1 Samuel 30 Estudo: Davi Fere aos Amalequitas

Advertisement

Neste capítulo de 1 Samuel 30, veremos que chegando Davi a Ziclague, verificou que os amalequitas haviam atacado a cidade, de modo que levaram cativas todas as mulheres e crianças, além de despojá-los, porém, sem matar ninguém.

Os homens pratearam muito e passaram a desejar apedrejar a Davi. Davi, no entanto, se reanimou no Senhor. Após, consultou a Deus, o qual o orientou a ir atrás dos amalequitas, vez que os alcançaria e tudo lhe seria restituído.

Assim Davi o fez. Saiu com os seiscentos homens, no entanto, duzentos ficaram junto ao ribeiro de Besor, pois estavam cansados e já não conseguiam prosseguir.

Os homens encontraram um egípcio que, após chegarem a um acordo, acabou os informando a localização daqueles amalequitas.

Advertisement

Ao encontra-los, Davi os feriu e restituiu tudo que havia sido tomado, além de despojá-los. Depois retorna aos duzentos homens que haviam ficado junto ao ribeiro, acima mencionado, porém as escrituras relatam que os filhos de Belial, que estavam dentre os homens que haviam pelejado com Davi, o instaram a não repartir os despojos com aqueles que haviam ficado, devendo lhes ser concedido apenas retornarem com suas mulheres.

Davi os repreende, aduzindo que aqueles que haviam ficado para cuidar da bagagem teriam a mesma parte que aqueles que haviam descido a peleja.

Isso acabou sendo estabelecido como estatuto para os israelitas, dali em diante. Por fim, Davi reparte os despojos com os anciãos de Judá.

1 Samuel 30 estudo: Contexto histórico

No capítulo anterior os príncipes filisteus, ao verem Davi saindo, juntamente com eles, à peleja, contra Israel, questionam ao rei Aquis a razão dele estar participando daquele momento.

Aquis, então, expressa a lealdade de Davi, contudo, mesmo assim, os reis visualizaram uma possibilidade de Davi se reconciliar com seu povo, se rebelando contra os filisteus. Aquis, então, o manda retornar e, após relutar um pouco, ele obedece.

Advertisement

(1 Samuel 30:1) Ziclague

v. 1 E sucedeu, quando Davi e os seus homens haviam chegado a Ziclague, no terceiro dia, que os amalequitas haviam invadido o sul e Ziclague, e ferido a Ziclague, e a queimaram com fogo; 

Sobre Ziclague, ver nota em 1Sm 27:6. A cidade ainda estava sob o controle dos filisteus (1Sm 29:11). Os amalequitas a quem Saul deveria ter destruído (1Sm 15:1-3), tinham atacado o sul (região de Neguebe) e incendiado a cidade.

(1 Samuel 30:2) Sobre o ataque amalequita

v. 2 e haviam levado cativas as mulheres que nela estavam: eles não mataram nenhuma delas, nem grande, nem pequena, mas as tomaram, e prosseguiram no seu caminho. 

 Embora Saul tenha praticamente destruido os ama lequitas (1Sm 15:7-9), eles não retaliaram em espécie. Antes, haviam levado cativas as mulheres que nela estavam.

(1 Samuel 30:5) A captura das esposas de Davi

v. 5 E as duas esposas de Davi foram levadas cativas: Ainoã, a jezreelita, e Abigail, a esposa de Nabal, o carmelita. 

As duas esposas de Davi não escaparam ao ataque amalequita, de modo que ele compartilhou pessoalmente a tristeza que os outros experimentaram.

(1 Samuel 30:6) A angustia de Davi e seus homens

v. 6 E Davi ficou mui angustiado; pois o povo falou em apedrejá-lo, porque a alma de todo o povo estava aflita, cada homem por causa dos seus filhos e suas filhas; Davi, porém, animou-se no SENHOR, seu Deus.

Advertisement

 A dor dos soldados por causa da perda dos seus filhos e de suas filhas levou alguns a acusarem Davi pelos seus problemas. Entretanto, Davi animou-se no SENHOR, seu Deus, um testemunho de sua fé em tempos difíceis.

(1 Samuel 30:7) Abiatar

v. 7 E Davi disse a Abiatar, o sacerdote, filho de Aimeleque: Rogo-te que me traga aqui o éfode. E Abiatar trouxe o éfode para Davi. 

⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:

Davi convocou Abiatar, o sacerdote, para perguntar ao Senhor por intermédio do éfode (colete sacerdotal) (ver nota em 1Sm 14:3).

(1 Samuel 30:9) O ribeiro de Besor

v. 9 Assim, Davi foi, ele e os seiscentos homens que com ele estavam, e chegou ao ribeiro de Besor, onde permaneciam os que foram deixados para trás. 

 O ribeiro de Besor ficava a aproximadamente 24 quilômetros ao sul de Ziclague.

(1 Samuel 30:10) Quanto aos guerreiros que ficaram para trás

v. 10 Davi porém foi ao encalço, ele e quatrocentos homens; pois duzentos ficaram para trás, os quais estavam tão fragilizados que não conseguiram atravessar o ribeiro de Besor. 

Um terço dos guerreiros de Davi estavam fragilizados para prosseguir por conta de: (1) sua viagem de 88 quilômetros de Afeque a Ziclague durante três dias (1Sm 29:11), [2] a dor emocional de ver Ziclague destruída e suas famílias sequestradas, e (3) a marcha de 24 quilômetros de Ziclague ao ribeiro de Besor.

(1 Samuel 30:14) Os queretistas

v. 14 Nós fizemos uma invasão ao sul dos queretitas, e ao termo que pertence a Judá, e ao sul de Calebe; e queimamos Ziclague com fogo. 

 Os queretistas viviam ao longo da costa perto dos filisteus (Ez 25:16). O Sul de Calebe denota a região ao redor de Hebrom (Js 14:13-14).

Advertisement

As palavras queima-mos Ziclague com fogo implicava o Egipcio na batalha; ao mesmo tempo, providenciava a Davi uma oportunidade potencial.

(1 Samuel 30:15) Davi pede ajuda ao egípcio

v. 15 E Davi lhe disse: Podes tu me fazer descer até esta companhia? E ele disse: Jura-me por Deus, que tu não me matarás, nem me entregarás nas mãos do meu senhor, e eu te farei descer até esta companhia. 

Davi perguntou se o homem agora tinha mais lealdade àqueles que lhe salvaram a vida do que àqueles que o abandonaram para morrer. A resposta do homem revela que ele compreendeu que se encontrava numa situação difícil.

Ele havia se envolvido na batalha em Ziclague, de maneira que pediu a Davi que lhe prometesse que não o abandonaria como o seu senhor tinha feito.

(1 Samuel 30:16) Davi encontra os amalequitas

v. 16 E quando ele desceu, eis que eles estavam espalhados ao largo de toda a terra, comendo e bebendo, e dançando, por causa de todo o grande despojo que haviam retirado da terra dos filisteus, e da terra de Judá. 

A linguagem acentua que os amalequitas não estavam esperando qualquer tipo de retaliação quer dos filisteus ou de Judá, mas eles subestimaram a determinação de Davi.

(1 Samuel 30:17) Davi fere os amalequitas

v. 17 E Davi os feriu desde o crepúsculo até o anoitecer do dia seguinte; e não escapou dali nenhum dos homens deles, salvo quatrocentos jovens, os quais montaram em camelos e fugiram. 

Apesar da longa viagem que Davi e seus homens tinham empreendido, eles receberam renovadas energias por encontrarem suas famílias com vida e por descobrirem os amalequitas tão vulneráveis.

(1 Samuel 30:18-19) A restituição

v. 18 E Davi recuperou tudo o que os amalequitas haviam levado consigo; e Davi resgatou suas duas esposas. 

v. 19 E não houve nada que lhes faltasse, nem pequeno nem grande, nem filhos, nem filhas, nem despojo, nem coisa alguma que deles haviam levado. Davi recuperou tudo. 

A mão do Senhor com o exército de Davi era evidente pois Davi recuperou tudo o que os amalequitas tinham levado, todas as pessoas inclusive.

(1 Samuel 30:20) Os despojos

v. 20 E Davi pegou todos os rebanhos e manadas, os quais eles levavam adiante daquele outro gado, e disse: Este é o despojo de Davi.

A expressão todos os rebanhos e manadas designa os animais adicionais que não faziam parte dos bens do povo de Ziclague, uma vez que foram chamados de o despojo de Davi.

(1 Samuel 30:21) Davi saúda os duzentos guerreiros

v. 21 E Davi veio até aos duzentos homens que estavam tão fragilizados que não conseguiram seguir Davi, os quais ele também fez com que permanecessem junto ao ribeiro de Besor; e eles se adiantaram para se encontrar com Davi, e para se encontrar com o povo que com ele estava; e, quando Davi se aproximou do povo, ele os saudou.

 Sobre os duzentos homens exaustos, ver nota no versículo 10.

(1 Samuel 30:22) Sobre a divisão do espólio

v. 22 Então, responderam todos os homens ímpios, e os homens de Belial, daqueles que foram com Davi, e disseram: Como eles não foram conosco, não lhes daremos nada do despojo que recuperamos, salvo a esposa e os filhos de cada homem, para que eles possam guiá-los para longe e partir. 

Normalmente os soldados vitoriosos dividiram os espólios da batalha. Alguns daqueles que tinham lutado não queriam repartir o despojo com aqueles que estavam cansados demais para prosseguir além do ribeiro de Besor.

(1 Samuel 30:23) O argumento de Davi

v. 23 Então disse Davi: Vós não fareis assim, irmãos meus, com aquilo que o SENHOR nos deu, aquele que nos preservou e entregou na nossa mão a companhia que veio contra nós. 

A resposta de Davi revelou o seu caráter. Ele acentuou que o Senhor os protegerá e lhes dará a vitória.

Quem poderia imaginar que eles resgataram absolutamente tudo o que tinham perdido sem perda alguma de vida?

(1 Samuel 30:24) Davi orienta sobre a divisão dos despojos

v. 24 Pois quem vos atentará nesta questão? Mas como é a parte daquele que desce à batalha, também será a parte daquele que esperou junto aos pertences: eles, igualmente, tomarão parte. 

A insistência de Davi em que os guerreiros e os guardadores da bagagem receberão partes iguais dos espólios faz paralelo com o conceito de unidade do corpo de Cristo descrito no novo testamento (Rm 12:3-8).

(1 Samuel 30:25) Uma nova lei

v. 25 E assim foi daquele dia em diante: ele fez disso um estatuto e uma ordenança para Israel até este dia. 

A decisão de Davi a respeito da distribuição equitativa dos despojos tornou-se um estatuto e uma ordenança para futuras gerações.

A menção específica de Israel antecipa o reinado de Davi sobre toda a nação. Sobre este dia, ver nota em 1Sm 6:17-18.

(1 Samuel 30:26) Davi envia despojo aos anciãos de Judá

v. 26 E quando Davi chegou a Ziclague, ele enviou do despojo aos anciãos de Judá, aos seus amigos, dizendo: Eis aqui um presente para vós do despojo dos inimigos do SENHOR;

O despojo dos inimigos do SENHOR veio mais recentemente dos amalequitas, mas eles podem ter incluído bens que os anciãos de Judá reconheceram como tirados deles em saques anteriores dos amalequitas.

(1 Samuel 30:27) Betel, Sul de Ramote e Jatir

v. 27 para aqueles que estavam em Betel, e para aqueles que estavam no sul de Ramote, e para aqueles que estavam em Jatir, 

 A localização exata de grande parte dos lugares em Judá mencionados nos versículos 27-31 é incerta. Sul de Ramote é mencionada em Js 19:8. Jatir era uma cidade levítica (Js 21:14), designada para os levitas e incluía as pastagens ao seu redor.

(1 Samuel 30:28) Aroér, Sifmote e Estemoa

v. 28 e para aqueles que estavam em Aroér, e para aqueles que estavam em Sifmote, e para aqueles que estavam em Estemoa, 

Estemoa também era uma cidade levítica (Js 21:14).

(1 Samuel 30:29) Racal e as cidades dos jerameelitas e dos queneus

v. 29 e para aqueles que estavam em Racal, e para aqueles que estavam nas cidades dos jerameelitas, e para aqueles que estavam nas cidades dos queneus,

Os jerameelitas e os queneus viviam nas áreas onde Davi tinha combatido e destruído inimigos de Israel (1Sm 27:10).

(1 Samuel 30:30) Horma, Borosã e Atace

v. 30 e para aqueles que estavam em Horma, e para aqueles que estavam em Borasã, e para aqueles que estavam em Atace, 

Hormá era um lugar pelo qual os israelitas lutaram e conquistaram pelo menos três vezes (Nm 21:3).

(1 Samuel 30:31) Hebrom

v. 31 e para aqueles que estavam em Hebrom, e para todos os lugares onde o próprio Davi e os seus homens estavam acostumados a se refugiar.

Hebrom, a capital natural de Judá, fica a aproximadamente 30 quilômetros ao sul de Jerusalém, na região montanhosa de Judá.

Hebrom foi conquistada por Calebe durante o tempo de Josué (Js 14:13-14), e se tornou tanto uma cidade levítica (Js 21:13) como uma cidade de refúgio (Js 20:7).

Após a morte de Saul, a cidade se tornou a capital de Davi por sete anos e meio (2Sm 5:5).

Conclusão

Vemos o resultado da intervenção de Deus em não permitir que Davi pelejasse contra Israel, juntamente com os filisteus.

Ele acaba verificando que suas mulheres, bem como as mulheres de seus homens, com seus filhos, haviam sido levadas cativas. Interessante que as escrituras relatam que, neste momento, houve grande desespero entre eles. É narrado que Davi se angustiou, porém buscou reanimar-se no Senhor.

Temos aqui a importante lição, tão ensinada por Davi em diversos salmos, quando, por exemplo, num diálogo com sua própria alma, a aconselha a esperar em Deus, na confiança de que ainda cantaria louvores a Ele (Salmo 42).

Davi havia aprendido a andar em conformidade com sua fé e não conforme as circunstâncias. Com ele aprendemos que temos a livre disposição de nos reanimarmos, sendo que tal habilidade é um produto da fé!

Adiante, vemos que, embora Davi tenha passado por esta circunstância ruim, Deus o restituiu completamente e, ainda, lhe acrescentou os despojos dos amalequitas.

Sem dúvidas, tratou-se de mais uma experiência que o Senhor havia dado a seu servo, sendo que, nela, Davi acabou saindo em muito edificado e vitorioso.

Mais uma vez, evidenciamos que Deus não nos desvia dos vales, mas nos guia em meio a eles, para nos aperfeiçoar.

1 Samuel 30 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *