Provérbios 23 Estudo: Advertências Contra a Cobiça

Nesta passagem de Provérbios 23 estudo, são dados diversos conselhos sobre o que fazer ao comer com autoridade. Ele nos instrui a ser moderados e não gulosos.

Advertisement

Além disso, é incrível como na Palavra de Deus possamos encontrar conselhos para as mais diversas situações de nossas vidas.

Ademais, outra sugestão importante é onde está o nosso foco, diante disso, somos aconselhados a focar no que realmente importa. Não desperdice seu tempo e energia com coisas que não te fazem bem.

Advertisement

Provérbios 23 estudo: Contexto histórico

Diante do contexto, grande parte do treinamento dos cortesãos era na etiqueta de jantares e ocasiões formais.

Esta revisão existe devido a duas preocupações: comportamento rude deve ser evitado a todo custo, e muita comida real pode deixar os hóspedes doentes.

Portanto, esses versículos pedem moderação no trabalho, por um lado, se os provérbios denigrem a preguiça, por outro, desencorajam o excesso de trabalho para acumular riqueza.

(Provérbios 23:1-3) Evite se deslumbrar por as coisas que vê

v. 1 Quando te assentares para comer com um governante, considera diligentemente o que é posto diante de ti;

v. 2 e põe uma faca à tua garganta se fores um homem de grande apetite.

Advertisement

v. 3 Não sejas desejoso de suas iguarias; porque são alimento enganoso.

Um governante pode ter a intenção disfarçada de testar ou obrigar seus convidados (v. 6-8). Um grande apetite, ou a falta de disciplina, pode irritar a autoridade e isso pode ser fatal (Pv 16:14).

A admoestação para encostar a faca á… própria garganta é uma hipérbole (Mt 18:9); ela exige total abstinência se o comedimento não for possível.

Advertisement

Iguarias é a mesma palavra da “carne saborosa” que causou pertubação entre Jacó, Isaque e Esaú (Gn 27).

(Provérbios 23:4-5) Usa a tua sabedoria para as coisas da terra

v. 4 Não trabalhes para ficar rico; pare da tua própria sabedoria.

v. 5 Porás tu os teus olhos sobre aquilo que não é? Porque certamente as riquezas fazem asas para si; como a águia que voa em direção ao céu.

A diligência acompanhada da piedade e da sabedoria traz riquezas (Pv 8:18), mas somente se Deus abençoar (Pv 10:22). É inútil tentar ficar rico fácil, ilegal ou rapidamente (Pv 13:11).

(Provérbios 23:6-8) Não te sente a mesa dos homens maus

v. 6 Não comas o pão daquele que tem um olho mau, nem cobices as suas saborosas carnes,

Advertisement

v. 7 porque como ele pensa em seu coração, assim é ele. Come e bebe, te diz ele; mas o seu coração não está contigo.

v. 8 Vomitarás o bocado que comeste, e perderás as tuas doces palavras.

É inútil tentar agradar um hospedeiro de má vontade. Para olho mau ver (Pv 28:22); contrastar (Pv 22:9). Sobre saborosas carnes, ver nota nos versículos 1-3.

Eventualmente, o caráter interior de uma pessoa se revelará. Nos tempos antigos, um hospedeiro era obrigado a oferecer comida e bebida a qualquer pessoa que o visitasse, mas isso podia ser feito de maneira insincera.

O hóspede de um hospedeiro insincero nada obtém: a comida se perde e a cordialidade se desperdiçará.

(Provérbios 23:9) Os tolos desprezam a sabedoria

v. 9 Não fales aos ouvidos de um tolo, porque ele desprezará a sabedoria das tuas palavras.

Sobre a obstinação de um tolo, (Pv 1:22); sobre sabedoria, (Pv 12:8).

(Provérbios 23:10-11) A importância do respeito dos limites

v. 10 Não removas os limites antigos e não entres nos campos dos órfãos;

Advertisement

v. 11 porque o seu redentor é poderoso; ele pleiteará pela causa deles contigo.

Josué estabeleceu os limites das tribos quando Israel entro em Canaã (Pv 22:28).

A propriedade privada era marcada por colunas ou montes de pedras e pretendia-se que fosse mantida para sempre dentro de uma família (Lv 25:23-28).

A mudança de um marco resultava em roubo de terra. Deus defende os oprimidos (Dt 10:18). Sobre redentor, ver (Lv 25:23-28); (“vingador da vítima”); (Rt 3:9-4).

(Provérbios 23:12) Aplica as instruções que ouve

v. 12 Aplica o teu coração à instrução, e os teus ouvidos às palavras do conhecimento.

Sobre instrução, ver nota em (Pv 1:2).

(Provérbios 23:13-14) A correção de forma apropriada

v. 13 Não retenhas a correção da criança; pois se tu bateres nele com uma vara, ele não morrerá.

v. 14 Tu o baterás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno.

O castigo físico, aplicado de maneira apropriada, realmente salvará uma criança da morte.

Em geral, ela escapará da morte física ao evitar situações perigosas e escapará da morte espiritual (simbolizada pelo inferno/ Sheol) ao aprender a temer a Deus (Pv 19:18).

No entanto, o castigo físico deve ser administrado com amor e não com dominância (Os 11:4).

(Provérbios 23:15-16) As consequências de um coração sábio

v. 15 Meu filho, se o teu coração for sábio, meu coração regozijará, o meu próprio.

v. 16 Sim, meus rins se regozijarão quando teus lábios falarem coisas retas.

O rins está no literal (Pv 18:8). Eram vistos como a sede das emoções mais fortes (Sl 73:21).

(Provérbios 23:17-18) Vigia o teu coração

v. 17 Não deixes teu coração invejar os pecadores, mas estejas no temor do SENHOR o dia todo.

v. 18 Porque certamente há um fim, e a tua expectativa não será cortada.

Há um fim é literalmente “aquilo que vem depois” (Pv 5:11). Aqueles que prezam o Senhor em vez dos pecadores têm expectativa para a eternidade (Pv 3:31-32).

(Provérbios 23:19-21) Direciona os teus ouvidos a sabedoria de Deus

v. 19 Ouve tu, meu filho, e sê sábio, e guia o teu coração no caminho.

v. 20 Não estejas entre os bebedores de vinho, entre turbulentos comedores de carne;

v. 21 porque o bêbado e o comilão virão à pobreza; e a sonolência vestirá um homem com trapos.

Ouvir é um pré-requisito; ser sábio e ter um coração disciplinado vêm em seguida.

Quem anda com o bêbado e o comilão corre o risco de se tornar um deles e de compartilhar o seu destino (Pv 24:21) ou de sugerir aprovação (1Co 5:11). Sonolência é ausência de vigilância (Sl 121:3-4).

(Provérbios 23:22-25) Ouve a teus pais

v. 22 Ouve ao teu pai, que te gerou, e não desprezes tua mãe, quando ela estiver velha.

v. 23 Compra a verdade, e não a vendas; e também a sabedoria, a instrução e o entendimento.

v. 24 O pai do justo se regozijará grandemente, e aquele que gera um filho sábio terá alegria nele.

v. 25 Teu pai e tua mãe ficarão felizes, e aquela que te gerou se regozijará.

Afirmar alguma coisa tanto positiva quanto negativamente- Compra a verdade, e não a vendas– é um método hebraico de ênfase (Gn 40:23).

Sobre desprezes, ver nota em (Pv 1:7); sobre “comprar”, ver nota em (Pv 4:5-8).

(Provérbios 23:26-28) Direciona o teu coração as vontades de Deus

v. 26 Meu filho, dá-me o teu coração, e deixa teus olhos observarem os meus caminhos.

v. 27 Porque cova profunda é a prostituta, e poço estreito a mulher estranha.

v. 28 Pois ela, como uma presa, fica à espreita, e aumenta os transgressores entre os homens.

O coração e os olhos constituem a chave para a tentação sexual, ambos deveriam ser entregues ao instrutor em sabedoria piedosa, e não á prostituta (Pv 5:1-23).

Cova e tocaia descrevem a natureza predatória da prostituta (Pv 7:21-23).

(Provérbios 23:29-35) Evitem os excessos

v. 29 De quem são os ais? De quem as tristezas? De quem as contendas? De quem as queixas? De quem as feridas sem motivo? De quem os olhos vermelhos?

v. 30 Daqueles que ficam muito tempo com o vinho; aqueles que vão buscar vinho misturado.

v. 31 Não olhes para o vinho quando ele estiver vermelho, quando der sua cor na taça, quando ele se mover suavemente.

v. 32 No final, ele pica como a serpente, e ferroa como uma víbora.

v. 33 Teus olhos contemplarão a mulher estranha, e teu coração proferirá coisas perversas.

v. 34 Sim, tu serás como aquele que se deita no meio do mar, ou como aquele que permanece sobre o topo de um mastro.

v. 35 E dirás: Me feriram, e eu não estava enfermo; me bateram, e eu não senti; quando despertarei? Tornarei a buscá-lo outra vez.

Aflição e tristezas são exclamações de desesperança e desespero (Is 6:5).

O hebraico por trás dos olhos vermelhos é incerto, pode significar “avermelhados” ou “embaçados” (Gn 49:12).

O vinho podia ser misturado com aromas (Pv 9:2), misturar bebida em (Is 5:22). Andar buscar é “examinar” vinho por “amostragem”.

Somos chamados para fugir de coisas tentadoras (1Co 6:18) e não nos deixar atrair por elas. Der sua cor é literalmente “dá o seu olho”, ou seja, se mostrar brilhante.

No final (ver nota em Pv 5:11), como a mulher imoral, o vinho destrói as pessoas (Pv 23:26-28).

Perversas ver em (Pv 2:12). Essas são as divagações de um alcoólico que está fisicamente e mentalmente desconectado.

Conclusão

Diante disso, portanto, como ser humano, uma criança vem com as sementes do pecado e é naturalmente inclinada para o mal, e o amor e a disciplina controlarão seus impulsos e a manterão no caminho certo.

Desse modo, finalmente, no versículo 26, a sabedoria pergunta aos nossos corações. Como são maravilhosos os caminhos de Deus e como ele nos ama.

Logo, ele quer entrar em nossas vidas de uma maneira gentil e amorosa. Ele nos pede para ceder e deixá-lo governar e guiar nossos corações.

Provérbios 23 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência na navegação. Mais informações.