Gálatas 1 Estudo: O Falso Evangelho

Advertisement

Neste capítulo de Gálatas 1 estudo, veremos que a epístola de Paulo aos gálatas foi escrita aos cristãos que estavam se afastando do Senhor, seguindo e confiando nas obras da lei de Moisés.

O Apóstolo então, procurou corrigir esse problema enfatizando a diferença entre o pesado julgo da lei, que levava à uma escravidão espiritual, e o fardo leve do evangelho de Cristo, que levava à liberdade do espírito.

Essa epístola nos ajudará a apreciar melhor a liberdade que alcançamos por meio de Jesus, nosso Senhor.

Gálatas 1 estudo: Contexto histórico

Gálatas chama atenção como a carta mais fervorosa escrita e inspirada através da vida de Paulo, dirigindo severa repreensão, tanto aos membros da Igreja que estavam se afastando quanto aos falsos ministros que os desencaminhavam.

Advertisement

Esta epístola contém também a primeira apresentação escrita a respeito da doutrina da justificação, que ensina que não somos justificados pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus. A epístola também contrasta “as obras da carne” com “o fruto do Espírito”.

(Gálatas 1:1) Paulo, apóstolo

v. 1 Paulo, apóstolo (não de homens, nem por algum homem, mas por Jesus Cristo, e por Deus o Pai, que o ressuscitou dentre os mortos);



Paulo se referiu a si mesmo como apóstolo para declarar que sua autoridade para tratar dos problemas nas igrejas da Galácia vinha de Deus, não de homens.

(Gálatas 1:2) Igrejas da Galácia

v. 2 e todos os irmãos que estão comigo, às igrejas da Galácia:

Paulo se referiu a todos os irmãos que estão comigo para mostrar que, dificilmente, ele estava sozinho nas opiniões que expressou em sua carta. A expressão às igrejas da Galácia indica que essa carta era para ser lida em diversas congregações, tal como o livro de Apocalipse “(Ap 1:4).”

Advertisement

(Gálatas 1:3) Graça e Paz

v. 3 Graça seja a vós e paz da parte de Deus o Pai, e de nosso Senhor Jesus Cristo,

A graça é mencionada no início e no final de todas as cartas de Paulo no Novo Testamento. Paz (Gr. eirene) traduz shalom, a saudação hebraica tradicional.

(Gálatas 1:4) A mensagem do evangelho

v. 4 o qual se deu por nossos pecados, para que pudesse nos livrar do presente mundo maligno, conforme a vontade de Deus e nosso Pai:



Junto com a ressurreição, a morte redentora de Cristo é o coração da mensagem do evangelho (1Co 15:1-4).

Paulo enfatizou tanto a morte quanto a ressurreição de Cristo no início de Gálatas para começar a frustrar a mensagem que eles tinham ouvido recentemente, a qual afirmava que a salvação vinha pelas “prática da lei” (Gl 2:16).

Nos livrar do presente mundo maligno antecipa o ser redimido da “escravidão” aos “princípios elementares “do mundo” por meio de Cristo (Gl 4:3-4), e apresenta previamente a linguagem da “nova criatura” em Gl 6:15.

(Gálatas 1:5) Glória para sempre

v. 5 A quem seja a glória para sempre e sempre. Amém.

Advertisement

Uma questão fundamental entre as visões antagônicas do evangelho (salvação pela graça vs. salvação pelas obras) tem a ver com quem recebe a glória.

A salvação pelas obras fornece base para uma pessoa “se gloriar” (Ef 2:9), enquanto o reconhecimento da imerecida graça de Deus motiva o cristão a dar somente a Deus a glória para sempre e sempre.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


(Gálatas 1:6-7) Repreensão de Paulo

v. 6 Admiro-me de que tão breve vos desviastes daquele que vos chamou para a graça de Cristo para um outro evangelho,
v. 7 o qual não é um outro; entretanto, há alguns que vos perturbam, e querem perverter o evangelho de Cristo.

O versículo 6 é abrupto. Paulo se admira da atitude dos gálatas de abandonar o evangelho da graça. Rejeitar a mensagem do evangelho é o mesmo que rejeitar o próprio Deus.

Depois que Paulo deixou a Galácia, os gálatas pensaram ter ouvido e seguido outro evangelho que parecia melhor, mas que, na realidade, não era o verdadeiro evangelho.

(Gálatas 1:8-9) Um único evangelho

v. 8 Porém, ainda que alguém, nós ou um anjo do céu, vos pregasse algum outro evangelho além do que vos pregamos, que seja ele amaldiçoado.

v. 9 Como já vo-lo dissemos, digo-vos agora novamente, se algum homem pregar-vos algum outro evangelho além do que recebestes, que ele seja amaldiçoado.

A pureza do evangelho é tão importante que até os apóstolos, ou um anjo, deveriam ser eternamente amaldiçoados (Gr. anathema) no caso de o adulterarem.

(Gálatas 1:10) Agrado a Cristo, não a homens

v. 10 Pois, persuado eu agora a homens ou a Deus? Ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não deveria ser servo de Cristo.

Advertisement

As palavras persuado… a homens e agradar a homens antecipa a atitude temporária de Pedro não “andando corretamente segundo a verdade do evangelho” (Gl 2:14) para agradar a delegação de Jerusalém (Gl 2:12).

(Gálatas 1:11-12) O meu evangelho Jesus revelou

v. 11 Mas asseguro-vos, irmãos, que o evangelho que foi pregado por mim, não é segundo o homem.
v. 12 Porque eu nem o recebi de homem, nem mo ensinaram, porém mediante a revelação de Jesus Cristo.

Paulo não disse quando lhe veio a revelação da parte de Jesus Cristo, contudo “revelar seu Filho em mim no versículo 16 pode indicar que ela estava relacionada à sua conversão na estrada de Damasco (At 9:1-9).

(Gálatas 1:13-14) Um judeu mais zeloso e dedicado

v. 13 Porque ouvistes minhas conversas anteriormente sobre quando eu vivia no judaísmo, como excessivamente eu perseguia a igreja de Deus, e a assolava.

v. 14 Superava na religião judaica a muitos dos meus companheiros na minha própria nação, sendo mais excessivamente zeloso das tradições de meus pais.

Paulo comunicou três coisas aos seus leitores:

  1. No judaísmo, ele tinha superado em muito aqueles que tinham distorcido o evangelho,
  2. Ele era muito mais zeloso das tradições judaicas que esses falsos mestres, e
  3. Ironicamente, o zelo e o progresso de Paulo no judaísmo o levaram a perseguir a igreja antes de sua conversão.

(Gálatas 1:15) Deus me separou

v. 15 Mas quando aprouve a Deus, que me separou desde o ventre de minha mãe, e me chamou pela sua graça,

A expressão Deus, que me separou desde o ventre de minha mãe, e me chamou soa como Is 49:1, que se refere ao Servo messiânico, e Jr 1:5, que se refere ao profeta Jeremias.

Paulo sabia que seu chamado tanto para a salvação como para o apostolado eram imerecidos (Rm 1:5).

(Gálatas 1:16-17) Jesus revelou-se em Paulo

v. 16 revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios; imediatamente não consultei carne e sangue,

v. 17 nem subi a Jerusalém para os que eram apóstolos antes de mim; mas parti para a Arábia, e outra vez retornei a Damasco.

Sobre revelar o seu Filho em mim, ver nota nos versículos 11-12. Sobre o chamado de Paulo para anunciar Cristo entre os gentios, ver At 9:15.

Após sua conversão (At 9:3-9), Paulo não sentiu qualquer compulsão para viajar imediatamente de Damasco a Jerusalém para consultar aqueles que eram autoridades no evangelho. Ele foi para a Arábia (ver 2Co 11:32-33) e, em seguida, voltou para Damasco.

(Gálatas 1:18) Após 3 anos, Paulo se encontra com Pedro

v. 18 Então, depois de três anos, subi a Jerusalém para ver Pedro, e permaneci com ele por quinze dias.

Por causa da maneira como o tempo era contado no tempo de Paulo, não dá para saber se os três anos nesse versículo dizem respeito a três anos completos do calendário ou um ano mais partes de outros dois anos. Também não se sabe se os três anos são contados a partir:

  1. Da conversão de Paulo (v. 15-16),
  2. De sua partida para a Arábia (v. 17], ou
  3. De seu retorno da Arábia para Damasco (v. 17).

Sua viagem a Jerusalém foi para conhecer o apóstolo Pedro (o equivalente grego do aramaico Cefas, que significa “pedra”; Mt 16:18).

Se houvesse diferença entre Paulo e Pedro sobre a mensagem do evangelho, elas teriam aparecido durante essa visita.

(Gálatas 1:19) Tiago, irmão de Jesus

v. 19 Mas dos outros apóstolos não vi nenhum, exceto Tiago, irmão do Senhor.

Tiago, o irmão de Jesus (Mt 13:55 – Tg 1:1), não é listado em parte alguma como um dos 12 apóstolos (ou seja, dos 11, sem Judas Iscariotes, que foi substituído por Matias; At 1:23-26).

Entretanto, por ter estado no cenáculo antes do Pentecoste (At 1:13-14) e ser o pastor mais veterano na igreja de Jerusalém (ver At 15:13), Tiago era considerado como sendo virtualmente um “apóstolo”.

(Gálatas 1:20) Perante Deus

v. 20 Ora, acerca das coisas que vos escrevo, digo perante Deus que não minto.

Caso alguém na Galácia duvidasse que, no passado, Paulo tivesse tido uma discussão harmoniosa com Pedro e, possivelmente, com Tiago, sobre sua mensagem do evangelho, ele afirma solenemente nesse versículo que esse episódio de fato aconteceu.

(Gálatas 1:22) Eu era desconhecido

v. 22 Era, porém, desconhecido de vista às igrejas da Judeia, que estavam em Cristo.

O fato de Paulo ser desconhecido de vista às igrejas da Judeia concorda com o silêncio a seu respeito em Atos, desde quando ele foi para Tarso (At 9:30) até Barnabé ir lá buscá-lo para que ele se envolvesse com a igreja em Antioquia da Síria (At 11:25-26).

(Gálatas 1:23-24) Glorificam pelo que Deus fez

v. 23 Porém, só ouviram dizer que aquele que nos perseguia no passado prega agora a fé que outrora destruía.

v. 24 E glorificavam a Deus por mim.

Uma vez que as igrejas da Judeia glorificavam a Deus por Paulo estar pregando a fé que antes procurava destruir, está claro que elas não discordavam do evangelho que ele pregava.

Conclusão

Em Gálatas 1, Paulo começa a revelar o propósito de sua epístola: combater os falsos ensinos, que estavam perturbando os cristãos da Galácia. Ele chama a atenção, sobre o fato dos Gálatas terem se desviado do evangelho.

Ele fundamenta o valor da sua pregação no milagre de sua conversão: sendo um grande perseguidor do Evangelho e passou a defendê-lo após um encontro fantástico com Cristo.

Enfim, há muitas denominações e muitos nomes anunciando o evangelho e precisamos, mais do que antes, tomar o cuidado para não acabar em uma armadilha do Diabo.

É nossa obrigação investir em oração e na Palavra, a salvação é individual e cada um dará conta de si, não podendo argumentar que fomos enganados.

Gálatas 1 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *