Êxodo 35 Estudo: Movidos Pelo Espírito

Advertisement

Neste capítulo de Êxodo 35 estudo, veremos que Moisés convoca a congregação e reforça os termos quanto a guarda do sábado. Após, é dado início a execução do plano de construção do santuário.

Moisés pede ao povo que trouxesse as ofertas, que seriam as matérias primas utilizadas para a fabricação dos itens sagrados. A palavra menciona que todo homem e mulher, cujo coração se moveu, ofertou.

Por fim, vemos mais uma vez sendo mencionado que Deus chamou a Bezalel e o encheu do Seu Espírito, o qual o encheu de habilidade, conhecimento e inteligência para desempenhar todo trabalho artístico que seria necessário, sendo que, também, Aoliabe. Deus lhes deu um coração disposto a ensinar os demais.

Êxodo 35 estudo: Contexto histórico

No capítulo anterior, Deus manda que Moisés subisse, novamente, ao monte Sinai, com duas novas tábuas de pedra.

Advertisement

Deus renova Sua aliança como povo e manda que eles não fizessem alianças com os povos das terras a que seriam enviados, para que não caíssem em cilada e se prostituíssem com outros deuses. 

Por fim, reforça a determinação do povo comparecer três vezes ao ano, em Sua presença, com as primícias da terra, nas festas dos pães asmos, sega e colheita. Quando Moisés desceu do monte, seu rosto resplandecia.

(Êxodo 35:1-30) Ofertas voluntárias

Esta seção descreve a preparação dos materiais e dos trabalhadores necessários à construção do tabernáculo. As pessoas que trouxeram os materiais apreciados e preciosos contribuíram voluntariamente (Ex 35:21-22).

Eles também trabalharam de modo voluntário (Ex 36:2), usando habilidades por Deus concedidas no desenho, na execução, e no ensino.

Eles tinham tanto o desejo como as habilidades necessárias para a obra que o Senhor tinha ordenado (Ef 2:8-10).

Advertisement

No início do Êxodo, os israelitas eram escravos oprimidos e obrigados a fabricar tijolos de barro e a construir cidades para servir ao Faraó.

Este considerava os israelitas como sediciosos e preguiçosos, por essa razão deixou de fornecer a palha necessária para o trabalho deles.

Agora, os israelitas podiam participar voluntariamente da edificação de uma estrutura para a glória de Deus, para a qual Ele proverá os materiais necessários e habilidades para os trabalhadores.



(Êxodo 35:31) Bezalel

Porquanto o Senhor chamou Bezalel e o encheu com o Espírito de Deus, ele seria capaz de executar com excelência aquilo que o Senhor ordenara (Nm 11:17).

(Êxodo 35:34-36) Cheios de sabedoria

A habilidade de ensinar os outros atribuída a Bezalel e Aoliabe é descrita tanto como uma questão do coração como uma obra de Deus neles.

A expressão idiomática hebraica afirma: “E Ele pôs no coração dele ensinar,” referindo-se primeiro a Bezalel, que é mencionado antes de Aoliabe.

Moisés acrescentou que o Senhor o encheu com sabedoria. Além disso, ele descreveu Bezalel, Aoliabe e os outros trabalhadores – todos aqueles que eram “sábios/habilidosos de coração” – como pessoas “em quem o Senhor pôs sabedoria/habilidade e entendimento”.

Advertisement

Esta é a razão pela qual eles saberiam fazer todo tipo de trabalho para o serviço do santuário.

Conclusão

O Senhor havia dado a ordem de execução do plano de elaboração do santuário, para que, então, habitasse entre Seu povo.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


Por isso, Moisés ordena que os israelitas trouxessem as matérias primas, que seriam ofertas ao Senhor.

As escrituras expõem que todo homem e mulher, cujos corações se moveram, impelidos pelo espírito, trouxeram ofertas.

Neste sentido, vemos, claramente, a descrição da atuação do espírito, sobre nossas decisões. A palavra menciona que somos formados por corpo, alma e espírito (1 Tessalonicenses 5:23) e que, nossa alma, pode ser influenciada por um ou por outro.

Paulo expõe que existe uma guerra, em que militam carne e espírito (Gálatas 5:17-25). Não há nada que você precise fazer para que a carne seja fortalecida.

Ela nasce propensa à lei do pecado (Romanos 7:14), enquanto os músculos espirituais precisam ser fortalecidos, na lei do Senhor, crucificando a carne, mortificando-a, para que haja vida (Romanos 8:13).

Quando estamos fortes em espírito, discernimos as coisas do Espírito (1 Coríntios 2:14). Aprendemos, portanto, que devemos analisar nossas decisões e nossas ações.

Como mencionado, anteriormente, as escrituras revelam quais são as obras da carne e do espírito (Gálatas 5:17-25).

Advertisement

Qualquer indicação de que algo esteja errado, deve levá-lo a se fortalecer no Senhor, por meio das disciplinas espirituais.

Lembrando que, nossas decisões obterão recompensas ou consequências (Salmo 18:25-26), a depender se são pautas pelo espírito ou pela carne.

Êxodo 35 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *