Atos 21 Estudo: Paulo Chega em Jerusalém

Neste capítulo de Atos 21 estudo, veremos que nossa história continua com Paulo em direção à Jerusalém, ele visitará várias as igrejas no caminho até lá, fortalecendo suas comunidades, entregando palavras de fé e boas novas da graça de Jesus, testemunhando toda a obra redentora feita nas nações as quais visitou, as multidões que foram salvas e abençoadas, sejam elas de judeus ou gentios, o evangelho chegou a vários lugares, conta Paulo.

Em Cesareia, eles se hospedarão na casa de Filipe, homem fiel e temente a Deus, que tinha quatro filhas solteiras que eram as profetizas da cidade.

Advertisement

Logo após, chegando na Judeia, um profeta chamado Ágabo, com o cinto de Paulo nas mãos, profetiza todo o sofrimento que ele sofrerá em Jerusalém, sendo caçado pelos judeus e entregue nas mãos dos romanos. Mas, veremos que Paulo está pronto, não só para sofrer como para morrer em nome de Jesus.

Chegando em Jerusalém, ao aparecer na cidade, judeus da Ásia incitam a multidão contra ele e espancando-o, chamam a atenção do tribuno que administrava aquela região, levando-o a confundir Paulo com um rebelde egípcio famoso na época. Paulo pede a palavra como cidadão romano, e falará perante todos.

Advertisement

Atos 21 estudo: Contexto histórico

Vimos que Paulo ressuscitou Êutico da morte, o jovem que assistia o discurso de Paulo no segundo piso e, adormecendo, veio a cair e se dar achado como morto.

Paulo diz estar livre do sangue de todos os homens por todo o seu trabalho executado de forma zelosa e obediente e prevendo a apostasia da Igreja disse que lobos e homens perversos se levantariam para enganá-los.


Você ler a Bíblia todos os dias mas Não consegue Entender a Mensagem de Deus? Clique Aqui e venha Estudar Teologia Conosco de Maneira Fácil e Descomplicada! 📖


Através de um ensinamento de Jesus ele deixa o seguinte ensinamento: mais bem-aventurado é dar do que receber.

Houve choro e lamento no seu discurso de despedida, pois ele já havia recebido do Espírito Santo o que lhe aconteceria em Jerusalém.

(Atos 21:1) Paulo continua sua viagem

v. 1 E aconteceu que, partindo deles, navegando em curso reto, chegamos a Cós e, no dia seguinte até Rodes, e dali para Pátara;

Advertisement

De Éfeso, a viagem de navio continuou, via Cós, para Rodes e Pátara. Essa é a terceira seção “nós” em Atos (ver nota em At 16:10). Ela se estende até v:18.

(Atos 21:2-3) Um navio para Fenícia

v. 2 e, encontrando um navio que ia para a Fenícia, embarcamos nele e partimos. 

v. 3 E, avistando a Chipre, deixando-a à esquerda, navegamos para a Síria e chegamos a Tiro; porque o navio descarregaria sua carga ali.


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)


As embarcações mais comuns singrando o Mediterrâneo eram navios graneleiros do Egito, que seguiam para o restante do império romano (mas, em especial, para Roma).

(Atos 21:4) Não vá para Jerusalém!

v. 4 E, tendo encontrado os discípulos, permanecemos ali por sete dias; os quais, diziam a Paulo, pelo Espírito, para que ele não subisse para Jerusalém. 

 Alguns cristãos de Tiro tinham recebido, da parte do Espírito Santo, a mesma mensagem que Paulo revelou em Éfeso: Paulo teria transtornos em Jerusalém (At 20:22-23).

Advertisement

(Atos 21:5-6) Os discípulos se despedem de Paulo

v. 5 E, havendo passado ali aqueles dias, saímos e seguimos nosso caminho, e todos eles nos acompanharam, com esposas e filhos, até estarmos fora da cidade. E, tendo-nos ajoelhado na praia, oramos. 

v. 6 E, despedindo-nos uns dos outros, subimos ao navio; e eles retornaram para casa novamente. 

A despedida dos cristãos de Tiro foi muito parecida à despedida de Mileto e dos anciãos de Éfeso (At 20:37-38). Eles sabiam que Paulo ia enfrentar problemas ainda mais graves.


⚠️ E-book Grátis para Pregadores ⚠️:


(Atos 21:7-8) Paulo na casa de Filipe

v. 7 E quando finalizamos o nosso percurso desde Tiro, viemos a Ptolemaida; e, saudando os irmãos, permanecemos um dia com eles.

v. 8 E no dia seguinte, nós que estávamos na companhia de Paulo partimos e chegamos a Cesareia; e, entrando na casa de Filipe, o evangelista, que era um dos sete, permanecemos com ele. 

