1 Samuel 17 Estudo: A Batalha é do Senhor

Advertisement

Em 1 Samuel 17, veremos que os filisteus saíram a guerrear contra Israel, de modo que se acamparam entre Socó e Azeca, enquanto os israelitas se acamparam no vale de Ela. Então, saiu do arraial dos filisteus um homem chamado Golias, o qual media seis côvados e um palmo de altura.

Esse gigante, guerreiro, bradava aos israelitas, os afrontando e pedindo que enviassem alguém para lutar contra ele, de modo que, o povo do exército perdedor, serviria o povo vencedor. As escrituras relatam que por quarenta dias Golias apresentava-se, de manhã e de tarde, porém, os israelitas fugiam dele.

Advertisement

É narrado, ainda, que Jessé manda que Davi levasse alimento aos irmãos, no campo de batalha, rogando que ele descobrisse como estavam os irmãos.

Quando assim o faz, Davi ouve a afronta de Golias ao povo e pergunta do que se tratava aquela situação. Seu irmão, Eliabe, o repreende, porém ele insiste na pergunta e os homens, que lá estavam, o respondem.



Davi, então, questionava quem seria aquele filisteu para afrontar os exércitos do Deus de Israel. Após, é relatado que os israelitas fazem Saul saber que Davi estaria disposto a lutar.

Saul, ao chama-lo, duvida de sua capacidade por ser muito moço. Davi, porém, aduz que já havia matado um leão e um urso, defendendo suas ovelhas e, do mesmo modo que o Senhor o havia guardado antes, o guardaria agora.

Saul, então, coloca sua armadura em Davi, porém este a rejeita por nunca a ter usado, após a experimentar e dar alguns passos. Ele, então, tomou uma funda e cinco pedras e saiu de encontro a Golias.

Ao chegar, Golias o despreza por ser novo e o afronta, contudo Davi aduz que iria contra ele em nome do Senhor dos Exércitos de Israel.

Após, as escrituras relatam que, tomando de sua funda, Davi encrava uma pedra na testa do gigante, o qual cai. Nesta oportunidade, ele toma a espada dos filisteus e lhe corta a cabeça.

Os filisteus fogem, porém os israelitas os perseguem e os ferem, pelo caminho. Por fim, Saul procura saber quem seria o pai de Davi.

Contexto histórico

Anteriormente, vimos que Deus manda Saul ungir um dos filhos de Jessé, vez que Ele havia escolhido um de seus filhos para rei.

Então, após ser apresentado a todos os filhos de Jessé e verificar que nenhum deles era o escolhido, Samuel pergunta a Jessé se não havia mais nenhum filho, de modo que Jessé aduz que o filho mais moço estaria no campo apascentando ovelhas.


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)


Samuel manda que o menino fosse trazido. Deus confirma que seu escolhido se tratava de Davi. Samuel, então, o unge e o Espírito do Senhor se apossa dele.

As escrituras, por fim, relatam que Saul, após indicação dos seus servos, manda chamar Davi para tocar sua harpa e, assim, aliviá-lo do espírito maligno que o perturbava. Ao conhecer a Davi, Saul o ama. Acompanhe a seguir o estudo de todos os versículos de 1 Samuel 17.

(1 Samuel 17:1-2) Os filisteus se reúnem para batalha

v. 1 Ora, os filisteus reuniram os seus exércitos para a batalha, e estavam reunidos em Socó, que pertence a Judá, e acamparam entre Socó e Azeca, em Efes-Damim. 

v. 2 E Saul e os homens de Israel estavam reunidos, e acamparam junto ao vale de Elá, e ordenaram a batalha contra os filisteus. 

 A região central de Benjamim e Judá podia ser alcançada desde a costa através de seis vales. Os filisteus já tinham subido pelo vale de Aijalom. Durante os dias de Sansão (Jz 13-16), eles tinham subido pelo vale de Soreque.

Agora eles subiam pelo vale de Elá e já controlavam Socó e Azeca. Se eles subissem ainda mais pelo vale, eles avançariam pela via da aresta até a região montanhosa e ameacariam Belém, Hebrom e Gibeá, a capital de Saul. A situação era desesperada para Saul e seu exército.

(1 Samuel 17:3) Filisteus e israelitas

v. 3 E os filisteus estavam de pé sobre um monte em um lado, e Israel estava de pé em um monte no outro lado; e entre eles havia um vale.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


A palavra traduzida como “vale” no versículo 2 designa um vale amplo e plano. A palavra aqui traduzida como vale denota um vale ou wadi mais estreito e mais claramente definido. Hoje,o vale se comprime um pouco a leste de Socó, talvez assinalando o local do antigo conflito.

(1 Samuel 17:4) Golias

v. 4 E ali saiu do acampamento dos filisteus um campeão, chamado Golias, de Gate, cuja altura era seis côvados e um palmo. 

Descobertas arqueológicas recentes em Tel es-Safi, o local da antiga Gate, confirmam que o nome Golias era usado entre os filisteus por volta desse período.

Outros dois manuscritos antigos afirmam que Golias tinha “dois metros de altura”. No entanto, a descrição do equipamento de combate de Golias parece apoiar a medida maior de dois metros e noventa centímetros de altura.

Com qualquer uma dessas alturas, Golias parecia um gigante em comparação com os israelitas bem mais baixos.

(1 Samuel 17:5-7) O aparelhamento de Golias

v. 5 E ele tinha um capacete de bronze sobre a sua cabeça, e estava armado com uma capa encouraçada; e o peso da capa era de cinco mil shekels de bronze. 

v. 6 E ele tinha caneleiras de bronze sobre as suas pernas, e um dardo de bronze entre os seus ombros.

v. 7 E a haste da sua lança era como um eixo de tecelão; e a ponta da sua lança pesava seiscentos shekels de ferro; e um que portava um escudo ia diante dele. 

 O mero espetáculo da couraça e das armas de Golias já assustava o exército israelita. Ao mesmo tempo, o peso desse equipamento devia restringir a agilidade de Golias.

Pode ser que ele presumisse que não teria um combate prolongado com qualquer que fosse o adversário.

(1 Samuel 17:8-9) A afronta de Golias

v. 8 E ele se pôs de pé e gritou aos exércitos de Israel, e disse-lhes: Por que saístes para ordenar a vossa batalha? Não sou eu um filisteu, e vós servos de Saul? Escolhei um homem para vós, e deixai-o descer até mim. 

v. 9 Se ele for capaz de lutar comigo, e me matar, então seremos vossos servos; mas se eu prevalecer contra ele, e o matar, então vós sereis nossos servos, e nos servireis.

Golias desafiou e insultou os israelitas. Com suas palavras Escolhei um homem, Golias sugeriu um combate representativo – o exército do combatente derrotado se tornaria escravo do exército do combatente vitorioso. 

(1 Samuel 17:10) Golias desafia os israelitas

v. 10 E o filisteu disse: Eu desafio os exércitos de Israel neste dia; dai-me um homem para que possamos lutar.

A palavra hebraica traduzida como desafio aparece pela primeira vez na boca de Golias, mas ela ocorre outras quatro vezes no relato, com as últimas três enfatizando o insulto de Golias à honra de Deus.

(1 Samuel 17:11) Israel teme

v. 11 Quando Saul e todos de Israel ouviram aquelas palavras do filisteu, eles ficaram desalentados, e grandemente temerosos. 

Os israelitas precisavam que seu líder articular um plano de resposta, mas Saul não tinha nenhum.

(1 Samuel 17:12) Davi

v. 12 Ora, Davi era o filho daquele efrateu de Belém de Judá, cujo nome era Jessé; e ele tinha oito filhos; e o homem seguia entre os homens como um velho nos dias de Saul.

 O nome feminino Efrate ocorre nas listas genealógicas de Judá, e seu filho Hur é chamado pai de Belém [1Cr 2:19].

1 Crônicas 2:13 fala de sete em vez de oito filhos, mas talvez um tenha morrido com pouca idade e assim não foi relacionado pelo cronista.

(1 Samuel 17:13) Eliabe

v. 13 E os três filhos mais velhos de Jessé foram e seguiram Saul para a batalha; e os nomes dos seus três filhos que foram para a batalha eram Eliabe, o primogênito, e depois dele, Abinadabe, e o terceiro, Samá. 

 Eliabe… Abinadabe e Samá eram os três filhos de Jessé, além de Davi, mencionados por nome no relato da unção de Davi por Samuel.

Se os filisteus avançassem pelo vale de Elá, Belém logo seria atacada; portanto, esses homens estavam defendendo a própria pátria.

(1 Samuel 17:14) O jovem Davi

v. 14 E Davi era o mais jovem; e os três mais velhos seguiram Saul.

A segunda menção no texto do fato de que Davi era o mais jovem (1Sm 16:11) salienta que a escolha de Deus muitas vezes sobrepuja a lógica humana.

(1 Samuel 17:15) O pastor Davi

v. 15 Davi, porém, foi e retornou de Saul para alimentar as ovelhas do seu pai em Belém. 

A função primária de Davi era alimentar as ovelhas do seu pai, em Belém, cerca de 24 quilômetros a leste do local da batalha, mas ele foi e retornou para levar comida a seus irmãos e dar notícias a seu pai sobre a batalha.

(1 Samuel 17:16) A duração do impasse

v. 16 E o filisteu se aproximava pela manhã e ao anoitecer, e se apresentou durante quarenta dias.

Um impasse tão longo de quarenta dias causaria problemas se ocorresse em uma época em que os combatentes precisassem estar trabalhando em sua terra.

(1 Samuel 17:17) Jessé

v. 17 E Jessé disse a Davi, o seu filho: Toma agora para os teus irmãos um efa deste cereal tostado e estes dez pães, e corre até o campo aos teus irmãos; 

As famílias dos soldados normalmente proviam o sustento deles nos campos de batalha.

(1 Samuel 17:18) A ordem de Jessé

v. 18 e carrega estes dez queijos até o capitão de mil, e observa como vão os teus irmãos, e toma deles garantia. 

Capitão de mil é literalmente “comandante dos mil”. Garantia provavelmente se refere a um relatório dos irmãos de Davi.

(1 Samuel 17:19) A primeira viagem de Davi

v. 19 Ora, Saul e eles, e todos os homens de Israel, estavam no vale de Elá, lutando contra os filisteus. 

 As palavras de Jessé a Davi sugerem que esta era a primeira viagem de Davi para procurar seus irmãos (improvável em vista do v. 15) ou que Davi estivesse guardando as ovelhas fora de Belém e havia acabado de voltar quando Jessé o enviou ao acampamento de Saul.

(1 Samuel 17:20) Davi parte

v. 20 E Davi se levantou cedo pela manhã, e deixou as ovelhas com um guardador, e pegou, e foi, como Jessé lhe havia ordenado; e ele veio até a trincheira, quando o exército estava avançando para a luta, e gritava para a batalha. 

 Davi deve ter partido cedo pela manhã para ter percorrido os 24 quilômetros em tempo de ver o exército… avançando.

(1 Samuel 17:21) A batalha fora ordenada

v. 21 Pois Israel e os filisteus haviam ordenado a batalha, exército contra exército. 

Parecia provável ser outro dia de impasse com o gigante Golias prestes a aparecer.

(1 Samuel 17:23) O campeão

v. 23 E enquanto ele falava com eles, eis que surgiu ali o campeão, o filisteu de Gate, de nome Golias, dos exércitos dos filisteus, e falou segundo as mesmas palavras; e Davi as ouviu.

Eis que surgiu  “vinha subindo”. A expressão pode sugerir que Golias se aproximou um pouco mais do que antes, chegando de fato até a metade do vale (v. 3). Davi… ouviu os insultos de Golias – um sutil ponto decisivo no relato.

(1 Samuel 17:25) A recompensa

v. 25 E os homens de Israel disseram: Vistes este homem que surgiu? Certamente ele subiu para desafiar Israel; e será que, o homem que o matar, o rei o enriquecerá com grandes riquezas, e lhe dará a sua filha, e fará livre a casa do seu pai em Israel.

 O combatente vitorioso se tornaria genro de Saul [1Sm 18:18] e gozaria de privilégios como parte da família real.

(1 Samuel 17:26) Davi demonstra coragem

v. 26 E Davi falou aos homens que estavam junto a ele, dizendo: O que será feito ao homem que matar este filisteu, e remover a vergonha de Israel? Pois, quem é este filisteu incircunciso, para que grite desafio aos exércitos do Deus vivo?

As palavras de Davi indicam que ele não tinha ouvido o anúncio do assistente de Saul (v. 25). A palavra vergonha possui mesma raiz que desafio. Incircunciso denota alguém de fora do pacto de Deus.

Davi percebeu a ameaça como não meramente politica (cp. v. 8) mas teológica. Os exércitos do Deus vivo, ironicamente, estavam apavorados, mas para Davi, a honra de Deus estava em jogo.

(1 Samuel 17:28) Eliabe repreende Davi

v. 28 E Eliabe, seu irmão mais velho, ouviu quando ele falou aos homens; e a ira de Eliabe acendeu-se contra Davi, e ele disse: Por que desceste para cá? E com quem deixaste aquelas poucas ovelhas no deserto? Eu conheço o teu orgulho, e a inconveniência do teu coração; pois desceste para que pudesses ver a batalha. 

Eliabe, juntamente com seus irmãos Abinadabe e Sama, serviam no exército de Saul. (v. 13-14). Eliabe interpretou mal as intenções de seu irmão Davi e ficou muito irritado – confirmando assim para o leitor sua rejeição por Deus como um possível sucessor de Saul (1Sm 16:6-7).

(1 Samuel 17:31) Os israelitas falam de Davi a Saul

v. 31 E quando as palavras que Davi falou foram ouvidas, eles as relataram diante de Saul; e ele mandou buscá-lo. 

O rei Saul aparentemente ouviu a pergunta de Davi e seu interesse na recompensa por enfrentar Golias e convocou o jovem.

(1 Samuel 17:32) Davi se dispõe

v. 32 E Davi disse a Saul: Que não falhe o coração de nenhum homem por causa dele; o teu servo irá e lutará contra este filisteu. 

As palavras de Davi teu servo constituem um modo educado de se referir a si mesmo perante um superior (v, 34).

(1 Samuel 17:33) Saul subestima Davi

v. 33 E Saul disse a Davi: Tu não estás apto para ir contra este filisteu e contra ele lutar; pois não passas de um jovem, e ele um homem de guerra desde a sua mocidade. 

Saul rejeitou a ousada oferta de Davi por ser este apenas um jovem, sendo que Golias vinha treinando como guerreiro desde a mocidade.

(1 Samuel 17:34) Davi testifica

v. 34 E Davi disse a Saul: O teu servo cuidava das ovelhas do seu pai, quando apareceu um leão, e um urso, e tomou um cordeiro do rebanho;

Animais selvagens como um leão ou um urso eram sempre uma ameaça para um cordeiro do rebanho, e a habilidade do pastor para lutar era a única defesa da ovelha.

(1 Samuel 17:36) A história de Davi

v. 36 O teu servo matou tanto o leão, como o urso; e este filisteu incircunciso será como um deles, pois está desafiando os exércitos do Deus vivo. 

O leão,como o urso, provavelmente reproduz melhor o sentido da tradução. É provável que Davi estivesse descrevendo seus vários encontros com animais selvagens e não identificando dois incidentes específicos.

Este filisteu incircunciso sofreria o mesmo destino que estes animais por desafiar o Senhor (ver nota no v. 26).

(1 Samuel 17:37) A continuação da história de Davi

v. 37 Além disso, disse Davi: O SENHOR que me livrou da pata do leão, e da pata do urso, livrar-me-á da mão deste filisteu. E Saul disse a Davi: Vai, e o SENHOR seja contigo. 

A palavra livrou é a mesma palavra que apareceu no versículo 35; Davi livrava as ovelhas, e Deus o livrava. Agora, Deus livraria Israel, o Seu rebanho.

Encorajado pela fé de Davi, Saul encontrou coragem para invocar o nome de Deus na bênção: e o SENHOR seja contigo.

(1 Samuel 17:38-39) A armadura de Saul

v. 38 E Saul armou Davi com a sua armadura, e colocou um capacete de bronze sobre a sua cabeça; também o armou com uma capa encouraçada. 

v. 39 E Davi cingiu a sua espada sobre a sua armadura, e experimentou ir; pois ele não a tinha provado. E Davi disse a Saul: Não posso ir com estas coisas; pois não as provei. E Davi as tirou de si. 

Saul trouxe sua armadura para Davi vestir, um fato que sugere que, embora ele fosse o mais jovem. Davi pode não ter sido menor que o rei.

Davi experimentou o capacete de bronze e uma outra armadura, mas ele não estava acostumado com isso, e assim as tirou de si. Ironicamente, não seria a última vez que Davi usaria as vestes de um rei.

(1 Samuel 17:40) Cinco pedras

v. 40 E ele tomou na mão o seu cajado, e escolheu para si cinco pedras lisas do ribeiro, e as colocou em um alforje de pastor que ele tinha, em uma bolsa; e a sua funda estava na sua mão; e ele se aproximou do filisteu. 

Em vez de usar uma armadura real, Davi levou armas que lhe eram mais familiares. As cinco pedras lisas que ele escolheu deveriam ter aproximadamente o tamanho de bolas de tênis e voariam em linha mais reta do que pedras recortadas.

Como pastor, é provável que estivesse bem treinado com sua funda, que também lhe possibilitaria atacar Golias à distância em vez de em combate próximo, onde o gigante teria uma grande vantagem.

(1 Samuel 17:42) Golias desdenha de Davi

v. 42 E quando o filisteu olhou e viu Davi, ele o desdenhou; pois ele não passava de um jovem, ruivo e de boa aparência. 

Golias viu Davi como um desafio desqualificado para sua habilidade como guerreiro. Ele não passava de um jovem, e suas feições não mostravam que ele possuía experiência em combate.

(1 Samuel 17:43) Golias afronta Davi

v. 43 E o filisteu disse a Davi: Sou eu um cão, para que venhas a mim com varas? E o filisteu amaldiçoou Davi em nome dos seus deuses. 

Golias começou sua guerra psicológica (“desdém”) contra Davi sugerindo que o cajado que Davi levava servia apenas para bater em um cão.

A declaração amaldiçoou Davi em nome dos seus deuses inclina o relato mais para descrever uma batalha entre os deuses dos filisteus e o Deus de Israel do que apenas um combate entre dois homens.

(1 Samuel 17:45) A resposta de Davi

v. 45 Então disse Davi ao filisteu: Tu vens a mim com uma espada, e com uma lança, e com um escudo; mas eu vou a ti em nome do SENHOR dos Exércitos, o Deus dos Exércitos de Israel, a quem tu desafiaste.

A resposta de Davi a Golias realça o contraste na estratégia de combate. O filisteu confiava em sua espada… lança, e… escudo (ou punhal, lança e espada), mas Davi lutava em nome (como o representante e com a autoridade) do SENHOR dos Exércitos, que era o Deus dos exércitos de Israel.

Golias O desafiou, mas agora o Senhor triunfaria sobre ele por meio do Seu servo.

(1 Samuel 17:46) Davi impõe sua fé

v. 46 Neste dia o SENHOR te entregará na minha mão; e eu te ferirei, e arrancarei de ti a cabeça; e darei as carcaças dos exércitos dos filisteus neste dia para as aves do céu, e para os animais selvagens da terra, para que toda a terra possa saber que há um Deus em Israel. 

 O entregará na minha mão é literalmente “encerrará você em minha mão”, ou o deixará sem saída. A referência de Davi aos exércitos dos filisteus indicava que o resultado da batalha pessoal deles teria implicações para o exército filisteu.

Às aves do céu e aos animais selvagens  arremeda o insulto da zombaria de Golias (v. 44). Davi insistiu que,depois de sua vitória, todo mundo saberia que Israel tinha um Deus que era poderoso o suficiente para livrar-se de situações aparentemente impossíveis.

A preocupação de Davi era que as nações também viessem a conhecer o poder de Yahweh.

(1 Samuel 17:47) A fé de Davi

v. 47 E toda esta assembleia saberá que o SENHOR não salva com espada e lança; pois a batalha é do SENHOR, e ele te entregará nas nossas mãos. 

Toda esta assembleia provavelmente designa o exército de Israel, mas pode incluir todos os que estavam presentes naquele dia.

Davi testificou que o Senhor salva, mas não por espada ou por lança. Uma vez que a batalha era Sua, Ele lutaria e venceria à sua maneira.

(1 Samuel 17:49) Davi vence Golias

v. 49 E Davi pôs a sua mão na sua bolsa, e dali tomou uma pedra, e a atirou, e feriu o filisteu na sua testa, de modo que a pedra afundou-se na sua testa; e ele caiu com a sua face em terra. 

Após uma longa antecipação da batalha narrativa, a batalha se encerrou pouco depois de começar. As palavras ele caiu com a sua face descrevendo Golias caindo com o rosto para baixo.

A força do impacto da pedra aparentemente o balançou de início para trás, mas em seguida ele balançou para a frente novamente para completar sua queda ou girou em volta do rosto ao continuar a cair para trás (na direção oposta a Davi) na terra.

(1 Samuel 17:50) A arma de Davi

v. 50 Assim, Davi prevaleceu sobre o filisteu com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou; porém não havia espada na mão de Davi.

 Isto enfatiza a improbabilidade da vitória de Davi, que dá glória a Deus. E o matou é uma declaração que resume todo o evento.

Davi desferiu o verdadeiro golpe mortal não com uma pedra, mas com a própria espada de Golias (v. 51).

(1 Samuel 17:51) Davi corta a cabeça de Golias

v. 51 Assim Davi correu e se pôs de pé em cima do filisteu, e tomou a sua espada, sacou-a da sua bainha e o matou, e com ela ele cortou sua cabeça. E quando os filisteus viram que o seu campeão estava morto, eles fugiram. 

 Golias estava gravemente ferido, mas ainda estava vivo quando Davi o alcançou. Não querendo deixar sua tarefa pela metade, Davi usou a própria espada de Golias para matá-lo, cortando-lhe a cabeça.

Vendo que seu representante oficial nesta disputa mortal estava morto, os filisteus recuaram e fugiram correndo vale abaixo na direção de Gate.

(1 Samuel 17:52) Os israelitas ferem os filisteus

v. 52 E os homens de Israel e de Judá se levantam, e gritaram, e perseguiram os filisteus, até chegar ao vale, e aos portões de Ecrom. E os feridos dos filisteus caíram pelo caminho de Saaraim, até Gate e até Ecrom. 

Sobre os homens de Israel e de Judá, ver nota em 1Sm 11:8. Inspirado pela vitória do Senhor por meio de Davi, o exército de Israel perseguiu os filisteus por todo o caminho até os portões de Ecrom, uma importante cidade filisteia (1Sm 5:1) a aproximadamente 16 quilômetros de distância.

O caminho de Saaraim vai de norte a sul bem próximo a Azeca (v. 1); estabelecido o pânico, os filisteus procuraram todos os caminhos possíveis para escapar dos israelitas.

(1 Samuel 17:54) Davi leva a cabeça de Golias a Jerusalém

v. 54 E Davi tomou a cabeça do filisteu, e a trouxe a Jerusalém; mas colocou a sua armadura na sua tenda. 

A razão pela qual Davi levou a cabeça do filisteu para Jerusalém é incerta, uma vez que Jerusalém era controlada pelos jebuseus nessa época.

Uma possibilidade é que Davi pretendia amedrontar os jebuseuseus e outros inimigos de Israel. Outra possibilidade é que Jerusalém era um lugar central onde mesmo não-jebuseus podiam vir para dividir, trocar e mostrar os espólios de guerra.

Uma terceira possibilidade é que o texto estava registrando aquilo que Davi finalmente fez com a cabeca de Golias anos mais tarde quando Davi conquistou Jerusalém (2Sm 5:7), embora 1Sm 17:57 possa pesar contra esta sugestão.

Ver R. D. Bergen, 1, 2 Samuel para maiores comentários sobre as opções. A espada do gigante acabou na cidade de Nobe, de onde Davi a recuperou anos mais tarde (1Sm 21:8-9).

(1 Samuel 17:55) Saul procura conhecer o pai de Davi

v. 55 E quando Saul viu Davi avançar contra o filisteu, ele disse a Abner, o capitão do exército: Abner, este jovem é filho de quem? E Abner disse: Como vive a tua alma, ó rei, não sei dizer. 

Ou o horário ocupado de Saul, ligado ao seu tormento por causa do espírito maligno, resultou em ele não reconhecer Davi como o seu tocador pessoal de harpa, ou Saul conhecia Davi mas não sabia quem era o seu pai.

(1 Samuel 17:57) Abner traz Davi a Saul

v. 57 E quando Davi retornava do massacre do filisteu, Abner o tomou, e o trouxe diante de Saul, com a cabeça do filisteu na sua mão. 

Uma comparação dos detalhes deste versículo com aqueles do versículo 54 não requer que o encontro de Saul e Davi tivesse sido em Jerusalém, embora nada impeça esta possibilidade.

(1 Samuel 17:58) O pai de Davi

v. 58 E Saul lhe disse: De quem tu és filho, jovem homem? E Davi respondeu: Sou filho do teu servo Jessé, o belemita.

Talvez o rei tenha perguntado para esclarecer a identidade de Davi e assim ele pudesse recompensar Jessé com a prometida isenção de impostos para a pessoa que derrotasse Golias (v. 25).

5 importantes lições que podemos aprender em 1 Samuel 17

  1. Confiança na Providência de Deus: Davi confiou na providência e no poder de Deus para derrotar Golias, mesmo diante de circunstâncias aparentemente impossíveis (1 Samuel 17:37). Isso nos ensina a confiar em Deus em meio às nossas próprias batalhas e desafios, sabendo que Ele é capaz de nos fortalecer e nos capacitar para vencer.
  2. Coragem para Enfrentar Gigantes: Davi demonstrou coragem ao enfrentar o gigante Golias, confiando em Deus e em suas habilidades (1 Samuel 17:32-37). Isso nos lembra que, com a ajuda de Deus, podemos enfrentar corajosamente os gigantes em nossas vidas, seja o medo, a dúvida ou os obstáculos que encontramos.
  3. Não se Deixar Desencorajar pela Oposição: Apesar da zombaria e da descrença dos outros, Davi permaneceu firme em sua confiança em Deus (1 Samuel 17:28-30). Isso nos ensina a não nos deixarmos desencorajar pela oposição ou pelo desdém dos outros, mas a manter nossa confiança em Deus e em Seu poder.
  4. Usar as Ferramentas Disponíveis: Davi escolheu cinco pedras lisas do ribeiro para usar em sua funda, confiando na habilidade que Deus lhe havia dado (1 Samuel 17:40). Isso nos lembra que Deus nos equipa com habilidades e recursos específicos para enfrentar nossas batalhas, e devemos usar essas ferramentas com sabedoria.
  5. Glória a Deus nas Vitórias: Após derrotar Golias, Davi deu toda a glória a Deus, reconhecendo que foi o Senhor quem lhe deu a vitória (1 Samuel 17:45-47). Isso nos ensina a dar glória a Deus em todas as nossas vitórias, reconhecendo Sua bondade, poder e fidelidade em nossas vidas.

Conclusão

A famigerada história de Davi fazia prova daquilo que o próprio Deus desejava ensinar aos israelitas, ao escolhe-lo como novo rei.

O Senhor desejava mostrar que os homens não deveriam confiar em aparência, ou, ainda, na força do seu próprio braço, visto que nada podem se do céu não lhes for dado.

Ao sair a peleja contra o filisteu, Davi se mostrou o verdadeiro gigante em sua fé. Interessante como ele argumenta com Saul sobre estar apto a lutar contra o gigante, mesmo sem ter experiência militar.

Ele intenta passar alguma credibilidade ao rei, vamos dizer assim, expondo sobre sua experiência no campo, quando lutou contra animais ferozes para salvar suas ovelhas.

Ele concluiu que, se o Senhor o fizera vencer naquelas situações, Ele poderia fazer novamente, visto que ambas seriam igualmente “improváveis” aos olhos naturais.

Davi atribuía a Deus todas as suas vitórias e, sem dúvida, o fato do Espírito do Senhor tê-lo tomado, o capacitou, mais uma vez, a dar um passo tão ousado e importante.

Interessante, de igual forma, quando Davi expõe claramente sua compreensão de Deus e a mensagem que aquele momento transmitiria, sendo a de que do Senhor salvava, sem necessidade de espada ou lança, vez que Dele era a guerra.

Davi sabia que o Criador governava sobre todas as coisas e que Sua vontade sempre prevalecerá.

1 Samuel 17 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *