baal-Berite, com as quais Abimeleque contratou pessoas vãs e levianas, que o seguiram. 

v. 5 E ele foi até a casa do seu pai em Ofra, e matou os seus irmãos, os filhos de Jerubaal, sendo setenta pessoas, sobre uma pedra; porém Jotão, o filho mais moço de Jerubaal, foi deixado, pois ele se escondeu. 

Advertisement

v. 6 E todos os homens de Siquém se reuniram, e toda a casa de Milo, e foram e fizeram de Abimeleque rei, junto à planície da coluna que estava em Siquém. 

O relato de Abimeleque é um desvio do principal enredo da história do livro de Juízes, mostrando a completa mecanização da terra neste período.

Gideão, formalmente, se recusou a reinar, porém Abimeleque (cujo nome significa “meu pai érei”) não tinha tais escrúpulos.


⚠️ E-book Grátis para Pregadores ⚠️:


Ele foi até a família de sua mãe em Siquém, no centro de Israel e buscou o apoio dos homens de Siquém para um golpje que o colocaria no trono.

O princípio da sucessão dinástica negado por Gideão em Jz 8:23 é subentendido na fala de Abimeleque. Das duas uma: ou Abimeleque governaria ou os outros setenta filhos de Gideão.

Advertisement

O valor de ter um parente no poder foi logo percebido pelos cidadãos de Siquém. Eles te deram setenta peças de prata, uma para cada filho de Gideão, com as quais Abimeleque contratou mercenários para eliminar seus rivais.

Israel estava tão completamente corrompido que o dinheiro veio de um templo pagão e os mercenários eram pessoas vãs e levianas. Toda a casa de Milo deve ser outra maneira de se referir aos cidadãos de Siquém.

É possível que o lugar da coroação tenha sido o mesmo junto à planície da coluna proeminente em que anos atras, Josué havia erigido uma coluna como testemunho da renovação do pacto do povo com Deus (Js 24:25-27).

(Juízes 9:7-15) Jotão

v. 7 E quando contaram a Jotão, ele foi e se pôs de pé no cume do monte Gerizim, e ergueu a sua voz, e gritou, e lhes disse: Atentai-me, vós homens de Siquém, para que Deus possa atentar a vós. 

Advertisement

v. 8 As árvores foram, certa vez, ungir um rei sobre elas; e disseram à oliveira: Reina tu sobre nós. 

v. 9 Porém, a oliveira disse a elas: Deveria eu deixar a minha gordura, com a qual, por mim, honra a Deus e aos homens, para ser promovida acima das árvores? 
v. 10 E as árvores disseram à figueira: Vem tu e reina sobre nós. 

v. 11 Porém, a figueira disse a elas: Deveria eu abandonar a minha doçura, e o meu bom fruto, para ser promovida acima das árvores? 
v. 12 Então, disseram as árvores à videira: Vem tu e reina sobre nós. 


Domine a Arte de Elaborar e Pregar Sermões Expositivos, Temáticos e Textuais, para Ensinar com Profundidade, Clareza e Fidelidade as Escrituras!
(Clique Aqui e Confira
)


v. 13 E a videira lhes disse: Deveria eu deixar o meu vinho, que alegra Deus e os homens, para ser promovida acima das árvores? 
v. 14 Então, disseram todas as árvores ao espinheiro: Vem tu e reina sobre nós. 

v. 15 E o espinheiro disse às árvores: Se, verdadeiramente, ungires-me rei sobre vós, então, vinde e ponde a vossa confiança na minha sombra; e se não, que o fogo saia da silveira e devore os cedros do Líbano.

Jotão, o único filho de Gideão que escapou da chacina, foi até o topo do monte Gerizim, que dava vista para Siquém. Além de ser um lugar seguro, este local tinha uma história.

Advertisement

O monte Gerazim e o monte Ebal eram os locais em que o povo de Israel proferia as bênçãos e maldições do pacto, respectivamente, quando entraram na terra pela primeira vez (Dt 27:12-13).

Nesta ocasião, o monte Gerazim seria lugar de maldição (Jz 9:57), e não de bênção. Já no monte, Jotão contou uma fábula, uma história envolvendo plantas ou animais que ensina uma lição moral.

Na fábula de Jotão, as diversas árvores tentavam encontrar um rei. As três primeiras árvores estavam relutantes em deixar suas atividades proveitosas para exercer um cargo tão inútil.

O quarto e último candidato, o espinheiro, não servia para nada além de ser um eterno incômodo para os fazendeiros. Contudo, esta planta aceitou a oferta de ser rei.

Ele convidou as outras árvores a virem abrigar-se à minha sombra, apesar do espinheiro ter baixa ramagem e não oferecer uma boa sombra.

Caso não se submetessem a ele, ele ameaçou que um juízo fulminante sairia dele e consumiria os cedros do Líbano, as árvores mais exaltadas de todas.

Advertisement

(Juízes 9:16-21) A maldição de Jotão

v. 16 Agora, portanto, se agistes verdadeira e sinceramente ao constituírem Abimeleque rei, e se tratastes bem a Jerubaal e à sua casa, e lhe fizestes segundo o merecimento das suas mãos; 

v. 17 (pois o meu pai lutou por vós, e longe arriscou a sua vida, e vos livrou da mão de Midiã; 

v. 18 e vós vos levantastes contra a casa do meu pai neste dia, e assassinastes os seus filhos, setenta pessoas, sobre uma pedra, e fizestes de Abimeleque, o filho da sua serva, rei sobre os homens de Siquém, porque ele é vosso irmão).

v. 19 Se vós, então, tratastes verdadeira e sinceramente para com Jerubaal e a sua casa neste dia, então regozijai-vos em Abimeleque, e deixai-o também regozijar-se em vós; 

Advertisement

v. 20 mas se não, que o fogo saia de Abimeleque e devore os homens de Siquém, e a casa de Milo; e que o fogo saia dos homens de Siquém, e da casa de Milo, e devore Abimeleque. 

v. 21 E Jotão correu para longe, e fugiu, e foi até Beer, e lá habitou, por temer Abimeleque, seu irmão. 

O próprio Jotão deu a interpretação da fábula. Primeiro ele perguntou, com ironia se eles tinham sido justos e agido com sinceridade (v. 16-19). Em seguida, Jotão invocou uma maldição: o povo receberia o que merecia.

Ele também foi além da fábula e tornou a maldição recíproca: que o fogo saia… e devore Abimeleque. Então Jotão fugiu e se escondeu em um lugar chamado Beer (“poco”).

Advertisement

(Juízes 9:22-25) Um espírito de aversão

v. 22 Quando Abimeleque havia reinado três anos sobre Israel, 
v. 23 Deus, então, enviou um espírito maligno entre Abimeleque e os homens de Siquém; e os homens de Siquém trataram Abimeleque traiçoeiramente; 

v. 24 para que a crueldade feita aos setenta filhos de Jerubaal pudesse vir, e o seu sangue fosse colocado sobre o irmão deles, Abimeleque, que os matou, e sobre os homens de Siquém, que o ajudaram na matança dos seus irmãos. 

v. 25 E os homens de Siquém colocaram à sua espera, no cume dos montes, homens deitados; e eles roubavam todos os que passavam por eles naquele caminho; e isto foi dito a Abimeleque. 

O reinado de Abimeleque durou apenas três anos. A tradução espírito maligno não quer dizer, necessariamente, que houve atividade demoníaca, já que a palavra hebraica raah pode simplesmente significar “mau”.

O foco está no fato de que Deus trocou a harmonia existente entre Abimeleque e os cidadãos de Siquém por um espírito de desconfiança e discordância.

Advertisement

Consequentemente, os cidadãos de Siquém traíram a confiança de Abimeleque ao espreitar aqueles que passavam pelas estradas.

(Juízes 9:26-29) Gaal

v. 26 E Gaal, o filho de Ebede, veio com os seus irmãos, e atravessou para Siquém; e os homens de Siquém depositaram nele a sua confiança. 

v. 27 E eles saíram para os campos, e colheram dos seus vinhedos, e pisotearam as uvas, e se alegraram, e entraram na casa do seu deus, e comeram e beberam, e amaldiçoaram Abimeleque. 

v. 28 E Gaal, o filho de Ebede, disse: Quem é Abimeleque, e quem é Siquém, para que nós o sirvamos? Não é ele o filho de Jerubaal? E Zebul o seu oficial? Servi aos homens de Hamor, o pai de Siquém; afinal, porque nós deveríamos servi-lo? 

v. 29 E, quisera Deus, este povo estivesse debaixo da minha mão! Eu, então, removeria Abimeleque. E ele disse a Abimeleque: Aumenta o teu exército, e sai. 

 Gaal deve ter sido um habitante de Siquém que foi ao exílio para escapar de Abimeleque. Seu retorno foi bem recebido pelos cidadãos de Siquém, os quais colheram dos seus vinhedos para dar uma festa a Gaal.

A colheita das uvas geralmente era época de celebração desenfreada e de bebedice. Nesta ocasião, depois de comer e beber um pouco mais do que deviam, os participantes amaldiçoaram.

Abimeleque-ato que poderia levar à pena de morte (1Rs 21:13). Em um discurso cuja sinceridade parecia motivada pelo álcool, Gaal disse que, se fosse rei, poderia administrar Siquém melhor do que Abimeleque.

(Juízes 9:30-41) Zebul

 Zebul, governador de Abimeleque em Siquém, desafiou Gaal a cumprir o que disse. Ele informou Abimeleque de sua insubordinação e forçou Gaal a liderar os homens de Siquém contra o exército de Abimeleque.

(Juízes 9:42-49) A vingança de Abimeleque

Abimeleque se vingou excessivamente de Siquém. Ele massacrou os habitantes da cidade e demoliu seus edifícios. Ele também espalhou sal sobre a cidade.

Como o sal é um conservante, este ato simbolizou a natureza eterna e imutável desta destruição. Aqueles que escaparam fugiram para a casa do deus Berite (Baal-Berite, deus de Siquém).

Em vez de desperdiçar vidas atacando essa fortaleza, Abimeleque amontoou madeira ao redor dela e queimou vivos os que estavam ali.

Conveniente, Abimeleque destruiu a fonte dos recursos, o templo de Baal-Berite, junto com aqueles que financiaram o golpe inicial.

A destruição dos cidadãos de Siquém pelo fogo foi perfeitamente de encontro à figura da fábula de Jotão.

(Juízes 9:50-57) Tebes

Encorajado por seu sucesso em Siquém, Abimeleque tentou repetir a facanha em Tebes, uma cidade não muito distante de Siquém.

Porém, em vez disso, ele foi morto quando uma mulher atirou um pedaço de mó (pedra de moinho) em sua cabeça.

Assim como Sisera, Abimeleque encontrou seu fim nas mãos de uma mulher, apesar de seu escudeiro ter dado o golpe final.

Desta maneira, o fogo de Abimeleque consumiu ele mesmo e o Senhor cumpriu a maldição de Jotão.

Conclusão

Neste capítulo, vemos a ascensão de um rei impostor e tirano, o qual, astutamente, usando de subversão, manipula o povo, com um belo discurso, de forma que o coroam rei.

Na realidade, o capítulo anterior já havia narrado que os filhos de Israel, após a morte de Gideão, haviam se esquecido do Senhor.

Vimos, ainda, anteriormente, que eles desejavam que Gideão lhes governasse, contudo, ele se negou.

O presente capítulo expos que, após a proclamação de Abimeleque como rei, Jotão fala aqueles moradores, do alto do monte Gerizim.

Neste monte, Deus havia renovado, na época de Josué, a Sua aliança com os israelitas. Jotão, ali, profetiza contra o governo de Abimeleque e, por meio de uma parábola, aduz que árvores convidaram uma oliveira, uma figueira e uma videira para lhes governar.

Estas três árvores, valiosas, se recusaram. Após, elas convidam um espinheiro, sendo que tal menção fazia referência a Abimeleque.

Este aceitou o convite, sob a promessa de promover sombra, o que era impossível ser concedido por se tratar de um mero arbusto que, para os agricultores, servia, apenas, para ser queimado.

Este arbusto, por fim, traria fogo e não sombra, aos siquemitas, conforme profecia.

Abimeleque havia sido o juízo de Deus sobre aqueles moradores. Eles acabaram entregues ao resultado de seu desvio. Seus desejos foram contra eles.

Por fim, vemos que, uma mulher desconhecida, numa atitude de defesa, utilizou-se do que tinha em mãos para salvar todos os moradores de sua cidade.

Ao lançar uma pedra de moinho, esmagou o crânio de Abimeleque, o qual intentava queimá-los, assim como fizera aos siquemitas.

Mais uma vez, vemos o Senhor utilizando pessoas improváveis para trazer livramento a uma coletividade.

Juízes 9 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *