Filipenses 1 Estudo: Sofrimentos e Recompensas

Advertisement

Em Filipenses 1, Paulo saudará a Igreja e deixará claro o seu amor por todos eles. Expressará sua alegria pela participação deles em seu sofrimento e os encorajará a perseverar em Cristo, devendo essa ser a atitude de todo cristão. Encorajar os nossos irmãos a permanecer em Cristo e a guardar sua palavra, até que o Senhor volte.

Contexto histórico

Em sua epístola aos filipenses, Paulo incentiva os santos em Filipos e os exorta a permanecerem firmes na fé em união e a trabalharem juntos para defender a fé.

Advertisement

Um dos princípios mais importantes que ensina aos filipenses é que orar a Deus e confiar Nele traz “a paz de Deus, que excede todo o entendimento”.

Ao se empenhar em seguir a Cristo, você também pode ganhar confiança e, assim como Paulo, declarar: “Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece”. Acompanhe a seguir a explicação de todos os versículos de Filipenses 1.



(Filipenses 1:1-4) Apresentação com humildade

v. 1 Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Cristo Jesus que estão em Filipos, com os bispos e diáconos:

v. 2 Graça a vós e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e da do Senhor Jesus Cristo. 
v. 3 Agradeço ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós.
v. 4 Sempre, em cada oração minha por vós, fazendo súplicas com alegria, 

Timóteo estava com Paulo e Silas quando eles plantaram a igreja de Filipos (Atos 16). Servos (Gr. doulos, “escravos”) expressa humildade.

Os santos são os cristãos. Bispos e diáconos (lit.”servos”) indicam uma estrutura de igreja emergente que se desenvolveu por completo nos anos seguintes.

(Filipenses 1:5) Cooperação

v. 5 pela vossa cooperação no evangelho desde o primeiro dia até agora.

Cooperação (lit. “comunhão”) expressa participação, mostrada na oferta que os filipenses mandaram para Paulo (Fp 4:10-20) e no envio de Epafrodito para servi-lo (Fp 2:25).

Desde o primeiro dia mostra a contínua alegria de Paulo por causa destes cristãos, apesar de suas dificuldades iniciais na cidade de Filipos.

(Filipenses 1:9-10) Amor crescente e caráter completo

v. 9 E isto eu oro: que o vosso amor aumente mais e mais em conhecimento e em todo o julgamento.


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)


v. 10 Para que aproveis as coisas excelentes, para que sejais sinceros e sem ofensa alguma até o dia de Cristo, 

Paulo orou pedindo duas coisas: um amor crescente (v. 9) e um caráter completo (v. 10). Amor (Gr. agape) é agir em favor de outra pessoa sem esperar nada em troca.

Conhecimento e julgamento são o meio que nutre e faz crescer o amor. O “conhecimento” é o saber intelectual como proveniente de experiências.

“Julgamento” (lit. discernimento), único na Bíblia, é a sensibilidade moral.o amor enriquecido pelo conhecimento e discernimento moral, leva os cristãos a experimentarem aquilo que real mente importa.

A palavra sinceros enfatiza integridade pessoal; ofensa alguma significa caráter bom que sobrevive a todas as acusações.

(Filipenses 1:11) Frutos da justiça

v. 11 sendo cheios de frutos da justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.

Cheios de frutos da justiça é a maneira pela qual se obtém pureza e irrepreensibilidade. Justiça é o caráter daqueles a quem Deus declara justos.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


(Filipenses 1:12) Tudo coopera pro bem

v. 12 Mas quero que saibais, irmãos, que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho. 

Boa e ruim ao mesmo tempo, a situação de Paulo trouxe progresso para o evangelho. Progresso significava abrir caminho” (p.ex., para um exercito). As circunstâncias de Paulo abriram novas oportunidades para testemunhar do evangelho.

(Filipenses 1:13) Toda situação

v. 13 De maneira que as minhas prisões em Cristo se tornaram conhecidas em todo o palácio, e em todos os demais lugares

A primeira oportunidade de testemunhar do evangelho veio com a guarda do palácio (ver v. 12 e nota), força militar de elite encarregada de proteger o imperador romano e seus interesses.

Como os soldados mudavam de turno,cada um deles ouviu a mensagem de Paulo. As prisões de Paulo eram para Cristo (lit.”prisioneiro de Cristo”). A guarda sabia que Paulo estava preso por causa de seu compromisso com Cristo.

(Filipenses 1:14-17) Divisões

v. 14 E muitos dos irmãos no Senhor, adquirindo confiança com as minhas prisões, estão muito mais corajosos para falar a palavra, sem temor. 

v. 15 Alguns, de fato, até pregam a Cristo por inveja e contenda, e outros também de boa vontade.

v. 16 Uns pregam a Cristo por contenda, não sinceramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões.
v. 17 Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho.

A segunda oportunidade de testemunhar do evangelho veio com a própria igreja. Em resposta à prisão de Paulo, os cristãos se dividiram entre aqueles que o apoiavam e os que se opunham a ele.

A prisão de Paulo gerou entusiasmo renovado para pregar em ambos os grupos, mas o grupo contrário a ele pregava o evangelho por inveja e contenda.

A expectativa deles era aumentar as dificuldades de Paulo, talvez com um veredicto desfavorável em julgamento. A motivação deles era a disputa, querendo acrescentar aflição com tumulto social.

Paulo não diz o que motivou esta rivalidade, mas parece que este grupo contrário achava que o cristianismo precisava de outro porta-voz.

O grupo que apoiava Paulo era motivado por boa vontade e amor. Eles entenderam que Paulo foi escolhido (lit. “colocado”) por Deus para defender o evangelho, principalmente entre os gentios.

Os dois grupos não são identificados. Ambos parecem ter mantido a verdadeira doutrina e proclamado Cristo, apesar de seu tratamento discrepante de Paulo mostrar que até cristãos “certos” podem se comportar de maneira errada.

(Filipenses 1:18) Que Cristo seja pregado

v. 18 Mas que importa? Não obstante, de todo modo, seja na pretensão, seja na verdade, Cristo seja pregado, e nisto me regozijo, sim, e me regozijarei. 

Paulo aceitou a mensagem e o trabalho dos dois grupos. Confiando na soberania de Deus, ele se recusou a condenar motivações erradas já que, no final das contas, Cristo estava sendo pregado.

(Filipenses 1:19) Salvação

v. 19 Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo. 

Paulo continuou otimista. Salvação faz lembrar a atitude de Jó (Jó 13:13-18). Paulo esperava ser inocentado porque naquela época o cristianismo não era ilegal no Império Romano.

Paulo desejava orações, o lado “humano e socorro, a ajuda divina. “Orações” subentende intensa intercessão. Deus responde as orações ajudando (lit. “suprindo”) seus servos com algo que o Espírito Santo provê (recursos) e com Sua própria presença (o “Confortador”).

A gramática deste versículo liga “orações” e “auxílio”, indicando que Paulo dependia de ambas as coisas funcionando juntas.

(Filipenses 1:20) Cristo engrandecido

v. 20 Segundo a minha intensa expectação e esperança, de que em nada serei envergonhado; antes, com toda a ousadia, Cristo será, tanto agora como sempre, engrandecido no meu corpo, seja pela vida, ou pela morte. 

Envergonhado significa encolher-se, fugir da batalha ou ficar desconcertado. Paulo desejava que Cristo fosse engrandecido em seu corpo. O corpo físico simboliza a vida terrena.

Não há como Cristo ser glorificado na terral se não for no corpo. Além disso, Paulo desejava que Cristo também fosse glorificado em sua morte.

(Filipenses 1:21-24) Viver é Cristo e morrer é lucro

v. 21 Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. 

v. 22 Mas, se vivo na carne, isto é o fruto do meu trabalho; não sei, então, o que devo escolher. 

v. 23 Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir e estar com Cristo, o que é muito melhor. 

v. 24 Todavia, permanecer na carne é mais necessário a vós.

O viver é Cristo reafirma o tema do v. 20. Se Paulo continuasse vivendo, cada aspecto de sua vida continuaria a revelar Cristo, o que tornaria sua vida frutífera e proveitosa.

Da mesma forma, sua morte também seria ganho, porque o introduziria na presença de Cristo. Paulo se sentia em aperto (lit. “em um dilema”), sabendo dos benefícios de ambos os lados.

A expressão é mais necessário a vós, nos mostra o coração de servo que Paulo tinha. Uma perspectiva egoísta faria Paulo preferir morrer e receber a glorificação e recompensa, em vez de continuar sua vida e ministério. No entanto, a prioridade de Paulo era que Cristo fosse honrado e glorificado.

(Filipenses 1:27-28) Conversa digna

v. 27 Que a vossa conversa seja digna, conforme o evangelho de Cristo, para que, quer vá e vos veja, quer esteja ausente, ouça acerca de vós que estais num mesmo espírito, com uma só mente, combatendo juntamente pela fé do evangelho. 

v. 28 E em nada vos aterrorizeis pelos vossos adversários, o que para eles, na verdade, é indício de perdição, mas, para vós, de salvação, e isto de Deus.

Conversa… digna (cp. At 23:1) faz alusão à história política de Filipos, lembrando a igreja de sua elevada cidadania (no reino de Deus).

O principal interesse de Paulo, que eles permanecessem em um mesmo espírito, reflete um orgulho militar.

Os exércitos romanos estavam sempre prontos para o combate, independente da força e preparo do inimigo e das distrações tentadoras da cultura. A igreja deve ter essa mesma prontidão.

“Em um mesmo espírito expressa a atitude unida dos cristãos. Com uma só mente significa que os cristãos compartilham a mesma “vida” Juntos, eles não teriam divisões, como Paulo via em Roma (v.14-17).

Permanecer firme envolve “trabalhar lado a lado” (combatendo juntamente). “Combatendo” vem dos jogos esportivos, em que os times competiam por um prêmio.

É a harmonia, e não o individualismo, que alcança os propósitos de Deus. Permanecer firme também envolve não se deixar aterrorizado pelos vossos adversários.

Os soldados usavam o termo “intimidado” para descrever cavalos que podiam ser assustados com facilidade.

(Filipenses 1:29-30) Sofrimento concedido

v. 29 Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, mas também sofrer por ele. 

v. 30 Tendo o mesmo conflito que já tendes visto em mim e, agora, ouvis estar em mim.

Concedido (lit. “por graça”) indica que Deus “agracia” os cristãos com o privilégio de crer e sofrer por ele. Ambos contribuem para a glória de Cristo.

5 importantes lições que podemos aprender em Filipenses 1

  1. A alegria na comunhão com os irmãos: Paulo expressa sua gratidão pela comunhão que tem com os filipenses em Cristo Jesus. Isso nos ensina sobre a importância da comunhão e do apoio mútuo entre os irmãos na fé.
  2. A confiança na obra de Deus: Paulo demonstra confiança de que aquele que começou a boa obra nos filipenses irá completá-la até o dia de Cristo Jesus. Isso nos lembra da fidelidade e do poder de Deus em realizar Sua obra em nossas vidas e na igreja.
  3. A alegria apesar das circunstâncias: Mesmo estando na prisão, Paulo se alegra pelo avanço do evangelho. Isso nos ensina sobre a importância de encontrar alegria e contentamento em Cristo, independentemente das circunstâncias externas.
  4. A importância da oração intercessória: Paulo expressa sua constante oração pelos filipenses, intercedendo por eles com alegria. Isso destaca a importância da oração intercessória na vida do crente e como ela pode fortalecer os laços de amor e comunhão entre os irmãos.
  5. O testemunho através da adversidade: Paulo relata como sua prisão tem servido para o avanço do evangelho, pois muitos têm sido encorajados a pregar com mais coragem e ousadia. Isso nos lembra que até mesmo situações adversas podem ser usadas por Deus para promover Seu reino e encorajar outros na fé.

Conclusão

Paulo nos ensina que em todas as coisas podemos ser usados para pregarmos o evangelho. Seja na alegria, na tristeza, na paz ou nas perseguições, nada deixa de ser instrumento nas mãos de Deus para realizar seus propósitos.

E através dessa aflição, nosso caráter é firmado, nos tornamos corajosos cada vez mais e mais ousados em pregar a palavra em toda e qualquer situação.

Isso nos traz a salvação e não o conforto nessa terra, gera uma herança que é eterna, e não passageira como nossa vivência aqui, neste mundo.

Nossas conversas precisam ser dignas, intencionais, limpas e puras, afim de resplandecermos o caráter daquele que nos chamou e separou para a obra, nos concedendo sofrer com Ele, e sermos glorificados com Ele, aleluia.

Filipenses 1 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *