2 Samuel 22 Estudo: Obras e Livramentos de Deus

Advertisement

Neste capítulo de 2 Samuel 22, expõe um cântico de Davi, feito quando o Senhor o livrou das mãos de Saul e de todos os seus inimigos.

2 Samuel 22 estudo: Contexto histórico

O Senhor permitiu três anos de fome em Israel e, após, revelou a Davi que isso ocorrera em razão de haver culpa de sangue sobre Saul e sua casa, vez que ele havia matado os gibeonitas.

Davi ofereceu uma retratação ao referido povo, os quais rogaram que fossem enforcados, ao Senhor, sete homens da casa de Saul, o que foi concedido, com exceção de Mefibosete.

Dentre os mortos, estavam os filhos de Rispa, a qual cuidava dos corpos para que os animais não se aproximassem.

Advertisement

Sabendo disso, Davi enterrou os ossos deles, bem como buscou os ossos de Jônatas e Saul para, também, enterrar.

Após, Deus voltou a favorecer Israel. Por fim, vemos que os filisteus voltam a guerrear contra os israelitas, porém, eles matam os gigantes daquele povo.



(2 Samuel 22:1) O cântico de Davi

v. 1 E Davi falou ao SENHOR as palavras deste cântico, no dia que o SENHOR o livrou da mão de todos os seus inimigos, e da mão de Saul; 

No dia se refere não a um único dia, mas a um tempo geral no qual Davi compreendeu que o Senhor lhe dera a realeza e o ajudara a subjugar todos os seus inimigos. O cântico é muito semelhante ao Salmo 18, mas possui ênfase maior na adoração pessoal de Davi.

(2 Samuel 22:2) Rocha

v. 2 e ele disse: O SENHOR é a minha rocha, e a minha fortaleza, e o meu libertador;

Advertisement

Rocha denota um rochedo saliente e imovel, e não uma simples pedra. Esta palavra ocorre normalmente na Bíblia para descrever o apoio e a defesa que Deus concede ao Seu povo (1Sm 2:2).

(2 Samuel 22:3) O chifre da minha salvação

v. 3 o Deus da minha rocha; nele confiarei; ele é o meu escudo, e o chifre da minha salvação, a minha torre alta, e o meu refúgio, o meu salvador; tu me salvas da violência. 

 Maria também usou a expressão chifre da minha (“chifre de salvação”) para descrever a obra eu favor (Lc 1:69).



A Bíblia muitas vezes usa de um chifre de animal para simbolizar poder (1Sm 2:1). Violência (Heb. kjarmós) denota a violência injusta (Gn 6:11).

(2 Samuel 22:5) Ondas da morte

v. 5 Quando as ondas da morte me envolveram, as enchentes dos ímpios me fizeram temeroso; 

 Ondas designa grandes arrebentações vindo para a praia. Enchentes se referem a gargantas cheias de águas impetuosas durante a estação chuvosa.

(2 Samuel 22:6) Sheot

v. 6 as aflições do inferno me cercaram; os laços da morte me impediram; 

Advertisement

A palavra inferno (Sheot) ocorre frequentemente em conexão com a morte (Nm 16:33). Davi temeu por sua vida ao fugir de Saul.

(2 Samuel 22:7) A morada de Deus

v. 7 na minha angústia clamei ao SENHOR, e clamei ao meu Deus; e ele, verdadeiramente, ouviu a minha voz desde o seu templo, e o meu clamor verdadeiramente adentrou aos seus ouvidos. 


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


O Templo significa o lugar da morada de Deus – o Seu templo celestial (1Rs 8:27) ou a tenda onde a arca de Deus repousava (1Cr 16:1).

(2 Samuel 22:8-16) O furor de Deus

Davi descreveu o terrível furor de Deus. As imagens pretendem comunicar o caráter aterrador de Sua presença ao ingressar em Seu mundo para intervir em favor de Seu servo Davi.

(2 Samuel 22:18) A força dos inimigos

v. 18 ele me livrou do meu inimigo forte, e daqueles que me odiavam; porque eles eram demasiadamente fortes para mim. 

 Os inimigos de Davi eram demasiadamente fortes para ele, mas não tão fortes para o Senhor.

(2 Samuel 22:19) Um refúgio

v. 19 Eles me impediram no dia da minha calamidade; mas o SENHOR foi o meu repouso.

O Senhor era o repouso de Davi, de modo que o rei podia se apoiar nele em tempos de aflição.

(2 Samuel 22:20) Um lugar amplo

v. 20 Ele também me removeu para um lugar amplo; ele me livrou, porque ele se deleitou em mim. 

Advertisement

De um lugar amplo, Davi podia ver as ameaças dos inimigos enquanto eles ainda estavam bem distantes.

(2 Samuel 22:21) Um Deus galardoador

v. 21 O SENHOR me galardoou segundo a minha justiça; segundo a pureza das minhas mãos ele me recompensou. 

 O Senhor viu a justiça de Davi e o abençoou por ela. O relacionamento de Davi com Deus o fez desejoso de agradar ao Senhor em seu modo de vida.

(2 Samuel 22:22) Davi guardava os caminhos de Deus

v. 22 Porquanto tenho guardado os caminhos do SENHOR, e não me afastei impiamente do meu Deus. 

Tenho guardado, pode também ser traduzido como conservei.

(2 Samuel 22:23) Davi se manteve leal

v. 23 Porque todos os seus juízos estavam diante de mim; e quanto aos seus estatutos, eu não me afastei deles. 

Não me afastei é literalmente “não me desviei”.

(2 Samuel 22:24) O caráter de Davi

v. 24 Eu também fui reto diante dele, e tenho me resguardado da minha iniquidade.

 Reto não significa sem pecado, mas reflete um profundo caráter moral (Gn 6:9).

(2 Samuel 22:26) A misericórdia

v. 26 Com os misericordiosos tu te mostrarás misericordioso, e com o homem reto tu te mostrarás reto.

 Qualidades como misericordioso e reto são características tanto de Deus como de Seus filhos, os quais se tornam mais parecidos com o Senhor conforme crescem em seu relacionamento com Ele (Rm 8:29).

(2 Samuel 22:28) Os olhos do Senhor

v. 28 E ao povo aflito tu salvarás; mas os teus olhos estão sobre os altivos, para que possas derrubá-los.

Derrubá-los é literalmente “abater”

(2 Samuel 22:29) A luz divina

v. 29 Porque tu és a minha lâmpada, ó SENHOR; e o SENHOR alumiará a minha escuridão. 

 Tanto o Senhor quanto Sua Palavra atuam como lâmpada para o Seu povo (Sl 119:105).

(2 Samuel 22:30) A fonte do poder

v. 30 Porque, por ti corri pelo meio de uma tropa; pelo meu Deus saltei por cima de uma muralha. 

 Davi declarou prontamente que o Senhor é a fonte de seu poder (1Sm 17:45-47).

(2 Samuel 22:32) Deus é o Senhor

v. 32 Porquanto, quem é Deus, salvo o SENHOR? E quem é uma rocha, salvo o nosso Deus?

 O próprio Davi respondeu suas duas perguntas retóricas: só Yahweh é Deus. O Senhor é nossa rocha.

(2 Samuel 22:34) Pés como os da corça

v. 34 Ele faz dos meus pés como os pés da corça; e me coloca sobre lugares altos.

A Corça que Davi descreveu possui um andar seguro. Ela é uma figura poderosa do firme fundamento sobre o qual os fiéis repousam.

(2 Samuel 22:43) A vitória de Davi

v. 43 Então, os esmaguei tão pequenos quanto o pó da terra; eu os pisoteei como a lama da rua, e os espalhei ao largo. 

As palavras esmaguei tão pequenos quanto o pó… pisoteei como a lama da rua, e os espalhei ao largo descrevem as vitórias esmagadoras que Davi obteve com a ajuda de Deus (Rm 8:37).

(2 Samuel 22:44) As nações conquistadas

v. 44 Tu também me livraste das contendas do meu povo, tu me guardaste para ser cabeça dos pagãos; um povo que eu não conhecia me servirá. 

A soberania de Davi se estendeu às nações ao seu redor (2Sm 5:17-25).

(2 Samuel 22:46) A popularidade de Davi

v. 46 Estranhos desvanecerão, e, por temor, sairão dos seus lugares fechados.

Rumores da força de Davi fazem com que seus inimigos percam a coragem antes mesmo de o combaterem.

(2 Samuel 22:47) A rocha da salvação

v. 47 O SENHOR vive; e bendita seja a minha rocha; e exaltado seja o Deus da rocha da minha salvação. 

Sobre rocha, ver nota no versículo 2.

(2 Samuel 22:51) A fidelidade de Deus

v. 51 Ele é a torre de salvação para o seu rei; e mostra misericórdia para com o seu ungido, Davi, e para com a sua semente para todo o sempre. 

 Misericórdia também pode ser traduzido como “usa de fidelidade” ou “de amor pactual”. Denota tudo o que vem de Deus para Seus filhos.

Ungido (Heb. mashiach) designava o rei ungido de Deus (1Sm 24:6). Davi, e… a sua semente desfrutariam para todo o sempre das bênçãos de Deus.

Conclusão

Neste capítulo, vemos uma importante característica do rei Davi. Ele salmodiava ao Senhor e oferecia a Ele cânticos de gratidão, exemplo que deve ser seguido por todos os cristãos, para edificação (Efésios 5:28).

O trecho final do salmo entrega a Deus toda a honra pelas conquistas, o que nos faz compreender a razão pela qual Davi fora bem sucedido em seu chamado.

Diferentemente de Saul, ele compreendia que o mérito de suas vitórias pertencia, exclusivamente, a Deus, o qual, ele mesmo reconhece, era seu rochedo e sua força. Com o Senhor, Davi podia desbaratar exércitos e saltar muralhas!

Noutro trecho, vemos que Davi traz a importante lição de que Deus recompensa cada um por sua obediência e por seus atos de justiça.

Embora o apóstolo Paulo nos ensine que a salvação não nos é dada por boas obras, mas pela graça divina (Efésios 2:8-9), aprendemos, todavia, que a fé sem as obras é morta (Thiago 2:17).

Ademais, as escrituras, ainda, nos ensinam que nossas vestes espirituais estão sendo tecidas por nossos atos de justiça (Apocalipse 19:8).

Assim, podemos compreender que, embora as obras não nos salvem, elas não deixam de ser imprescindíveis, pois nos geram recompensas eternas e sua ausência denuncia falta de fé.

2 Samuel 22 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *