2 Coríntios 6 Estudo: Escolhas Impostantes na Caminhada Cristã

Advertisement

Neste capítulo de 2 Coríntios 6 estudo, Paulo nos apresentará como cooperadores do Reino de Deus, dirá que trabalhamos juntos a Deus. Trabalhamos com Ele e por Ele.

Por isso, o apóstolo apresentará quais as adversidades e perseguições suporta por amor a Cristo. Mas deixará claro que, embora enfrente todas elas, garante aos irmãos que as suportem, por causa de seu valor inestimável.

Encerrando, ele aconselhará os Coríntios a estarem puros, santos, a abandonar o julgo desigual com infiéis e a abandonar práticas mundanas, ambientes mundanos e muitas vezes pessoas mundanas.

2 Coríntios 6 estudo: Contexto histórico

Acompanhamos Paulo falar sobre a habitação terrena e a casa eterna, isto o corpo humano e o espiritual. Ele aborda esse tema para falar que enquanto estamos aqui estamos “longe” do Senhor, mas em breve essa distância será retirada.

Advertisement

Por isso, devemos viver pela fé. Os nossos olhos devem ser postos em Deus. Se fizermos isso a nossa vida será dirigida pela vontade de Deus estaremos prontos para o tribunal de Jesus Cristo.

(2 Coríntios 6:1) Colaboradores do Reino

v. 1 Então nós, como colaboradores dele, rogamo-vos também para que não recebais a graça de Deus em vão.



Receber o apostolado de Paulo como algo genuíno envolvia acolher como verdade seu evangelho da graça de Deus.

A expressão em vão pode ser uma referência ao

  1. Distanciamento de uma profissão de fé que era apenas aparente, e não verdadeira, e assim ir para a eternidade longe de Cristo (1Jo 2:19) ou
  2. Não desenvolver um caráter semelhante ao de Cristo nem fazer boas obras por ter uma vida de apostasia e, assim, ter suas obras queimadas quando Cristo as julgar (1Co 3:12-14).

(2 Coríntios 6:2) Eu tenho ouvido e socorrido

v. 2 (Porque ele diz: Em tempo aceitável tenho ouvido, e em dia de salvação tenho socorrido. Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação).

Advertisement

O contexto maior de ls 49:8 era a restauração de Deus, que finalmente viria a Israel, o povo do pacto. A citação de Paulo mostra que ele acreditava que esse tempo chegou agora, com a encarnação, morte e ressurreição de Cristo.

As expressões agora e dia de salvação se referem de maneira geral ao tempo entre a primeira e a segunda vinda de Cristo.



Em particular, elas se referem ao momento em que uma pessoa ouve as boas-novas: não deve haver demora em responder.

(2 Coríntios 6:3) Sem ocasião de tropeço

v. 3 Não dando em nada ocasião de tropeço, para que o ministério não seja culpado;

A expressão não dando em nada ocasião de tropeço é uma referência ao caráter e às ações de Paulo, abertos para quem quisesse ver. O ministério da reconciliação compensava todas as dificuldades que Paulo suportou.

A lista dos v. 4-13 não é uma autor recomendação (como a dos falsos mestres em 2Co 3:1), e sim um panorama das ações de Paulo como ministro designado por Deus, provando o caráter e a origem de seu ministério.

(2 Coríntios 6:4-5) Os sofrimentos por Cristo

v. 4 Mas, em todas as coisas, aprovando-nos como ministros de Deus, na muita paciência, nas aflições, nas necessidades, nas angústias,

Advertisement

v. 5 nos açoites, nas prisões, nos tumultos, nos trabalhos, nas vigílias, nos jejuns,


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


O livro de Atos relata casos específicos do sofrimento de Paulo. Esta parte da lista inclui experiências fisicamente dolorosas.

De uma perspectiva humana, estas experiências foram inúteis e desnecessárias – a menos que o evangelho seja verdade.

(2 Coríntios 6:6-7) A recompensa

v. 6 na pureza, no conhecimento, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido,
v. 7 na palavra da verdade, no poder de Deus, pela armadura da justiça, à direita e à esquerda,

Esta parte da lista focaliza traços do caráter e realidades espirituais percebidas apenas com os olhos da fé. Sobre armadura da justiça, ver Ef 6:10-20 para uma discussão completa acerca da armadura espiritual.

(2 Coríntios 6:8-10) Tudo vem de Deus

v. 8 por meio da honra e da desonra, por meio da má fama e da boa fama; como enganadores, porém verdadeiros;
v. 9 como desconhecidos, porém bem conhecidos; como morrendo, e eis que vivemos; como castigados, e não mortos;

v. 10 como tristes, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, e todavia possuindo todas as coisas.

Estes versículos afirmam o paradoxo do verdadeiro ministério cristão melhor do que quaisquer outros. Paulo registrou nove contrastes entre a fragilidade humana e a evidência do poder de Deus (ver notas em 2Co 4:8-9).

(2 Coríntios 6:11) Ó vós, Coríntios

v. 11 Ó vós Coríntios, a nossa boca está aberta para vós, o nosso coração está ampliado.

Advertisement

A vida e o ensino de Paulo eram um livro aberto. Ele não tinha intenções ocultas.

(2 Coríntios 6:12-13) O amor sufocado

v. 12 Vós não estais estreitados em nós; mas estais estreitados nas vossas próprias entranhas.
v. 13 Ora, em recompensa disto, (eu falo como a meus filhos) sejais vós também dilatados.

Paulo notou que o problema no relacionamento vinha dos coríntios. Os falsos mestres sufocaram o amor dos coríntios por ele.

Paulo desejava que eles fossem abertos e amorosos para com ele assim como o apóstolo fora para com eles, isto é, como um pai para com filhos desobedientes.

(2 Coríntios 6:14) Julgo desigual

v. 14 Não estejais unidos em jugo desigual com incrédulos, pois que companheirismo tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?

Jugo desigual com incrédulos se refere aos falsos apóstolos, a quem Paulo considerava servos de Satanás. A linguagem original retrata dois animais diferentes arando um campo sob um mesmo jugo (Dt 22:10).

Em circunstâncias assim não é possível alcançar o objetivo. “Parceria originalmente é traduzida como “comunhão”.

Paulo enfatizou a incompatibilidade espiritual ressaltando a impossibilidade de existir luz e trevas ao mesmo tempo e, no v. 15, a impossibilidade de Cristo e Satanás serem amigos.

(2 Coríntios 6:15) Não pode haver mistura

v. 15 E que harmonia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o crente com o infiel?

Belial é um termo hebraico encontrado na expressão do Antigo Testamento, “filhos de Belial”.

(2 Coríntios 6:16) Templos do Deus vivo

v. 16 E que acordo tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivo, como Deus disse: Eu habitarei neles e andarei entre eles; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

Templo do Deus vivo aponta para a existência conjunta da congregação local (ou do corpo de Cristo como um todo), e não para a existência individual (para isso, ver 1Co 6:19). Paulo tinha em mente os cristãos, e não edifícios literais (1Pe 2:5).

(2 Coríntios 6:17-18) Saiam do meio deles

v. 17 Portanto, saí do meio deles, e separai-vos, diz o Senhor. E não toqueis em coisa imunda, e eu vos receberei;

v. 18 e serei Pai para vós, e vós sereis meus filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.

Estes versículos reúnem alguns textos do Antigo Testamento. O v. 16 aparece pela primeira vez em Lv 26:12 sendo repetido em Jr 31:33.

Trata-se da promessa de Deus de estar presente junto a Seu povo do pacto, que agora se cumpriu em o novo pacto instituído por Cristo (Hb 8:7-13).

O v. 17 cita Is 52:11, referindo-se à santidade futura de Israel, quando o povo será restaurado a favor do Senhor.

O v. 18 aparece pela primeira vez em 2Sm 7:14, na promessa do pacto de Deus a Davi, mas é repetido em Is 43:6. Nestas passagens, o Senhor prometeu um relacionamento familiar com Seu povo.

Conclusão

Concluindo, que capítulo, como Paulo se preocupa com seus filhos em Corinto, e como nos deixa pérolas de sabedoria através de suas cartas.

Aprendemos aqui que, mesmo em meio a tribulações, Paulo nunca se deixou levar por outras doutrinas mas seguiu firme no que Cristo lhe revelou até o fim.

Assim como os sofrimentos do Mestre caíram sobre ele, também caíram as recompensas e o poder, vindos da parte de Deus, através de seu Espírito Santo que, como Jesus prometeu, nos consola, convence, perdoa e capacita.

Ele é a melhor companhia, ele é o nosso amigo fiel, o paracleto, o companheiro, não precisamos de doutrinas que afaguem nosso ego, nossos erros, devemos nos afastar daquilo que nos separa de Deus, que é o pecado.

Não há como haver amizade entre luz e trevas, entre o pecado e a santidade, entre o mundo e o reino de Deus. Façamos uma escolha!

2 Coríntios 6 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *