2 Reis 3 Estudo: Jorão Reina Sobre Israel

No ano de 895 a.C iniciou-se o reinado de Jorão em Israel, marcado por muita idolatria. Desse modo, assim como os seus pais, 2 Reis 3 estudo mostra que esse tipo de pecado era presente nesse território.

Apesar de seu irmão, rei Acasias, ter morrido em função do pecado de consultar outros deuses, e não ter se arrependido, Jorão sem temor continua a fazer o mesmo.

Advertisement

Além disso, é importante destacar como 2 Reis 3 mostra como procuramos o Senhor apenas quando as situações estão difíceis, mas não o consultamos antes para saber da vontade do seu coração.

2 Reis 3 Estudo: Eliseu como voz de Deus

Nessa passagem o Deus que falava com os reis de Israel por meio de Elias, continua com a sua voz presente através de Eliseu. Logo, apesar dos pecados dos que reinavam durante esse período, a voz do Senhor não se calou.

Advertisement

(2 Reis 3:1) Acasias não deixou descendentes

¹ Ora, Jorão, o filho de Acabe, começou a reinar sobre Israel em Samaria, no décimo oitavo ano de Josafá, rei de Judá, e reinou por doze anos.

O reinado de Jorão: Irmão de Acasias, também era idolatra e não dava a glória devida ao rei de Israel.


Você ler a Bíblia todos os dias mas Não consegue Entender a Mensagem de Deus? Clique Aqui e venha Estudar Teologia Conosco de Maneira Fácil e Descomplicada! 📖


(2 Reis 3:2-3) A maldade de Jorão

² E ele operou o mal à vista do Senhor; mas não como o seu pai, e sua mãe; porque removeu a imagem de Baal, que o seu pai havia feito.

³ Todavia ele se apegou aos pecados de Jeroboão, o filho de Nebate, o qual fez Israel pecar; disso não se afastou.

Troca de deuses: A idolatria é má perante o Senhor, pois esse pecado traz enorme engano sobre os homens, que deixam de adorar aquele que tem o total poder e controle sobre todas as coisas, para adorar imagens de esculturas que nada podem fazer.

Advertisement

Apesar de Jorão ter retirado a estátua obscena levantada pelos seus pais, ele comete o mesmo pecado de Jeroboão, e começa a praticar a idolatria por meio da imagem de um bezerro de ouro.

Além disso, durante todo o seu reinado ele teve a mesma postura. Tal ação adotada pelos reis, não só prejudicavam a eles, mas também o povo de Israel.

(2 Reis 3:4-5) Moabe era parte de Israel

⁴ E Mesa, rei de Moabe, era um negociante de ovelhas, e devolvia ao rei de Israel mil cordeiros, e uma centena de carneiros, com a lã.


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)


⁵ Porém, sucedeu, quando Acabe estava morto, que o rei de Moabe se rebelou contra o rei de Israel.

Tributo anual: Moabe foi um território conquistado pelo rei Davi, e que durante o reinado de Acabe, pai de Jorão, tinha sido grandemente oprimido, e que após a sua morte, e reinado de Mesa, ganhou a independência.

No entanto, antes disso, tinha a obrigação de pagar tributos anuais a Israel com aquilo que era produzido no território.

Advertisement

(2 Reis 3:6) Preparação para guerra

⁶ E naquele dia o rei de Jorão saiu de Samaria e passou em revista a todo Israel.

Jorão já se prepara: A atitude do rei de Israel foi rápida, esse já saiu em seu território para alistar homens para a guerra e por isso fez a “revista´´.

(2 Reis 3:7) Aliança entre Judá e Israel

⁷ E ele foi e enviou a Josafá, o rei de Judá, dizendo: O rei de Moabe tem se rebelado contra mim; tu virás comigo contra Moabe para a batalha? E ele disse: Eu subirei. Eu sou como tu és, o meu povo como o teu povo, e os meus cavalos como os teus cavalos.


⚠️ E-book Grátis para Pregadores ⚠️:


União forte: Jeosafá já tinha tido duas lições duras da parte de Deus, porém mais uma vez ele faz uma aliança com um rei idolatra. Além disso, não era qualquer aliança, mas uma união tão forte, ao ponto de se considerarem um.

Podemos fazer um paralelo com o comportamento da igreja atual, que muitas das vezes corrigida pelo próprio Deus continua a cair em pecado, e fazer aliança que não agrada o coração do Senhor.

Advertisement

A igreja sendo a noiva de Cristo, em muitos momentos tem deixado o seu noivo, e caído em pecado com outros deuses.

(2 Reis 3:8-9) A escassez de água

⁸ E ele disse: Por qual caminho devemos subir? E ele respondeu: O caminho pelo meio do deserto de Edom.
⁹ Partiram, pois, o rei de Israel, o rei de Judá e o rei de Edom; e eles promoveram um cerco de uma viagem de sete dias; e não houve água para o exército, e para o gado que os seguia.

Próximos da morte: Edom apesar de ter outro reinado, era dependente de Judá, e por isso o exército de Jeosafá e Jorão passariam com maior facilidade.

Os animais de carga e os homens de guerra não tinham como beber água, e desse modo corriam um grande risco de todos morrerem antes mesmo de batalharem contra os seus inimigos.

Advertisement

(2 Reis 3:10) Lembrança na dificuldade

¹⁰ E o rei de Israel disse: Ai! O Senhor chamou estes três reis juntos para entregá-los na mão de Moabe!

Clamor ao verdadeiro Deus: Nesse versículo é interessante, que mesmo Jorão servindo outro deus, e pelo fato de não ter pedido conselho ao Deus verdadeiro, ainda culpa ao Senhor por um chamado.

Ademais, o rei de Israel, sabia que aquele que podia o socorrer não era um bezerro de ouro, mas o Santo de Israel, e por isso ele na hora da dificuldade clama a Deus.


Domine a Arte de Elaborar e Pregar Sermões Expositivos, Temáticos e Textuais, para Ensinar com Profundidade, Clareza e Fidelidade as Escrituras!
(Clique Aqui e Confira)


(2 Reis 3:11) Consulta ao Senhor

¹¹ E Josafá disse: Não há aqui um profeta do Senhor, além desses, para que por ele possamos consultar o Senhor? E um dos servos do rei de Israel respondeu e disse: Aqui está Eliseu, o filho de Safate, o qual derramou água nas mãos de Elias.

Eliseu é lembrado: Somente no momento de aflição Deus foi lembrado, e os reis esperavam que existisse ali alguém pelo qual pudessem consultar para que fossem direcionados por Deus.

Da mesma forma ocorre em vários momentos da vida do cristão que só lembra do Senhor em dias maus.

Advertisement

No estudo de 2 Reis 2, chamam Eliseu para manifestar o poder de Deus através da cura das águas de Jericó, e nesta passagem, mais uma vez o milagre envolve água.

(2 Reis 3:12-13) A repreensão contra a idolatria

¹² E Josafá disse: A palavra do Senhor está com ele. Assim, o rei de Israel, e Josafá, e o rei de Edom desceram até ele.

¹³ E Eliseu disse ao rei de Israel: O que tenho eu contigo? Vai-te até os profetas do teu pai, e aos profetas da tua mãe. E o rei de Israel disse a ele: Não; porque o Senhor chamou estes três reis juntos para entregá-los no mão de Moabe.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


A palavra do Senhor: Rei de Israel, rei de Edom e rei de Judá, todos eles se deslocaram para buscar direcionamento por meio da voz de Deus.

Mesmo esses cometendo pecado contra Deus, e adorando outros deuses, foram em busca de Eliseu, pois apesar de serem reis não poderiam solucionar a escassez de água.

Advertisement

Eliseu em um primeiro momento repreende Jorão, e manda ele buscar ajuda aos profetas de seus pais, que na verdade, representavam outros deuses.

No entanto o rei de Israel, afirma novamente que ele precisa do Senhor, pois ele tinha em sua mente que esse tinha os entregue nas mãos dos moabitas.

(2 Reis 3:14) Respeito de Eliseu por Jeosafá

¹⁴ E Eliseu disse: Vive o Senhor dos Exércitos, diante de quem me ponho de pé, se não fosse por eu respeitar a presença de Josafá, o rei de Judá, eu nem olharia na tua direção, tampouco te veria.

Jorão tem a sua vida salva: Eliseu naquele momento cita Deus como o Senhor dos Exércitos, isso pode ser interpretado como se Eliseu já estivesse sendo preparado espiritualmente para dar uma direção diante daquele momento no qual estavam prestes a guerrear.

Advertisement

É interessante o fato que o profeta deixa claro, que estava ali por Jeosafá, e que se não fosse por ele, o rei de Israel estaria morto, pois não haveria direcionamento do Senhor.

(2 Reis 3:15) O poder da adoração

¹⁵ Agora, porém, trazei-me um menestrel. E sucedeu, quando o menestrel tocou, que a mão do Senhor veio sobre ele.

Deus presente nos louvores: Provavelmente esse músico era um salmista, e a música ao ser tocada pode comover o coração de Deus de forma extraordinária, e desse modo pode ser liberado vitórias, curas e libertação.

(2 Reis 3:16-17) Provisão de água

¹⁶ E ele disse: Assim diz o Senhor: Fazei este vale cheio de fossos.

Advertisement

¹⁷ Porque, assim diz o Senhor: Vós não vereis vento, tampouco vereis chuva; mas aquele vale será cheio com água, para que possais beber, tento vós, quanto o vosso gado e os vossos animais.

Preparando-se para o milagre: Apesar de eles não verem sinais de chuva, isso não significa que o Senhor não iria mandar água do céu, no entanto, acredita-se que próximo aquele local teria chovido.

Pelo fato do exército está instalado em um local baixo, as águas desceriam para lá e encheriam as covas, e foi isso o que aconteceu. Não só os guerreiros se saciaram como também todos os seus animais.

(2 Reis 3:18-19) Grande sinal do poder de Deus

¹⁸ E isto não passa de coisa leve à vista do Senhor. Ele também entregará os moabitas na vossa mão.

¹⁹ E vós ferireis toda cidade fortificada, e toda cidade escolhida, e derrubareis toda árvore boa, e tampareis todos os poços de água, e contristareis todo bom lote de terra com pedras.

Advertisement

A simplicidade dos grandes milagres: O Senhor domina sobre todas as coisas na natureza, e por isso aos olhos dele a provisão de água seria algo muito simples, como também, a vitória sobre os moabitas.

Porém, para que todos enxergassem que Deus é o verdadeiro Deus e Senhor, era necessário um milagre que aos olhos humanos fosse impossível acontecer. Além disso, é dado um direcionamento do que eles deveriam fazer ao guerrearem contra os moabitas.

No estudo sobre 2 Reis 4, é notável outros grandiosos feitos que o Senhor usou Eliseu para fazer por onde ele passava.

(2 Reis 3:20-21) O cumprimento de parte do milagre

²⁰ E sucedeu, pela manhã, quando a oferta de carne era oferecida, eis que ali chegou água pelo caminho de Edom, e a terra foi cheia pela água.

²¹ E quando todos os moabitas ouviram que os reis haviam subido para lutar contra eles, reuniram todos que eram capazes de se revestir de armadura, e daí para cima, e se puseram de pé na fronteira.

O grande exército: Deus honrou sua palavra e mandou água para aquele povo e sem esse milagre não seria possível sair para guerrear. É importante destacar que o exército dos moabitas era enorme.

(2 Reis 3:22-23) A confusão dos moabitas

²² E eles se levantaram cedo pela manhã, e o sol brilhou sobre a água, e os moabitas viram a água no outro lado tão vermelha quanto o sangue;

²³ e eles disseram: Isto é sangue; os reis estão seguramente mortos, e mataram-se uns aos outros. Agora, portanto, Moabe: Ao despojo!

Os moabitas sofreram engano: Esse povo acreditou que entre Judá, Edom e Israel ocorreu algum descontentamento que os tornaram um contra o outro, toda via não foi isso que aconteceu, e nas águas provavelmente existia apenas um liquido vermelho.

(2 Reis 3:24-25) Moabitas feridos

²⁴ E, quando eles chegaram ao acampamento de Israel, os israelitas se levantaram e feriram os moabitas, de modo que fugiram os moabitas, de modo que fugiram adiante ferindo os moabitas, na sua própria terra.

²⁵ E eles arrasaram as cidades, e em todo lote bom de terra cada homem lançou a sua pedra, e o encheu; e eles tamparam todos os poços de água, e derrubaram todas as árvores boas; somente em Quir-Haresete eles deixaram as suas pedras; todavia os fundeiros a cercaram e a feriram.

Assim como foi profetizado aconteceu: Quando o inimigo foge diante de outro, significa que esse vê que não há possibilidades de vitória e prefere recuar, e foi isso o que aconteceu nessa batalha. Ademais, o que os israelitas fizeram foi deixar com que a terra ficasse inabitada.

(2 Reis 3:26-27) Vitória de Israel

²⁶ E quando o rei de Moabe viu que a baralha era demasiadamente intensa para ele, levou consigo setecentos homens que empunhavam espadas, para abrir caminho até o rei de Edom, mas eles não conseguiram.

²⁷ Então, ele tomou o seu filho mais velho, que reinaria no seu lugar, e o ofereceu como oferta queimada sobre o muro. E houve uma grande indignação contra Israel; e eles se afastaram dele, e retornaram para a sua própria terra.

Costume dos pagãos: Os moabitas desde o inicio perdiam essa guerra. Além disso, era costume dos povos pagãos oferecer pessoas em sacrifício a deuses.

Conclusão

A partir da compreensão de 2 Reis 3 estudo, podemos perceber que apesar de Israel durante o reinado de Jorão ter sido uma nação idolatra, Deus não deixou de manifestar o seu poder no meio desse território.

Ademais, é incrível a importância de existir um profeta que seja a boca de Deus, pois dessa forma é possível ter direção em muitas adversidades.

2 Reis 3 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *