Provérbios 27 Estudo: A Benção das Relações Verdadeiras

Neste capítulo de Provérbios 27 estudo, recebemos vários conselhos sobre amizade do sábio que nos fala que somos seres sociais e Deus nos colocou na comunidade.

Advertisement

Desse modo, devemos ter comunhão com o Deus que nos criou e com seu Filho Jesus, assim como temos comunhão uns com os outros.

Além disso, um verdadeiro amigo instrui, corrige, exorta e ajuda. O sábio disse que a ferida de um amigo, isto é, suas duras palavras de repreensão, é uma bênção, não uma maldição.

Advertisement

Provérbios 27 estudo: Contexto histórico

Diante desse contexto, como Jesus ensinou anos depois, os sábios do antigo Israel advertiram contra a preocupação com o amanhã ofuscando as necessidades de hoje. E disse: “Deixe que estranhos elogiem você, não a sua boca.” Esse princípio adverte contra a vanglória inadequada.

Portanto, os elogios são uma roupa apropriada. Embora queiramos usá-lo, é sempre melhor que outra pessoa o use. Correções no amor são melhores do que ações afetuosas sem sinceridade.

(Provérbios 27:1-4) A sabedoria de não se vangloriar

v. 1 Não te gabes do amanhã, porque não sabes o que trará o dia.

v. 2 Deixai que outro homem te louve, e não a tua própria boca; um estranho, e não os teus próprios lábios.

v. 3 Uma pedra é pesada, e a areia tem peso; mas a ira do tolo é mais pesada que ambas.

Advertisement

v. 4 A ira é cruel, e a raiva é ultrajante, mas quem é capaz de permanecer diante da inveja?

Sobre inveja, ver notas em (Pv 6:34-35).

(Provérbios 27:5-6) A repreensão com amor deve ser bem vinda

v. 5 Melhor é a repreensão aberta do que o amor secreto.

Advertisement

v. 6 Fiéis são as feridas de um amigo, mas os beijos de um inimigo são enganosos.

Um amigo oferece crítica construtiva por amor, mas um inimigo dá beijos (Pv 24:26) com a intenção de enganar.

(Provérbios 27:7) A alma faminta “vê” as coisas de maneira mais doce

v. 7 A alma cheia detesta o favo de mel, mas para a alma faminta cada coisa amarga é doce.

Sobre mel, ver nota em (Pv 24:13-14).

(Provérbios 27:8) O homem que foge para longe

v. 8 Como um pássaro que vagueia para longe do seu ninho, assim é um homem que vagueia longe do seu lugar.

Advertisement

A palavra traduzida como vagueia (Jó 15:23), pode também ser traduzida como “foge” (Sl 55:7).

(Provérbios 27:9) A benção de ter um bom amigo

v. 9 O unguento e perfume regozijam o coração; assim o faz a doçura do amigo de um homem pelo conselho cordial.

Ser ungido com perfume e apreciar unguento eram prazeres antigos. A segunda linha pode estar dizendo que uma bela (ver “equilíbrio” na nota em Pv 16:21) amizade nasce de um conselho sincero.

(Provérbios 27:10) Não abandones teus amigos e tua família

v. 10 Não abandones o teu amigo, ou o amigo de teu pai; nem entres na casa de teu irmão no dia da tua calamidade, porque melhor é um vizinho que está perto do que um irmão longe.

Sobre provérbios melhor… do que, ver nota em (Pv 15:16-17). Amizades a longo prazo são às vezes mais confiáveis do que relações consanguíneas (Pv 17:17).

(Provérbios 27:11) A importância de agradar ao Senhor

v. 11 Meu filho, sê sábio, e alegra o meu coração, para que eu possa responder àquele que me repreende.

Um pai pode ser criticado publicamente no caso de não conseguir controlar os próprios filhos (1Tm 3:4-5).

(Provérbios 27:12) A maldade e imprudência

v. 12 Um homem prudente prevê o mal e se esconde, mas os simples seguem adiante e são punidos.

Advertisement

Sobre punidos, ver nota em (Pv 22:3).

(Provérbios 27:13) O fiador de um estranho

v. 13 Toma a roupa daquele que é fiador de um estranho, e toma o penhor daquele que o é para uma mulher estranha.

Sobre fiador de um estranho, ver nota em (Pv 6:1).

(Provérbios 27:14) Estejam atentos ao que explanam em voz alta

v. 14 Aquele que abençoa o seu amigo em voz alta, levantando cedo de manhã, isso lhe será computado como maldição.

Há duas interpretações possíveis: Para alguém que “não é madrugador”, uma saudação em voz alta, levantando cedo pela manhã será irritante. Ou, uma pessoa que sai gritando uma bênção provavelmente é insincera, e Deus traz maldição ao hipócrita.

(Provérbios 27:15-16) O quão difícil e perturbador é uma mulher contenciosa

v. 15 O gotejar contínuo em um dia muito chuvoso, e uma mulher contenciosa são semelhantes.

v. 16 Quem quer que a esconda, esconde o vento, e o unguento de sua mão direita, que denuncia a si.

Sobre gotejar, ver nota em (Pv 19:13). Controlar uma mulher contenciosa parece tão impossível quando deter o vento ou apanhar unguento com a mão.

(Provérbios 27:17) O homem e o semblante do seu amigo

v. 17 O ferro afia o ferro; assim também, um homem afia o semblante de seu amigo.

Como uma lima afia um machado ou um amolador de aço afia uma faca de entalhe, bons amigos se estimulam mutuamente a crescer em sabedoria e piedade, mesmo que isso exija crítica dolorosa (v. 6).

(Provérbios 27:18) A honra de esperar no Senhor

v. 18 Quem quer que cuide da figueira comerá seu fruto; assim também, aquele que esperar pelo seu senhor será honrado.

Se uma pessoa serve ao seu patrão com paciência e integridade (Ef 6:5), Deus providenciará para que ele seja adequadamente recompensado- senão nesta vida, então na eternidade.

(Provérbios 27:19-20) A ganância do homem

v. 19 Como na água a face corresponde à face, assim também, o coração do homem ao homem.

v. 20 O inferno e a destruição nunca estão cheios; assim também, os olhos do homem nunca estão satisfeitos.

O inferno (ver nota em Pv 1:12) e a destruição (ver nota em Pv 15:11) representam a morte, que pode sempre fazer mais vítimas (Pv 30:16).

Os olhos do homem representam suia insaciabilidade para a lascívia, a inveja e a ganância (Pv 30:15).

(Provérbios 27:21) Os perigos da bajulação

v. 21 Como o crisol é para a prata, e a fornalha para o ouro; assim é um homem para o seu louvor.

Os elogios aqui podem ser aqueles que uma pessoa dá ou recebe. Esse provérbio tem vários significados possíveis. Assim como um crisol prova a prata, o homem deve avaliar o elogio que recebe antes de aceitá-lo, rejeitando a bajulação e a insinceridade.

Se você quer saber a respeito do elogio que uma pessoa pode aprimorar o elogio que recebe ou dá.

O hebraico pode também ser traduzido: “e um homem segundo o seu elogio”. Ou seja, um homem é testado (Pv 17:3) e provado pelo tipo de elogio que recebe e pela maneira cortês como o recebe.

(Provérbios 27:22) Os tolos sempre estarão junto a tolice

v. 22 Mesmo que tritures um tolo num pilão entre o trigo com um pistilo, ainda assim, sua tolice não se apartará dele.

Um gral era uma tigela feita de barro cozido ou esculpida em pedra. Um pilão era um bastão de pedra ou de barro cozido com uma extremidade arredondada.

O trabalhador colocava uma pequena quantidade de trigo (cevada descascada, nesse caso) no pilão e a triturava e moía até esfarelar ou virar farinha. A tolice mancha cada uma das molécula de um tolo.

(Provérbios 27:23-27) As riquezas não duram para sempre

v. 23 Sê tu diligente para conhecer o estado de teus rebanhos, e olha bem para as tuas manadas.

v. 24 Porque as riquezas não são para sempre; e a coroa dura em todas as gerações?

v. 25 O feno aparece, e a grama tenra se mostra, e as ervas dos montes se juntam.

v. 26 Os cordeiros são para o teu vestir, e os bodes são o preço do campo.

v. 27 E tu terás leite de cabra o suficiente para o teu alimento, para o alimento da tua família, e para o sustento das tuas donzelas.

Assim como um fazendeiro cuida o seu rebanho, Salomão aqui instrui seu filho, o príncipe, a dar cuidadosa atenção ao seu povo.

Embora as riquezas sejam instáveis (Pv 23:4-5) e uma dinastia possa terminar, os rebanhos e as lavouras (o povo e a terra) constituem uma fonte segura de sustento se forem bem preservados (Pv 24:27).

Depois que o feno fosse colhido, grama tenra surgia para formar o pasto. Mais tarde, as ervas eram colhidas e, com o feno, proviam alimento para o rebanho.

Os cordeiros proviam . As fêmeas eram mantidas para procriação e leite, enquanto alguns bodes eram vendidos para a renda a ser replicada.

Todas em posição de liderança deviam ser bons mordomos de seus recursos humanos e materiais.

Conclusão

Diante disso, portanto, Infelizmente, o mundo é dominado por maldosos, infiéis, injustos, caluniadores e mentirosos.

Como resultado disso, nossas relações vem sofrendo com o resultado. As palavras humanas não têm mais valor.

Além disso, as boas amizades, especialmente com o povo de Deus, aperfeiçoam nossa fé. A troca de experiência, sabedoria e conhecimento do Senhor com Seus servos nos deixa mais animados, focados e inspirados.

Provérbios 27 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência na navegação. Mais informações.