Advertisement

Filipe, o evangelista, provavelmente era assim chamado para distingui-lo de outros com o mesmo nome. Ele foi um dos escolhidos para servir na igreja de Jerusalém (ver nota em At 6:5-6).

Filipe, por fim, fixou-se com suas filhas em Cesareia. Alguns acreditam que ele podia ser um dos Doze originais (Mt 10:3). Mas ele, no entanto, é claramente identificado como um dos sete.

(Atos 21:9) As filhas profetizas

v. 9 E este mesmo homem tinha quatro filhas virgens, que profetizavam.

A palavra virgens indica que as filhas de Filipe eram jovens e solteiras.

Advertisement

(Atos 21:10-11) A profecia de Ágabo

v. 10 E, demorando-nos ali por muitos dias, desceu da Judeia um certo profeta, por nome Ágabo. 

v. 11 E, vindo ter conosco, tomando o cinto de Paulo, e amarrando as suas próprias mãos e pés, disse: Isto diz o Espírito Santo: O homem ao qual pertence este cinto, assim será amarrado em Jerusalém pelos judeus, e será entregue nas mãos dos gentios. 

 Ágabo (ver nota em At 11:28) declarou explicitamente que Paulo cairia em mãos hostis em Jerusalém. Como veio a acontecer (At 21:30-36), Paulo foi resgatado das mãos dos judeus pelos gentios e, em seguida, permaneceu nas mãos dos gentios pelo restante do livro de Atos.


Domine a Arte de Elaborar e Pregar Sermões Expositivos, Temáticos e Textuais, para Ensinar com Profundidade, Clareza e Fidelidade as Escrituras!
(Clique Aqui e Confira)


(Atos 21:12) Os discípulos querem livrá-lo

v. 12 E quando ouvimos estas coisas, tanto nós quanto os do lugar, rogamos-lhe que não subisse para Jerusalém.

Com uma profecia assim tão explícita, não é de surpreender que os companheiros de viagem de Paulo e o povo dali rogassem-lhe para que não subisse para Jerusalém.

(Atos 21:13) Estou pronto para morrer!

v. 13 Então Paulo respondeu: Por que chorais e quebrantais o meu coração? Porque eu estou pronto não somente para ser preso, mas também para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus. 

Advertisement

 Paulo já tinha considerado o custo da obediência e decidido que isso era conveniente.

(Atos 21:14) A vontade do Senhor seja feita!

v. 14 E, como não podíamos persuadi-lo, nos aquietamos, dizendo: A vontade do senhor seja feita. 

No final das contas, a única resposta apropriada para um cristão é aquela que os companheiros de Paulo afirmaram: A vontade do Senhor seja feita. Um dos principais temas do livro de Atos é a realidade simultânea da escolha humana e da soberana vontade divina (ver nota em At 2:23).


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


(Atos 21:15-16) Eles sobem para Jerusalém

v. 15 E depois destes dias, arrumamos nossas bagagens e subimos para Jerusalém.
v. 16 E foram também conosco certos discípulos de Cesareia, levando consigo um certo Mnasom, de Chipre, discípulo antigo, com o qual ficaríamos hospedados.

Mnasom era um cristão natural de Chipre que, provavelmente, fora salvo durante a primeira viagem missionária. Mnasom podia ser uma forma helenizada de um nome judaico, ou Mnasom podia ser um gentio.

Advertisement

(Atos 21:17) São recebidos de boa vontade

v. 17 E, chegando a Jerusalém, os irmãos nos receberam de boa vontade.

Os irmãos que receberam Paulo e seus amigos eram, provavelmente, Mnasom e seus companheiros.

(Atos 21:18) Paulo e Tiago

v. 18 E no dia seguinte Paulo foi conosco até Tiago, e todos os anciãos estavam presentes.

Tiago é identificado como o líder da igreja de Jerusalém, juntamente com um grupo de anciãos. Não está claro quantos dos apóstolos originais ainda estariam em.

Advertisement

Jerusalém, no entanto, eles não aparecem nos eventos que seguem. Esse versículo assinala o fim da seção “nós”.

(Atos 21:19) Os feitos através de Paulo

v. 19 E, tendo-os saudado, declarou-lhes particularmente as coisas que Deus fizera entre os gentios por seu ministério.

Como havia feito em seu último e importante encontro em Jerusalém (At 15:4), ele relatou a Tiago e aos anciãos da igreja o que Deus havia feito entre os gentios através do seu ministério.

Esse era um acompanhamento apropriado dado ao conselho original de Jerusalém (ver nota’em At 15:2).

Advertisement

(Atos 21:20) A obra é feita de forma zelosa

v. 20 E, ouvindo-o eles, glorificaram ao Senhor e disseram-lhe: Vês, irmão, os milhares de judeus que têm crido, e todos são zelosos da lei; 

Tendo ouvido o relato de Paulo a respeito daquilo que Deus havia feito “entre os gentios” (v. 19), a liderança de Jerusalém se alegrou, mas também respondeu com algo

parecido com a arte de tomar a dianteira. A menção de muitos milhares de judeus convertendo-se em Jerusalém era provavelmente um exagero, pois a cidade tinha uma população entre 25.000 e 50.000.

Em questão nesse vaivém entre os líderes de Jerusalém e Paulo (ministro para os gentios) está o papel da lei na fé cristã; por isso a ênfase em cristãos judeus que são zelosos da lei.

Talvez essa resposta também representasse uma tentativa dos cristãos de Jerusalém para fortalecer sua posição, pois viam que, o centro da igreja deslocava-se para os cristãos gentios.

Advertisement

(Atos 21:21-22) Os ensinamentos de Paulo

v. 21 e eles foram informados acerca de ti, que tu ensinas todos os judeus que estão entre os gentios para abandonarem Moisés, dizendo que eles não devem circuncidar seus filhos, nem andar segundo nossos costumes.

v. 22 Que faremos, pois? A multidão necessita reunir-se; porque eles ouviram que tu chegaste.

Os rumores diziam que Paulo ensinava os judeus que estavam dispersos entre os gentios a desconsiderar a lei mosaica e rituais tradicionais dos judeus como a circuncisão.

Para se descartar esses temores, os irmãos propuseram uma solução que absolveria Paulo dessas acusações (v. 23-24).

(Atos 21:23-24) A proposta dos anciãos

v. 23 Faze, pois, isto que te dizemos: Nós temos quatro homens que têm um voto sobre eles;

v. 24 toma estes contigo, e purifica-te com eles, e paga seus gastos para que se raspem a cabeça, e todos ficarão sabendo que as coisas de que foram informados acerca de ti não são nada, mas que tu também andas ordenadamente, guardando a lei. 

 Essa proposta não sugere, de modo algum, que as obras da lei são necessárias à salvação, o que seria fundamentalmente uma contradição à pregação paulina do evangelho (Rm 3:20).

(Atos 21:25) Tiago cede as pressões

v. 25 Mas, quanto aos que creram dentre os gentios, nós escrevemos e concluímos que eles não observem tal coisa, mas que só se guardem das coisas oferecidas aos ídolos, e do sangue, e do estrangulado, e da fornicação. 

Sobre o conselho de Jerusalém, ver notas em At 15:21. O problema sobre o qual escreveram aos gentios havia sido resolvido muito tempo antes, e aquilo que Paulo tinha, ou talvez não, encorajado os judeus que viviam entre os gentios a fazer não seria esclarecido pela proposta dos versículos 23-24.

Tiago estava, aparentemente, cedendo às pressões dos cristãos judeus em Jerusalém. Por fim, sua proposta produziu efeitos indesejados (v. 27).

(Atos 21:26) Paulo se purifica

v. 26 Então, Paulo tomando os homens, no dia seguinte se purificou com eles e entrava no templo para informar do cumprimento dos dias da purificação, até que foi oferecida a oferta por cada um deles.

 É um tanto surpreendente que Paulo tenha concordado em realizar o ritual de purificação. Talvez o apóstolo tenha pressentido que isso fazia parte do plano geral de Deus, do qual ele estava parcialmente informado (At 20:22-23).

(Atos 21:27) Os judeus da Ásia incitam contra Paulo

v. 27 Quando os sete dias estavam para se cumprir, os judeus que eram da Ásia, vendo-o no templo, alvoroçaram todas as pessoas e lançaram mão dele, 

 Não há nenhuma indicação de que os judeus da Ásia fossem cristãos.

(Atos 21:28-29) A acusação

v. 28 gritando: Homens de Israel, socorro! Este é o homem que por todas as partes ensina a todos homens contra o povo, a lei e este lugar! E além disso trouxe os gregos para dentro do templo, e profanou este santo lugar. 

v. 29 (Porque tinham visto com ele na cidade a Trófimo, um efésio, supondo que Paulo o tivesse conduzido para dentro do templo).

Trófimo, um efésio, acompanhou Paulo a Jerusalém (At 20:4). É improvável que o apóstolo tivesse introduzido Trófimo no templo. Afinal, Paulo estava no “processo de cumprir a lei judaica, e não de ignorá-la ou” exibi-la.

Mesmo que a acusação fosse verdadeira, o culpado teria sido, segundo a lei, Trófimo, e não Paulo, como” declarada nas inscrições do templo.

(Atos 21:30) Paulo é tomado e arrastado

v. 30 E toda a cidade ficou agitada, e as pessoas corriam juntas; e, eles tomando Paulo, o arrastaram para fora do templo, e imediatamente fecharam-se as portas.

 Paulo foi tomando e o arrastaram para fora do templo, em seguida as portas foram fechadas e ele foi deixado na área externa do templo.

(Atos 21:31-32) O tribuno toma ciência da situação

v. 31 E, enquanto eles iam para matá-lo, a notícia chegou até o tribuno da coorte, que Jerusalém inteira estava alvoroçada.

v. 32 O qual, imediatamente, tomando consigo soldados e centuriões, correu até eles. E, quando viram o tribuno e os soldados, eles pararam de ferir a Paulo. 

Assim que a multidão isolou Paulo, tentaram matá-lo. Soldados romanos estavam em seus postos na fortaleza Antônia, no lado noroeste do monte do templo. Uma de suas principais tarefas era reprimir distúrbios como esse.

(Atos 21:33-36) Paulo é carregado

v. 33 Então, aproximando-se o tribuno, o tomou, e o mandou atar com duas correntes, e lhe perguntou quem ele era e o que tinha feito. 

v. 34 E, entre a multidão, uns clamavam de uma maneira; outros, de outra; e quando ele não podia saber a certeza para o tumulto, ele ordenou que fosse levado para a fortaleza.

v. 35 Mas, chegando às escadas, aconteceu dele ser carregado pelos soldados, devido à violência da multidão. 

v. 36 Porque a multidão do povo o seguia gritando: Fora com ele!

Mesmo com os soldados a protegê-lo, Paulo precisou ser carregado enquanto a multidão pressionava para matá-lo. Felizmente, a fortaleza ficava ali perto.

(Atos 21:37-38) Paulo fala com o tribuno

v. 37 E, quando iam conduzindo Paulo para a fortaleza, ele disse ao tribuno: Eu posso falar contigo? E ele disse: Tu consegues falar grego?

v. 38 Não és tu aquele egípcio que antes destes dias fez um alvoroço e levou ao deserto quatro mil homens que eram assassinos?

Paulo pediu permissão para falar. Seu uso do grego surpreendeu o “tribuno romano (“Cláudio Lísias”, At 23:26). Lísias confundiu Paulo com um egípcio rebelde.

O historiador judeu Josefo disse que esse rebelde, um pretendente messiânico, reuniu muita gente no monte das” Oliveiras para atacar Jerusalém em 54 d.C.

O grupo foi desbaratado pelos romanos, mas o líder escapou. Lísias suspeitou inicialmente que Paulo representasse o retorno desse homem.

(Atos 21:39) O pedido do romano Paulo

v. 39 Mas Paulo lhe disse: Eu sou um homem judeu cidadão de Tarso, da Cilícia, cidade não insignificante, e peço-te que me permitas falar ao povo. 

 O fato de Paulo ser um cidadão de Tarso, cidade importante no mundo greco-romano, explicava o seu conhecimento do grego.

(Atos 21:40) Paulo discursa ao povo em hebraico

v. 40 E quando lhe deram permissão, Paulo, de pé nas escadas, acenou com a mão ao povo; e, feito um grande silêncio, falou-lhes em língua hebraica, dizendo: 

Ainda que o texto diz em língua hebraica, é provável que Paulo tenha falado em aramaico à multidão, a fim de se comunicar claramente com os judeus.

O aramaico tornou-se o novo hebraico, por assim dizer, entre o povo judeu após o exílio. Nos dias de Paulo, o hebraico era usado apenas pela elite religiosa.

Conclusão

Concluindo mais um capítulo dos atos dos apóstolos, vimos a saga de um homem que foi transformado pela poderosa mão de Jesus. Paulo não se importa mais com sua integridade física, mas mantém sua mente focada na missão que lhe foi dada e fará tudo para cumpri-la.

O Espírito Santo o conduz até Jerusalém, onde sabe que será perseguido, preso, castigado, mas mesmo assim, com fé e bom ânimo, vai de cidade em cidade, visitando seus irmãos e filhos na fé, os fortalecendo e chancelando em seus corações tudo o que Jesus já fez em suas viagens missionárias.

Quando ele diz que está pronto, não só para sofrer (o que já vem acontecendo, várias vezes) mas como morrer pelo nome de Jesus, ele nos ensina que essa é a grande vitória da vida do cristão.

Jesus disse: quem quiser salvar a sua vida, que a entregue. Que possamos entregar nossa vida como um sacrifício vivo diante de Deus, assim como Paulo o fez. Que grande exemplo! Mas ele ainda falará a seus irmãos.

Atos 21 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *