1 Pedro 1 Estudo: Sacerdócio Real

Advertisement

Neste capítulo de 1 Pero 1 estudo, veremos um dos temas que encontraremos na nesta Epístola de Pedro é que, por meio da expiação de Jesus, os discípulos podem suportar com fé o sofrimento e a perseguição.

Cada capítulo de 1 Pedro fala sobre provações ou sofrimento, e Pedro ensinou que suportar provações com paciência é uma qualidade “mais preciosa do que o ouro” e ajudaria os fiéis a ganhar “a salvação das almas”.

Advertisement

Pedro também lembrará os santos de sua identidade como “geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido”.

Ao estudarmos os conselhos nessa epístola, sentiremos esperança e receberemos incentivo e força que podem nos ajudar com os desafios que enfrentaremos.

1 Pedro 1 estudo: Contexto histórico

Pedro escreveu essa epístola para os membros da Igreja que viviam em cinco províncias romanas da Ásia Menor, localizadas na atual Turquia. Ele considerava seus leitores como “eleitos” de Deus.

Pedro escreveu para fortalecer e encorajar os santos na “prova da sua fé e prepará-los para uma “ardente prova” no futuro. A mensagem de Pedro também os ensinou a saber como lidar com a perseguição.



O conselho de Pedro foi muito oportuno, pois os membros da Igreja estavam à beira de um período de intensa perseguição.

Pedro escreveu essa epístola cerca de 60 d.C., quando o governo romano geralmente tolerava o cristianismo.

No meio daquele ano, um incêndio destruiu boa parte de Roma e circularam rumores de que o próprio imperador Nero havia dado ordens para iniciar o incêndio.

Na tentativa de desviar a culpa pela tragédia, alguns romanos proeminentes acusaram os cristãos de terem sido os responsáveis.

Isso levou a uma grande perseguição aos cristãos por todo o Império Romano. Pedro indicou que, quando os santos “padecem como cristãos”, eles podem sentir alegria, pois estão seguindo os passos de Cristo.

(1 Pedro 1:1-2) Apóstolo de Jesus Cristo

v. 1 Pedro, um apóstolo de Jesus Cristo, aos estrangeiros dispersos por todo o Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia.


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)


v. 2 Eleitos segundo a presciência de Deus o Pai, através da santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas.

Pedro se identificou como apóstolo de Jesus Cristo (“o Messias”). Os apóstolos eram representantes autorizados de Cristo na igreja primitiva, ordenados por Deus e comissionados diretamente por Jesus.

Os destinatários a quem Pedro escreveu eram os estrangeiros dispersos (“expatriados da dispersão”). O termo estrangeiros” (Gr. parepidemois; v. 1; 1Pe 2:11) indica pessoas que viviam em uma região que não era sua residência permanente – no caso, as cinco províncias romanas localizadas na atual Turquia.

O céu é a verdadeira pátria dos cristãos. “Dispersos” significa “espalhados”, e geralmente se refere ao povo de Deus espalhado pelo mundo, fora de sua pátria.

A presciência (“desígnio”) de Deus é a base de os cristãos serem eleitos. Pré-conhecimento é mais do que o mero conhecimento prévio de todas as coisas por Deus.

Ele abrange Sua predestinação. Através da santificação do Espírito é o meio pelo qual a “eleição” se torna real.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


A expressão para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo descreve o objetivo e a finalidade da eleição (Êx 24:3-8).

Os cristãos foram escolhidos por Deus para ter um relacionamento firmados em uma aliança com Ele, caracterizado pela obediência. O sangue de Cristo é que nos insere neste relacionamento.

1 Pedro 1:3-12

Esta seção começa com um louvor a Deus pelos privilégios que concedeu aos cristãos. Pedro motivou seus leitores lembrando-os de que, mediante a ressurreição de Cristo, o Senhor os fez nascer de novo.

O resultado deste novo nascimento é que os cristãos receberam uma herança eterna, reservada nos céus. Os fiéis serão levados ao céu, seu lar eternal, por meio da fé no evangelho.

(1 Pedro 1:3-5) Herança incorruptível

v. 3 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, conforme a sua abundante misericórdia, nos gerou novamente para uma esperança viva, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos;

v. 4 para uma herança incorruptível, imaculada, e que não desvanece, reservada no céu para vós,
v. 5 que estais guardados pelo poder de Deus, através da fé, para a salvação que já está pronta para ser revelada no último tempo,

Pedro informou a seus leitores de que Deus os regenerou (Gr. onagennoo) para uma herança que nunca irá perecer, corromper-se ou perder seu valor – uma salvação realmente segura.

(1 Pedro 1:6-9) Prova de fé

v. 6 na qual vos alegrais grandemente, embora agora, por um tempo, sendo necessário, estejais sob opressão por causa das muitas tentações,

v. 7 para que a prova da vossa fé, sendo muito mais preciosa do que o ouro que perece, mesmo que provado com fogo, possa ser achada em louvor e honra e glória, na aparição de Jesus Cristo;

v. 8 ao qual, não o havendo visto, amais; em quem, embora não o vejais agora, e mesmo assim crendo, vos alegrais com gozo inenarrável e pleno de glória.

v. 9 Recebendo o fim de vossa fé, a salvação das vossas almas.

O apóstolo motivou ainda mais seus leitores mostrando que os cristãos podem alegrar-se em sua herança imperecível e sua salvação certa, mesmo sendo provados por perseguição e sofrimentos neste mundo.

(1 Pedro 1:10-12) O evangelho revelado pelos profetas

v. 10 Salvação sobre a qual inquiriram os profetas e a buscaram diligentemente os que profetizaram sobre a graça que viria sobre vós.

v. 11 Buscando o tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, quando testificava de antemão os sofrimentos de Cristo, e a glória que se seguiria.

v. 12 A eles foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós eles ministravam estas coisas que agora vos são anunciadas por aqueles que vos pregaram o evangelho, pelo Espírito Santo enviado do céu; e a estas coisas os próprios anjos desejam contemplar.

O povo de Deus do antigo testamento não conheceu especificamente a Cristo nem o evangelho, mas creu nas promessas de Deus que apontavam para Jesus (Hb 11:13).

Pedro mostrou a seus leitores que o evangelho da salvação, buscado e esperado pelos profetas, agora foi revelado.

A salvação em Cristo é tão grande e suas bênçãos são tão tremendas que até os anjos desejam contemplar. O evangelho atrai seu interesse de tal forma que eles desejam refletir intensamente nele.

1 Pedro 1:13-21

Nesta seção, Pedro nos ensina que devemos sempre colocar nossa esperança na “graça” que será nossa na segunda vinda de Cristo.

Estrangeiros residentes neste mundo, os cristãos devem viver de maneira diferente, mostrando que pertencem a Deus.

(1 Pedro 1:13) Graça trazida

v. 13 Portanto, cingindo os lombos de vossa mente, sede sóbrios, e esperai até o fim pela graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo;

A graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo é o auge da redenção de Deus em Cristo, que se dará em sua segunda vinda (v. 5).

(1 Pedro 1:14) Filhos obedientes

v. 14 como filhos obedientes, não vos moldando às concupiscências anteriores de vossa ignorância.

A expressão concupiscências anteriores significa “ausência do conhecimento de Deus”, o que sugere que a maioria dos leitores era gentil e, antes de vir a Cristo, seguia religiões pagãs.

(1 Pedro 1:15-16) Sede santos, porque Eu sou

v. 15 Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver.

v. 16 Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.

O padrão do viver santo dos cristãos é o próprio Deus (Lv 11:44-45).

(1 Pedro 1:19) Cordeiro perfeito

v. 19 Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha,

A metáfora do cordeiro sem defeito e sem mancha aponta para a ausência de pecado de Cristo (Lv 22:19-25) Ele é o Cordeiro de Deus que foi sacrificado (Jo 1:29).

(1 Pedro 1:20) Antes da fundação do mundo

v. 20 o qual foi verdadeiramente preordenado antes da fundação do mundo, porém manifestado nestes últimos tempos por vós.

O plano do sacrifício de Cristo em favor de pecadores foi feito na eternidade passada. Trata-se de uma realidade certa projetada para se cumprir na história no momento determinado por Deus (Gl 4:4).

(1 Pedro 1:22-25) Ameis uns aos outros

v. 22 Visto que vós tendes purificado as vossas almas pela obediência à verdade através do Espírito ao amor não fingido dos irmãos, vede para que ameis uns aos outros fervorosamente e com um coração puro.

v. 23 Tendo nascido novamente, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, que vive e permanece para sempre.

v. 24 Porque toda a carne é como a erva, e toda a glória do homem como a flor da erva. A erva seca e a sua flor cai.

v. 25 Mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que pelo evangelho vos é pregada.

Pedro exortou seus leitores a amarem uns aos outros (e, aos outros cristãos; v. 22) como pessoas que nasceram de novo por meio do evangelho, a pela palavra de Deus, que vive e permanece para sempre.

Conclusão

Concluindo, Pedro escreve sobre a necessidade de os santos crescerem espiritualmente a fim de receber recompensas eternas. A promessa de salvação só é possível por meio do precioso sangue de Jesus.

Os santos são “a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido” que obtiveram a misericórdia de Deus. Trazendo para os dias de hoje, devemos crer nesse capítulo com toda a força de nossos corações.

Devemos entender o nosso chamado, que é universal – sacerdócio (servir) – e, dentro desse chamado, identificar os talentos que temos (dons), dados pelo Espírito de Deus que habita dentro de nós, afim de cumprirmos o propósito do evangelho (salvação) em todas as esferas da sociedade que estamos inseridos, o que é nada mais do que cumprir o IDE deixado por Jesus para todos nós, pregar o evangelho a toda criatura através de nosso testemunho de vida, sem até, muitas vezes, sequer usar as palavras para isso.

Pedro tinha seus defeitos, totalmente reconhecidos por Jesus, o que não o impediu de o escolher para liderar os apóstolos e a levar o evangelho, principalmente aos judeus.

Todos podemos ser instrumentos nas mãos de um Deus poderoso, afinal, o agir e o realizar é dele, não importando quem somos ou o que podemos fazer. Somos apenas o canal, o meio, o instrumento, a ferramenta, amém?

1 Pedro 1 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *