1 Reis 13 Estudo: PROFETA DESOBEDECE INSTRUÇÃO

Advertisement

1 Reis 13 relata a história de um profeta anônimo enviado por Deus para repreender o Rei Jeroboão de Israel por seus pecados. O profeta proclama um juízo divino sobre o altar do rei, que se parte e se queima. Impressionado, o rei convida o profeta para uma refeição em sua casa, mas o profeta é instruído por Deus a não comer ou beber em Israel e a voltar pelo mesmo caminho que veio.

No entanto, um velho profeta local o persuade a desobedecer às instruções de Deus, dizendo-lhe que um anjo havia lhe dado uma nova mensagem. O profeta anônimo concorda e vai com o velho profeta para sua casa, onde come e bebe. Enquanto estão lá, o profeta é repreendido pelo Senhor por desobedecer à sua ordem e é informado de que ele será morto e sepultado em uma sepultura diferente da de seus pais.

No caminho de volta para casa, o profeta é atacado por um leão e morto. As pessoas da cidade veem isso como um sinal da palavra do Senhor sendo cumprida. O velho profeta, sabendo do ocorrido, recupera o corpo do profeta anônimo e o sepulta em sua própria sepultura, lamentando a morte do homem de Deus. O capítulo termina com o velho profeta instruindo seus filhos a enterrá-lo no mesmo local que o profeta anônimo quando ele morrer, como um sinal de respeito pela palavra do Senhor que ele tinha falado.

(1 Reis 13:1) O Profeta Divinamente Enviado para Repreender o Rei Jeroboão

A declaração introdutória característica desse relato é literalmente: “E, eis que, um homem de Deus veio/vinha.

Advertisement

Essa fórmula, anunciando a chegada de um homem, pode ocorrer numa nova fase dramática dentro do enredo de um episódio (Nm 25:6), mas pode também abrir uma nova narrativa (1Sm 2:27).

Portanto, esse capítulo poderia ser uma fase dramática na narrativa precedente ou um evento totalmente diferente numa ocasião posterior quando o rei Jeroboão oficiou em um sacrifício.

(1 Reis 13:2-3) A Profecia e o Sinal Divino contra o Altar do Rei

A maldição do profeta foi especialmente insultuosa. O contato com restos mortais humanos era uma das maneiras mais fortes de se contaminar ou profanar algum objeto sagrado.

Essa profecia de que Josias, séculos mais tarde, profanaria esse altar com cadáveres de seus sacerdotes era uma poderosa declaração da rejeição por Deus dessa adoração rebelde.

Como relatado na narrativa posterior, esses cadáveres eram de sacerdotes já mortos, retirados de um cemitério local (2Rs 23:16).

Advertisement

A veracidade da maldição do profeta foi autenticada por um sinal imediato: a ruptura desse altar com o derramamento das cinzas no chão.

Alguns sugerem que a disposição irregular das cinzas sacrificiais invalidavam um sacrifício. Nesse caso, o derramamento das cinzas aqui simboliza a inaceitabilidade dos sacrifícios oferecidos nesse altar.

(1 Reis 13:4-7) O Convite do Rei e a Instrução do Profeta

Deus também, de maneira miraculosa, puniu Jeroboão. A cura imediata de seu braço paralisado como resultado da intercessão do profeta deveria ser outro testemunho para encaminhar Jeroboão à fé e à obediência.

A superficialidade espiritual do rei ficou aparente quando ele fez do sinal miraculoso algo trivial, transformando-o em ocasião para pedir um favor pessoal do profeta.

Em seguida, Jeroboão ofereceu ao profeta uma recompensa, e, dessa forma, tratou Deus como um parceiro de negócio.

(1 Reis 13:8-10) A Recusa do Profeta e sua Obediência a Deus

A firmeza do profeta em sua obediência contrasta com a prontidão de Saul para ceder ao povo (1 Sm 28:23-25) e com a avidez de Geazi para se beneficiar da generosidade de Naamã (2Rs 5:20-27).

Comer pão com Jeroboão poderia ser entendido como retirando o julgamento e endossando o seu reino (1Sm 15:24-31).

Advertisement

(1 Reis 13:11-19) A Tentação do Profeta e sua Desobediência Consequente

A percepção superficial de Jeroboão da santidade de Deus seria igualada por um velho profeta, que vivia em Betel. Esse profeta mentiu ao profeta de Judá, talvez o profeta de Betel desejasse que o profeta de Judá aprovasse o ritual de Betel compartilhando pão com ele.

(1 Reis 13:20-21) A Profecia do Juízo Cumprida pelo Ataque do Leão

Então, ironicamente, enquanto eles comiam, Deus pronunciou Seu julgamento verdadeiro por intermédio do mesmo profeta que momentos antes tinha mentido.

⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:

O julgamento de Deus sobre o profeta desobediente de Judá é outro exemplo de Seu severo juízo neste livro.

(1 Reis 13:23-29) A Consequência da Desobediência: Morte do Profeta e Sepultura pelo Profeta Antigo

Esse relato da morte do profeta está repleto de milagres. O leão não devorou a carcaça nem atacou o jumento. O jumento permaneceu imóvel em vez de correr.

E o leão não ameaçou o profeta idoso quando este veio para retirar o corpo – um ato de nobreza e coragem em contraste com seu engano anterior.

Para os antigos israelitas, deixar de ser sepultado com os de sua própria família era um juízo severo.

(1 Reis 13:30-32) O Lamento pelo Profeta Morto e o Cumprimento da Profecia

O profeta de Judá foi sepultado com honra e respeito, e o profeta idoso reafirmou a verdade da mensagem ao compartilhar seu próprio túmulo com o profeta morto.

(1 Reis 13:33-34) A Lição Aprendida: O Sepultamento do Profeta e o Respeito à Palavra de Deus

Jeroboão trivializou e profanou o ritual sagrado ao assumir o direito de ordenar sacerdotes, e ao fazer isso, perdeu seu pacto com Deus.

Essa segunda declaração de juízo sobre Jeroboão (ver notas nos v. 2-3 e 14:10-11) concentra-se nessa ofensa (cp. 2Rs 17:7-12).

Advertisement
1 reis 13 estudo

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *