Dízimo

O dízimo é uma instituição tão antiga quanto à religião, e está intimamente relacionada à sua estrutura que é uma organização religiosa sem fins lucrativos. Na Bíblia, podemos encontrar o dízimo em Gênesis, no antigo testamento, nos Evangelhos e nas Epístolas de Paulo no Novo Testamento.

Advertisement

Diante disso, o dízimo é um décimo da renda de um indivíduo e é fornecido em reconhecimento à abundante graça de Deus, no sentido de que é um retorno em forma de gratidão e não um pagamento como muitos acreditam.

Há algumas igrejas que coletam o dízimo normalmente, e outras que também fazem essa coleta, porém com outro nome.

Advertisement

Portanto, há muitas pessoas que possuem diversas dúvidas em relação ao dízimo e por essa razão preparamos esse estudo. Acompanhe!

O que é significa o dízimo?

Discutiremos sobre o dízimo, sua importância na igreja e na vida de todos aqueles que acreditam em Deus.

Diante disso, o dízimo é uma contribuição voluntária, regular, regular e proporcional à renda auferida que cada pessoa batizada deve fazer como uma obrigação pessoal, mas também um direito em relação à manutenção da vida da igreja local na qual acredita.

Desse modo, o dízimo é uma forma concreta de expressar a fé em Deus, uma forma de viver a esperança em sua vida e o reino da justiça, e uma forma de praticar a caridade na vida de uma comunidade.

Portanto, é um ato de fé, esperança e caridade e por meio do dízimo, podemos viver essas três importantes virtudes cristãs, chamadas virtudes teologais, porque elas nos levam diretamente a Deus.

Advertisement

Desse modo, o dízimo é um compromisso de todo cristão, com o que ele acredita e também é uma forma de devolver a Deus, em gratidão, devolver uma parte de Deus.

Diante disso, representa uma aceitação consciente dos dons de Deus e uma disposição fiel de cooperar em seu plano de felicidade para todos. O dízimo é gratidão e partilha porque tudo o que temos e recebemos vem e pertence a Deus.

O que a bíblia diz sobre o dízimo?

No Antigo Testamento o dízimo era um costume antigo, em Gênesis Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, e com a libertação do Egito e a legislação do Sinai, o dízimo e o sistema legal que se tornou Moisés, era necessário para o sustento e manutenção do templo.

Advertisement

Porém, vale a pena notar uma passagem particular do profeta Malaquias, que é um caso especial de deturpação contemporânea da Palavra de Deus em várias igrejas, envolvendo a passagem do profeta Malaquias sobre o “roubo de dízimos”.

Diante disso, eles perguntam: Senhor’: “(…) Eles ainda perguntam: ‘Como nós roubamos você?’ No dízimo e devoção.

Você é grandemente amaldiçoado porque você está me roubando; toda a nação está me roubando. Trazendo dízimos para o tesouro do templo para posso ter comida em minha casa.

Ademais, continuou, “Teste-me”, disse o Senhor Todo-Poderoso, “para ver se abrirei as comportas do céu e derramarei tantas bênçãos sobre você, que você não terá onde armazená-las”.

Além disso, continuou: “não deixe que os vermes comam suas colheitas, e as videiras nos campos não perderão seus frutos”, disse o Senhor dos exércitos.

Advertisement

A passagem é usada nos dias de hoje para coagir os fieis através de uma culpabilização e uma criminalização dos mesmos, apelando à passagem citada como forma de intimidá-los.

A estratégia dos aproveitadores da fé alheia é fazer o recorte da passagem bíblica, em vista de usá-la segundo uma interpretação particular, com o intuito de induzir os fieis a uma leitura viciada.

Algumas outras passagens bíblicas sobre o dízimo

Ao lermos algumas outras passagens em sua totalidade e olharmos um pouco para trás em seu verdadeiro contexto, veremos que se trata realmente sobre os sacerdotes que roubaram o dízimo do templo do Senhor, Deus através dos profetas.

Diante disso, as palavras para testar seus homens: “Ó sacerdotes, este aviso é agora para vocês, caso vocês não ouçam e honre meu nome, eu os amaldiçoarei”, disse o Senhor Todo-Poderoso.

E o Senhor continuou dizendo: “Na verdade, eu já os amaldiçoei, porque vocês não me respeitaram de coração, e por amor de vocês, destruirei seus descendentes; limparei seus rostos com o esterco dos seus animais sacrificados em sua festa, e depois os limparei com o esterco, então vocês saberão que fui eu que vos dei este aviso para que a minha aliança com Levi fosse mantida”, disse o Senhor.

Portanto, como podemos ver claramente, a leitura começa com uma advertência aos pastores, e depois os acusa de tomar roube o dízimo do templo.

Quanto se deve oferecer no dízimo?

Quanto deve ser dado o dízimo? Devemos dedicar a Deus o que nosso coração nos fala e o que nossa consciência nos diz.

Diante disso, o apóstolo Paulo escreveu o seguinte: Dê a cada um como quiser, sem pesar ou restrição, pois Deus ama um doador feliz.

Advertisement

Os israelitas deram dez por cento do que receberam de suas terras e trabalho. Portanto, a palavra “dízimo” significa dízimo, ou dez por cento da renda auferida, desse modo, veja como Deus é bom.

Além disso, ele deixa nove peças para você fazer o que precisa e quer, e requer apenas uma parte para ser devolvida, desse modo, em síntese fomos todos convidados a oferecer uma parte de dez.

Mas é importante perceber o seguinte: O dízimo não é esmola, nem supérfluo, muito menos migalhas, porque Deus não precisa de nada, ele apenas quer nossa gratidão.

Portanto, ele quer que ofereçamos com alegria, reconhecimento e liberdade, pois o que é dado com alegria beneficia tanto o doador quanto o receptor.

A liberdade de definir o valor do dízimo

Deus quer que ofereçamos o dízimo com alegria e liberdade. No entanto, embora a palavra décimo tenha o significado de décimo ou décimo, cada pessoa deve ser livre para definir qual porcentagem de sua renda deve ser alocada ao décimo a ser entregue de acordo com seu desejo interior.

Ademais, a experiência tem mostrado que aqueles que optarem pelo dízimo integral no processo de acreditar na promessa divina de fornecer 10% de tudo o que ganham não irão se arrepender de fazê-lo e não perderão seu orçamento.

Ademais, por outro lado, quando sua contribuição era relativamente pequena, eles se sentiam mais felizes do que antes. Há muitos dízimos que testificam: Quanto mais dízimos, mais você ganha.

Isso porque o dízimo é fé em Deus, e ele não deixará os que nele confiam, Independentemente disso. Logo, cada dízimo deve definir livremente sua porcentagem de contribuição diante de Deus.

O dízimo não deve se preocupar com o que sai do bolso, mas com o que sai do coração.

O que o dízimo tem a ver com Deus?

Os israelitas foram os primeiros na história humana a acreditar em um Deus que governa todo o universo.

Além disso, foi também o primeiro a acreditar que se o homem viveu, foi pela vontade e vontade de um Deus que criou o homem “à sua imagem e semelhança”.

Por isso, retribuição e gratidão passam a fazer parte da vida dessas pessoas, desse modo, todo Judeu dava um décimo de sua riqueza em troca do que havia recebido de Deus.

Como nós, cristãos, estamos enraizados neste povo judeu, herdamos dele certas maneiras de glorificar nosso Deus, que acreditamos ser o pai de todos. O dízimo é uma das formas mais antigas de gratidão humana a Deus.

Não podemos, portanto, deixar de admitir que essa forma de retribuição foi distorcida ao longo do tempo.

Originalmente uma necessidade da humanidade de manter a unidade com os irmãos e irmãs por meio da igreja, o dízimo tornou-se uma obrigação imposta pela igreja antiga e perdeu seu verdadeiro significado original.

O que o antigo testamento diz sobre o dízimo?

No segundo texto do Gênesis, encontramos referências ao dízimo, que se encontra no contexto da fuga, do sonho e da coluna que Jacó erigiu em Betel.

Além disso, Jacó usurpou a bênção de seu pai Esaú, então ele fugiu de Berseba para Harã, e quando chegou a certo lugar, já estava escuro, e ele pegou uma pedra como travesseiro.

Jacó sonhou que havia uma escada no chão que levava ao reino dos céus, e o anjo do Senhor subia e descia por ela. Deus veio ao encontro de Jacó e estabeleceu um relacionamento direto com ele, um fugitivo perturbado.

Deus lhe prometeu terra e descendentes e o seguiu de perto. Quando Jacó acordou de seu sonho, ele reconheceu: Deus está neste lugar! A casa de Deus, a porta do céu.

Jacob percebe que tudo está lá para ele, ademais, a pedra que Jacó usou como travesseiro agora é um altar. Diante disso, Jacob então jurou também.

“Se Deus está comigo e me protege no meu caminho, e me dá pão para comer e roupas para vestir, e me deixa voltar em segurança para a casa de meu pai, então o Senhor é o meu Deus; a pedra que erigi como uma coluna, será o templo de Deus; o que você me der, eu te darei o dízimo”.

A fuga de Jacó

Como um fugitivo, perdido e perturbado, Jacó foi encontrado por Deus, com isso, a história dos sonhos de Jacob é muito bonita e interessante.

Curiosamente, Deus se manifestou em um sonho e despertou Jacó para a realidade. Deus veio ao encontro e interveio na história de Jacó, acolheu-o e prometeu-lhe terra e descendentes.

Este sonho nos diz que nada é impossível para Deus. Onde não havia apoio, Deus colocou uma escada. Jacó dormiu sob uma rocha dura, mas sonhou e viu uma escada que Deus providenciou para ele. Jacó acordou, transformou a pedra dura em um altar e jurou fidelidade a Deus.

Portanto, na narrativa da história de Jacó, o dízimo parece ser um reconhecimento da presença e companheirismo de Deus nos momentos difíceis da vida.

Dízimo no novo testamento

O Novo Testamento não proíbe o dízimo em nenhum lugar, pelo contrário, em seu ensino, Jesus repreendeu os líderes religiosos de sua época não por pagarem o dízimo, mas por não guardarem as outras leis de Deus.

Por outro lado, Jesus também não impôs o dízimo, desse modo, no novo testamento não declara que o dízimo é obrigatório. No entanto, há muito a ser dito sobre dar a Deus…

Além disso, o Novo Testamento não especifica porcentagens, mas assume que todo cristão está disposto a contribuir. Toda igreja e toda missão tem custos e precisa de recursos.

O dízimo e a doação mantêm a igreja funcionando e são muito importantes para o crescimento do reino de Deus.

Independente do valor, o que Deus quer é que você dê com alegria, sabendo que está fazendo contribuições práticas para a salvação de mais pessoas, o crescimento espiritual dos crentes e o suprimento das necessidades.

Se você não sabe para onde está indo seu dinheiro, busque liderança. A contribuição para agradar a Deus vem do coração… Quando olhamos para a igreja primitiva, não vemos debate sobre o dízimo. Por quê? Porque eles pagaram muito mais do que isso!

Portanto, os primeiros cristãos foram reconhecidos por sua generosidade para com a igreja e outros. Muitos desses cristãos generosos são pobres.

Muitas pessoas que abusam do dízimo, tanto de quem pede muito dinheiro como de quem não quer dar nada, vêm do amor ao dinheiro. Isso é muito perigoso! Se o seu dinheiro é mais importante que o reino de Deus, então você está adorando o dinheiro e não a Deus.

O valor dependerá de suas condições, o mais importante é que precisamos amar a Deus mais do que ao dinheiro.

Quem transformou o dízimo em dinheiro?

O dízimo deriva de costumes e crenças muito antigos que transcendem a existência judaica. Essa prática decorre das oferendas oferecidas pelos seguidores de religiões antigas aos próprios deuses.

Claro, naqueles tempos antigos, não se chamava dízimo, dízimo, mas a ideia estava lá. Em muitos grupos étnicos é apenas uma taxa, às vezes cobrada pelo governo. Na verdade, esta é a maior diferença em Israel.

Logo, o décimo é entendido como um presente a Deus, não um imposto pago ao governo. Em todas as outras passagens bíblicas, o dízimo é visto como a resposta de uma pessoa às boas obras de Deus.

Diante disso, é nesse sentido que vemos, por exemplo, que Abraão, depois de receber a bênção de Melquisedeque, quis dar-lhe um décimo do que tinha. Depois de se encontrar com Deus em Betel, Jacó também prometeu dar um décimo de tudo que recebeu de Deus.

Na Torá, Torá, Levítico 27, além do voto voluntário a Deus e da norma referente ao filho primogênito de Deus, o dízimo é prescrito. Nesse versículo é dito que, além do dízimo dos animais, o dízimo dos “grãos da terra” e os “frutos da árvore” devem ser “consagrados ao Senhor”, ou seja, devem ser usados pelo Senhor.

Presentes de comida também podem ser dados em dinheiro. Neste caso, no entanto, o total deve ser aumentado em um quinto, além disso, os animais não podiam ser trocados por dinheiro.

Para quem era destinado o dízimo

A princípio, este é um presente para Deus. Mas, como consta em Números, por escolha de Deus, precisou ser entregue aos levitas (uma tribo que não tinha um pedaço de terra na divisão da Terra Prometida).

Diante disso, essas pessoas, por sua vez, deveriam dar um décimo de sua renda aos sacerdotes que trabalhavam no santuário.

Ademais, as ofertas precisam ser trazidas ao templo. Se a comida apodrecer durante a viagem, você deve levar o equivalente em dinheiro.

No entanto, a cada três anos, o dízimo não é levado ao santuário, mas diretamente ao local onde os levitas moravam e doado aos pobres, estrangeiros, órfãos e viúvas que jantam com eles.

Dízimo é mandamento?

Os dez mandamentos é o nome dado a um conjunto não oficial de leis feitas pelos pastores da Igreja Católica no Brasil para dar o dízimo de acordo com sua interpretação da Bíblia.

Além disso, quanto aos novos nomes a serem dados a eles, ou mesmo se ainda são válidos, há uma incerteza, como o Papa Bento XVI publicou em 2005 nos Cinco Mandamentos da Igreja (não confundir com os Dez Mandamentos da Lei de Deus).

Entretanto, em sua forma atual, o termo “dízimo” do Quinto Mandamento foi removido (“pagar o dízimo de acordo com o costume”), e uma nova redação foi criada atender às necessidades materiais da igreja, a cada de acordo com suas próprias possibilidades.

Conclusão

Diante de tudo isso, concluímos, portanto que o dízimo é gratidão a Deus e partilha com a comunidade. Ao dedicar os dízimos de seus seguidores, a comunidade se torna unida e samaritana.

Logo, a missão da igreja é ajudar as necessidades dos pobres. Sua missão é proclamar um reino de justiça e paz. Como tal, opera em muitos aspectos da organização social.

Ela mantém muitos padres sociais. As dioceses atendem às necessidades das pessoas de mil maneiras. Dízimo, mesmo que não tenha tempo, vontade, carisma e coragem para esse tipo de atividade, mesmo assim é no fundo um profeta, um samaritano, um transformador da realidade.

Porque é através da sua doação que a igreja faz esse tipo de atividade. Como vimos, cada dízimo, pelo simples fato de sua oferta mensal, já é evangelista, cerimonial, pregador e agente do pastor social da igreja.

Dízimo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência na navegação. Mais informações.