Mateus 20 Estudo: A Parábola do Trabalhador

Nesta passagem de Mateus 20 estudo, é relatado quando o Senhor Jesus comparou Deus Pai ao dono de uma vinha que contrata trabalhadores para cultivar as colheitas.

Esse cenário fazia parte do funcionamento da tradição israelense de que o trabalho duro compensa. Ademais da ideia de que há pouco trabalho e nenhuma recompensa ou punição (Mateus 20:1-16).

Advertisement

Portanto, essa ideia também faz parte da prática religiosa e os judeus acreditavam que, por meio de muitas boas práticas, agradariam a Deus e entrariam no reino do Senhor.

Mateus 20 estudo: Contexto histórico

De acordo com o contexto, os dinares são salários diários normais e os soldados romanos também recebiam uma moeda por dia. Além disso, o trabalho era visto como algo necessário.

Advertisement

(Mateus 20:1-4) Comparação entre o reino do céu e um chefe de família

v. 1 Porque o reino do céu é semelhante a um homem que é um chefe de família, que saiu de manhã cedo para contratar trabalhadores para a sua vinha.

v. 2 E, tendo acordado com os trabalhadores um denário por dia, mandou-os para a sua vinha.


Você ler a Bíblia todos os dias mas Não consegue Entender a Mensagem de Deus? Clique Aqui e venha Estudar Teologia Conosco de Maneira Fácil e Descomplicada! 📖


v. 3 E ele saindo perto da hora terceira, viu outros que estavam ociosos no mercado,

v. 4 e disse-lhes: Ide vós também para a vinha, e dar-vos-ei o que for justo. E eles foram pelo caminho.

Nas parábolas judaicas, figuras de autoridade, tais como um rico chefe de família, normalmente representam Deus. No primeiro século, um denário era o salário pelo trabalho de um dia.

Advertisement

(Mateus 20:5-8) A justiça sobre o que se recebe

v. 5 Ele saindo outra vez, cerca da hora sexta e da nona, fez da mesma forma.

v. 6 E, ele saindo cerca da hora undécima, encontrou outros que estavam ociosos, e disse-lhes: Por que estais ociosos todo o dia?

v. 7 Eles disseram-lhe: Porque nenhum homem nos contratou. Ele disse-lhes: Ide vós também para a vinha, e tudo quanto for justo, vós recebereis.


Quer Pregar Com Conhecimento Bíblico Profundo, Dominando a Oratória, com boa Dicção, Citando Versículos de Memória, sem Timidez e com total Eloquência?
(Clique Aqui e Sabia Mais)


v. 8 Assim, vindo a tarde, o senhor da vinha disse ao seu mordomo: Chama os trabalhadores, e paga-lhes o salário, começando pelos últimos até aos primeiros.

As palavras começando pelos últimos até os primeiros recordam (Mt 19:30) e mostram que esta parábola é uma ilustração do princípio ali ensinado.

(Mateus 20:9-12) O murmúrio

v. 9 E, vindo os que foram cerca da hora undécima, receberam cada homem um denário.

Advertisement

v. 10 Vindo, então, os primeiros, eles pensaram que haviam de receber mais; mas do mesmo modo receberam cada homem um denário.

v. 11 E, recebendo-o, murmuravam contra o dono da casa,

v. 12 dizendo: Estes últimos trabalharam somente uma hora, e os fizestes iguais a nós, que suportamos o fardo e o calor do dia.


⚠️ E-book Grátis para Pregadores ⚠️:


Uma vez que os que trabalham apenas uma hora receberam um denário, o salário de um dia, outros trabalhadores esperaram ser pagos na mesma proporção-um denário por hora.

(Mateus 20:13-15) Eles se questionam entre si

v. 13 Mas ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, eu não te faço injustiça; tu não combinastes comigo um denário?
v. 14 Toma o que é teu, e vai-te pelo caminho; eu quero dar a este último tanto como a ti.
v. 15 Não me é lícito fazer o que eu quero do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom?

Advertisement

Os trabalhadores não tinham direito algum de se queixar do pagamento que receberam, haja vista que seu salário era a quantia normalmente aceita e desde o início eles haviam concordado em trabalhar por esse valor (v. 2).

Assim como o proprietário era livre para distribuir sua riqueza como desejasse, Deus é livre para distribuir Sua graça como Ele próprio determina.

Os primeiros trabalhadores contratados representam pessoas que se consideram como sendo de uma importância mais elevada para Deus, tal como o homem que se achava justo em (Mt 19:16-26).

Os últimos trabalhadores contratados representam as pessoas que, como os 12 discípulos, vivem de modo sacrifical, mas que serão recompensados muito mais generosamente do que esperam ou merecem.

Advertisement

(Mateus 20:16) Os últimos serão os primeiros

v. 16 Assim os últimos serão os primeiros, e os primeiros os últimos; porque muitos são chamados, mas poucos os escolhidos.

Esta frase é uma repetição de (Mt 19:30). Uma vez que ela é repetida imediatamente antes e depois da parábola dos trabalhadores na vinha, ela é a chave para se interpretar a parábola.

A conjunção no início de associa esta discussão àquela a respeito da recompensa inesperada dos discípulos de Jesus.


Domine a Arte de Elaborar e Pregar Sermões Expositivos, Temáticos e Textuais, para Ensinar com Profundidade, Clareza e Fidelidade as Escrituras!
(Clique Aqui e Confira)


(Mateus 20:17-19) A quinta predição

v. 17 E, subindo Jesus para Jerusalém, tomou à parte os seus doze discípulos no caminho, e disse-lhes:

v. 18 Eis que nós subimos para Jerusalém, e o Filho do homem será traído aos principais sacerdotes e aos escribas, e eles o condenarão à morte,

v. 19 e o entregarão aos gentios para que dele zombem, e o açoitem e crucifiquem, e ao terceiro dia ele ressuscitará.

Advertisement

Esta é a quinta predição que Jesus faz de Sua morte no Evangelho de Mateus (Mt 12:40). Cada predição acrescenta detalhes adicionais. Desta vez, Ele acrescentou para que dele zombem, e o açoitem e crucifiquem por mãos de gentios.

(Mateus 20:20) A mãe dos filhos de Zebedeu

v. 20 Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e desejando uma certa coisa.

Os filhos de Zebedeu eram Tiago e João (Mt 4:18-22).


A Chave para Interpretar todos os Gêneros e Contextos da Bíblia de modo Simples, porém com muita Profundidade…
(Clique Aqui e Acesse)


(Mateus 20:21) A promessa de Jesus

v. 21 E ele disse para ela: O que tu queres? Ela disse: Concede que estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino.

Jesus prometera que Seus discípulos se assentariam em 12 tronos regendo Israel na era messiânica (Mt 19:28-29).

Advertisement

Agora, Tiago e João buscavam, por meio de sua mãe, obter proeminência sobre seus companheiros.

Juntamente com Pedro, eles faziam parte do círculo íntimo de Jesus. Pelo fato de Jesus ter repreendido a Pedro em (Mt 16:23), eles podem também ter desejado usurpar a posição de proeminência que Jesus conferiu a Pedro.

(Mateus 20:22-23) Bebereis o meu cálice

v. 22 Mas Jesus respondendo disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Dizem-lhe eles: Nós podemos.

v. 23 E diz-lhes ele: Na verdade bebereis o meu cálice e sereis batizados com o batismo com que eu sou batizado, mas o assentar-se à minha direita ou à minha esquerda não me pertence dá-lo, mas o será dado àqueles para quem meu Pai o tem preparado.

Advertisement

O cálice era uma metáfora para o sofrimento (Mt 26:39). A pergunta de Jesus sondava a disposição dos discípulos de sofrer por Ele tal como Jesus sofreria por eles.

Na verdade bebereis o meu cálice prediz o martírio de Tiago (At 12:1-2) e João. A parábola em (Mt 20:1-16) demonstrou que o Pai distribui recompensas como Ele acha melhor, e não de acordo com méritos humanos.

Jesus confirmou novamente o princípio da liberdade do Pai de determinar quem haveria de gozar das maiores bênçãos.

(Mateus 20:24-28) O domínio dos príncipes dos gentios

v. 24 E, quando os dez ouviram isso, indignaram-se contra os dois irmãos.

Advertisement

v. 25 Mas Jesus chamando-os, disse: Sabeis que os príncipes dos gentios exercem domínio sobre eles, e os seus grandes exercem autoridade sobre eles.

v. 26 Mas não será assim entre vós; mas quem dentre vós deseja ser grande, seja o vosso servidor;

v. 27 e, quem deseja ser o primeiro, seja o vosso servo.

v. 28 Assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.

A competição entre os discípulos expôs seu orgulho. Jesus chamou os Seus discípulos ao mesmo serviço humilde que Ele exibiu.

Advertisement

A expressão suprema de Sua humilde foi a Sua própria morte sacrifical que serviu como resgate pelos cristãos. As palavras de Jesus ecoam os temas de (Is 53 que Mateus aplicou a Ele em Mt 8:17).

(Mateus 20:29-34) A multidão segue a Jesus

v. 29 E, partindo eles de Jericó, uma grande multidão o seguia.

v. 30 E eis que dois homens cegos, assentados junto do caminho, ouvindo que Jesus passava, clamaram, dizendo: Tem misericórdia de nós, ó Senhor, Filho de Davi!

v. 31 E a multidão os repreendia, para que se calassem; mas eles gritavam ainda mais, dizendo: Tem misericórdia de nós, ó Senhor, Filho de Davi.

v. 32 E Jesus, parando, chamou-os, e disse: O que quereis que eu vos faça?

v. 33 Disseram-lhe eles: Senhor, que os nossos olhos possam ser abertos.

v. 34 Então Jesus teve compaixão deles, e tocou seus olhos; e imediatamente seus olhos receberam visão, e eles o seguiram.

A passagem paralela em (Mc 10:46-52) faz referência a apenas um cego, e não a dois homens cegos.

Contudo, uma vez que Marcos dá o nome do cego que menciona, este provavelmente seria conhecido dos leitores originais de Marcos.

Por desejar focalizar a atenção apenas no homem com quem seus leitores tinham familiaridade, Marcos não mencionou o outro cego. Sobre Filho de Davi, ver nota em (Mt 1:1).

Conclusão

Diante disso, portanto, os dois cegos podem estar entre as duas posições quando o milagre aconteceu e a Nova Jericó fica a oito quilômetros a oeste do rio Jordão.

Além disso, a cerca de dois quilômetros ao sul da cidade velha e dado os hábitos anti-higiênicos das pessoas na época, havia muitos cegos que podiam espalhar doenças oculares infecciosas.

Ademais, entre as multidões, encontramos nos Evangelhos alguns registros de casos de cura, um dos quais ocorreu perto da cidade de Jericó, sem contar com muitos outros que ocorreram e acontecem até hoje.

Mateus 20 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *