2 Samuel 20 Estudo: A Mulher Sábia

2 Samuel 20 estudo.

Em 2 Samuel 20, veremos que Havia um homem chamado Seba, denominado como filho de Belial, da tribo de Benjamim, o qual se rebelou contra Davi, aduzindo que ele e sua tribo não aceitavam ao rei, razão pela qual todos os homens de Israel foram após ele.

Advertisement

Os homens de Judá, no entanto, seguiam a Davi. Em seguida, chegando em Jerusalém, Davi toma suas concubinas e as encerra, de modo que permaneceram como viúvas até sua morte. Após, Davi pede que Amasa convocasse os homens de Judá, pelo que ele demorou além do tempo determinado.

Então, Davi pediu que Abisai perseguisse a Seba, sendo que Joabe também vai. Em determinado ponto, Amase veio perante eles, oportunidade em que Joabe o feriu com a espada.

Após, todos os homens passaram a seguir Joabe. Seba parou em Abel-Bete-Maaca, pelo que Joabe e seus homens começaram a levantar, contra o muro da cidade, um montão e trabalhavam para o derribar.



Neste momento, uma mulher sábia vem a Joabe e lhe roga que nada fizesse contra a cidade e, então, ela se propõe a entregar a cabeça de Seba, a jogando pelo muro.

Advertisement

Joabe aceita a proposta. Assim, a mulher reúne os moradores e acabam ferindo a Seba e entregando sua cabeça aos israelitas. Por fim, Joabe toca a trombeta e eles retornam para Jerusalém.

Contexto histórico

No capítulo anterior, vemos que Joabe repreende a Davi por permanecer em luto, sem, no entanto, agradecer aos seus súditos pela conquista. Ele, então, se dispõe a ter com o povo. Após, vemos que ele se coloca a transpor o Jordão, para Gilgal, oportunidade em que muitos o encontram.

Advertisement

Ocorre um momento de tensão entre Judá e Israel, onde Israel questiona ter sido Judá o responsável por ajudar o rei a transpor o Jordão, no entanto, eles argumentam que são parentes de Davi. As escrituras aduzem que mais dura foi a palavra de Judá. Acompanhe a seguir o estudo de todos os versículos de 2 Samuel 20.

(2 Samuel 20:1) Seba

v. 1 E ocorreu de haver ali um homem de Belial, cujo nome era Seba, o filho de Bicri, um benjamita; e ele soprou uma trombeta, e disse: Não temos parte alguma em Davi, tampouco temos herança no filho de Jessé: cada homem para a sua tenda, ó Israel. 

 Seba, filho de Bicri, não é mencionado fora deste relato, mas é provável que fosse um dos líderes na delegação de Benjamim que escoltava Davi de volta para Jerusalém.

Ele soprou uma trombeta e chamou o povo de Israel para romper com o rei (2Sm 18:16), citando o relacionamento mais distante.

(2 Samuel 20:2) A rebelião

v. 2 Assim, todos os homens de Israel deixaram de seguir Davi, e seguiram Seba, o filho de Bicri; porém, os homens de Judá se apegaram ao seu rei, desde o Jordão até Jerusalém. 


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)

Advertisement

No calor do momento, seguir Seba parecia a muitas pessoas a coisa certa a fazer, então os homens de Israel deixaram de seguir Davi. Nesse meio tempo, os homens de Judá escoltaram Davi até Jerusalém para garantir a sua segurança.

(2 Samuel 20:3) As concubinas de Davi

v. 3 E Davi chegou à sua casa em Jerusalém; e o rei tomou as dez mulheres, as suas concubinas, as quais ele havia deixado para cuidar da casa, e as pôs sob guarda, e as alimentou, mas não entrou a elas. Assim, elas ficaram trancadas até o dia da sua morte, vivendo em viuvez. 

 Davi compassivamente cuidou do bem-estar das dez mulheres com quem Absalão tinha se relacionado sexualmente durante sua tentativa de golpe (2Sm 16:22).

Davi nunca mais as possuiu, talvez por causa das considerações da Torá (Lv 18:15), porém, mais provavelmente para garantir que não surgisse nenhuma confusão dentro da linha real.

(2 Samuel 20:4-5) Amasa demonstra ineficiência

v. 4 Então, o rei disse a Amasa: Reúne-me os homens de Judá dentro de três dias, e estejas tu aqui presente. 

Advertisement

v. 5 Assim, Amasa foi reunir os homens de Judá; porém, ele tardou além da hora marcada que ele lhe havia indicado.

 Amasa, o novo comandante do exército de Davi (2Sm 19:13), recebeu ordens para reunir os homens de Judá a  fim de reprimir a revolta de Seba. O tempo era essencial, um fato que a massa aparentemente não compreendeu.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:

Advertisement

(2 Samuel 20:6) Abisai é convocado

v. 6 E Davi disse a Abisai: Agora Seba, o filho de Bicri, far-nos-á mais mal do que nos fez Absalão; toma tu os servos do teu senhor e persegue-o, para que ele não conquiste para si cidades fortificadas e escape de nós.

Abisai foi a próxima escolha de Davi para liderar o ataque contra Seba.

(2 Samuel 20:7) A perseguição

v. 7 E ali saíram atrás dele os homens de Joabe, e os quereteus, e os peleteus, e todos os valentes; e eles saíram de Jerusalém, para perseguir Seba, o filho de Bicri.

Advertisement

Sobre os quereteus e peleteus, ver nota em 2Sm 8:18.

(2 Samuel 20:8) As vestes de Joabe

v. 8 Quando eles estavam junto à pedra grande que fica em Gibeão, Amasa foi adiante deles. E as vestes de Joabe, que ele havia posto, estavam nele cingidas; e sobre ela um cinto com uma espada presa sobre o seu lombo, na sua bainha, e enquanto ele avançava, ela caiu. 

Gibeão, cerca de 6,5 quilômetros ao norte de Jerusalém, havia sido o local do encontro com as forças de Abner (2Sm 2:12-16).

Esse local possuía uma visão panorâmica do planalto central de Benjamim sendo grande o suficiente para reunir uma grande tropa de combate.

Advertisement

A chegada atrasada de Amasa pode ter recebido uma resposta mista por parte do exército; afinal de contas, ele tinha liderado as forças de Absalão contra Davi (2Sm 17:25).

Joabe estava presente, embora não estivesse no comando. Sua espada caiu da bainha, provavelmente um lance ilusório de Joabe para que Amasa não o visse como se estivesse sacando sua arma.

(2 Samuel 20:9) Joabe pega Amasa pela barba

v. 9 E Joabe disse a Amasa: Estás tu com saúde, meu irmão? E Joabe pegou Amasa pela barba com a mão direita para beijá-lo. 

Advertisement

 Joabe pegou Amasa pela barba – aproximou-se e tocou sua face como se fosse saudá-lo com um beijo.

(2 Samuel 20:10) Joabe fere a Amasa

v. 10 Porém, Amasa não prestou atenção à espada que estava na mão de Joabe; assim ele o feriu com ela na quinta costela, e derramou as suas entranhas no chão, e não voltou a atingi-lo; e ele morreu. Assim, Joabe e Abisai, o seu irmão, perseguiram Seba, o filho de Bicri.

 A espada que estava na mão de Joabe não parecia uma ameaça para Amasa porque parecia que Joabe estava simplesmente recolhendo-o após deixá-lo cair (v. 8).

(2 Samuel 20:11-12) Amasa agoniza

v. 11 E um dos homens de Joabe pôs-se de pé ao seu lado, e disse: Aquele que favorecer Joabe, e aquele que for por Davi, que siga Joabe. 

v. 12 E Amasa chafurdava-se no sangue, no meio do caminho principal. E quando o homem viu que todo o povo permanecia imóvel, ele removeu Amasa do caminho principal para o campo, e lançou um pano sobre ele, quando viu que todos os que se aproximavam dele ficavam imóveis. 

Um dos homens de Joabe convocou todos a seguir Joabe como seu líder autoproclamado e reconduzido. Abisai aparentemente consentiu com a liderança de seu irmão. Chafurdou-se, isto é, “resolvia-se no sangue”.

Advertisement

(2 Samuel 20:14) Abel-Bete-Maaca

v. 14 E ele foi por todas as tribos de Israel até Abel, e até Bete-Maaca, e todos os beritas; e eles foram reunidos, e também foram atrás dele.

Seba retirou-se para o extremo norte; ele foi até Abel, e até Bete-Maaca ficava a aproximadamente 48 quilômetros ao norte do mar da Galileia.

(2 Samuel 20:15) O ataque ao muro

v. 15 E eles chegaram e o sitiaram em Abel de Bete-Maaca, e eles ergueram um aterro encostado à cidade, e este ficava dentro de uma trincheira; e todo o povo que estava com Joabe golpeou a muralha, para lançá-la abaixo.

O cerco de uma cidade geralmente envolvia circundá-la, cortar seus suprimentos de comida e água, construir um aterro de assalto para sobrepujar os muros, e construir arietes para derrubar sua muralha.

(2 Samuel 20:16) Uma mulher sábia

v. 16 Então uma mulher sábia gritou da cidade: Ouvi, ouvi; dizei, rogo-vos, a Joabe: Vem aqui mais perto, para que eu possa falar contigo. 

 Esta mulher é descrita como sábia em retrospectiva por aquilo que ela fez na narrativa.

(2 Samuel 20:17) O diálogo entre Joabe e a mulher sábia

v. 17 E quando ele se aproximou dela, a mulher disse: És tu Joabe? E ele respondeu: Eu Sou Ele. Então, ela disse a ele: Ouve as palavras de tua criada. E ele respondeu: Estou ouvindo. 

Não há dúvida de que Joabe se aproximou da mulher com a devida cautela (Jz 9:50-55).

(2 Samuel 20:18-19) Os argumentos da mulher sábia

v. 18 Então ela falou, dizendo: Eles estavam acostumados a falar em tempos antigos, dizendo: Eles certamente pedirão conselho a Abel; e assim eles encerravam a questão. 

v. 19 Sou eu uma das pacíficas e das fiéis em Israel; tu buscas destruir uma cidade e uma mãe em Israel; por que queres engolir a herança do SENHOR? 

 A cidade de Abel, uma cidade de longa data na nação, tinha uma reputação de lugar onde a sabedoria geralmente encerraram disputas.

(2 Samuel 20:21) A resposta de Joabe

v. 21 A questão não é assim; mas um homem do monte Efraim, Seba, filho de Bicri por nome, levantou a sua mão contra o rei, contra o próprio Davi; entrega-mo somente, e partirei da cidade. E a mulher disse a Joabe: Eis que a sua cabeça te será lançada por sobre a muralha.

 Joabe respondeu que sua luta não era contra os habitantes da cidade, mas apenas contra Seba, a quem eles abrigavam.

(2 Samuel 20:22) A solução

v. 22 Então a mulher foi a todo o povo em sua sabedoria; e eles cortaram a cabeça de Seba, o filho de Bicri, e a lançaram para Joabe. E ele soprou uma trombeta, e eles se retiraram da cidade, cada homem para a sua tenda. E Joabe retornou a Jerusalém, para o rei.

Assim que Seba morreu, a revolta se encerrou. Sobre soprar a trombeta, ver nota em 2Sm 2:28.

(2 Samuel 20:23) Os principais de Israel

v. 23 Ora, Joabe estava sobre todo o exército de Israel; e Benaia, o filho de Joiada, estava sobre os quereteus e sobre os peleteus; 

Joabe tinha se tornado novamente comandante de todo o exército de Israel, e Davi pode ter sentido que deveria deixar as coisas como estavam.

Afinal de contas, Joabe tinha sido um elemento importante na unificação de Israel e na restauração do reinado de Davi.

Todavia, o pecado de Joabe não foi esquecido, e, mais tarde, o rei instruiu seu filho Salomão para que lidasse com ele quando se tornasse rei (1Rs 2:5-6). Sobre Benaia e os quereteus e peleteus, ver nota em 2Sm 8:18.

(2 Samuel 20:24) Adorão

v. 24 e Adorão estava sobre o tributo; e Josafá, o filho de Ailude era o escrivão; 

 Sobre o tributo aparece aqui pela primeira vez. Durante os dias de Salomão, somente não-israelitas compunham esse grupo (1Rs 9:20). Talvez ele tenha sido acrescentado mais tarde no reino de Davi. Sobre Josafá, ver nota em 2Sm 8:16.

(2 Samuel 20:25) Seva, Zadoque e Abiatar

v. 25 e Seva era escriba; e Zadoque e Abiatar eram os sacerdotes; 

 Josafá era agora assistido por Seva, que aparentemente havia substituído Seraías (8:17) como escriba. A influência de Zadoque continuaria no reinado de Salomão (1Rs 2:35), enquanto Abiatar tomaria o partido contrário a Salomão durante a transição de poder de Davi a Salomão e acabaria banido do sacerdócio (1Rs 1:7).

(2 Samuel 20:26) Ira

v. 26 e também Ira, o jairita, era o governador-mor junto a Davi.

 Ira, o jairita, desconhecido de outra forma,era governador-mor de Davi, talvez assistindo-o em questões de adoração particular, mas certamente não operando contrário aos preceitos da Torá (diferentemente de Mica em Jz 17).

5 principais lições que aprendemos no estudo de 2 Samuel 20

  1. Consequências da Rebelião: A história de Seba, o rebelde, destaca as consequências da rebelião contra o rei e o governo estabelecido. Sua revolta resultou em divisão e derramamento de sangue, mostrando os perigos da desobediência e da busca pelo poder pessoal.
  2. Lealdade e Traição: Enquanto alguns permaneceram leais a Davi, outros escolheram trair e seguir Seba. Isso destaca a importância da lealdade e da confiança mútua nas relações humanas e políticas, contrastando com os perigos da traição e da busca egoísta de poder.
  3. Justiça e Julgamento: A busca de Davi por justiça contra Seba e seus seguidores reflete a necessidade de manter a ordem e a autoridade para garantir a estabilidade e a paz na sociedade. Isso ilustra a importância do julgamento justo e do cumprimento da lei para preservar a justiça e a ordem social.
  4. Consequências da Guerra: A guerra contra Seba resultou em perdas de vidas e sofrimento para ambos os lados, destacando os custos humanos e sociais do conflito armado. Isso serve como um lembrete das consequências devastadoras da guerra e da importância da busca pela paz e reconciliação.
  5. Liderança Responsável: A resposta de Davi ao desafio de Seba mostra a importância da liderança responsável e decisiva em tempos de crise. Davi agiu rapidamente para enfrentar a ameaça à estabilidade de seu reino, demonstrando as qualidades necessárias em um líder para proteger e governar com sabedoria.

Conclusão

O capítulo traz informações relevantes e importante para o desenrolar da história de Davi. Vemos que, ao se deparar com uma nova rebelião, liderada por Seba, Davi manda que Amasa reunisse os homens, porém, ele demonstra lentidão e ineficiência no desempenho de suas funções.

Pelo que podemos presumir, Davi o havia constituído comandante de seus exércitos como uma forma de retaliação a Joabe, o qual fora o responsável pela morte de Absalão.

Constatado o fracasso de Amasa, Davi manda que Abisai liderasse os soldados de Israel, demonstrando que, mesmo diante do equívoco na substituição do comando do exército, ele, ainda, não pretendia reconduzir Joabe a seu cargo.

Contudo, adiante, vemos que Joabe acaba, traiçoeiramente, matando a Amasa e tomando a liderança na perseguição de Seba.

O capítulo se encerra apresentando uma mulher sábia, a qual fora responsável por livrar a cidade de Abel-Bete-Maaca de um massacre. Ela corajosamente aborda Joabe e lhe questiona a razão pela qual estariam intentando contra os muros de sua cidade, a qual era mãe das cidades ao redor e pacífica.

Joabe responde com respeito aquela mulher, aduzindo que sua única intenção era capturar Seba. A mulher, prontamente, soluciona aquele problema, se dispondo a lançar a cabeça do rebelde por cima do muro. Vemos que, então, ela reúne o povo, o qual cumpre aquele compromisso firmado pela mulher.

A mulher sábia de Abel-Bete-Maaca é um exemplo de coragem. Ela evita um conflito desnecessário com comunicação e pacificação.

Em tempos em que as mulheres são levadas a pensarem sobre seus papéis e, muitas vezes, acabam sendo persuadidas por ideologias que as deixam muito aquém do que realmente são capazes, esta mulher é uma grande referência.

Além dela, as escrituras estão repletas de mulheres que precisaram apenas de disposição e ação para mudarem destinos. Se Deus é quem luta pelos seus, a força física jamais será determinante.

2 Samuel 20 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *