João 14 Estudo: As Moradas Celestiais

Advertisement

Neste capítulo de João 14 estudo, veremos que após a ceia, Jesus ensinará aos apóstolos o que fazer para voltar ao Pai Celestial e para demonstrar seu amor ao Salvador. Então, prometeu-lhes que lhes enviaria outro Consolador, o Espírito Santo.

João 14 estudo: Contexto histórico

Após cear na Páscoa, Jesus demonstra toda sua humildade lavando os pés dos discípulos e note que o faz antes de revelar que Judas Iscariotes é o traidor.

Apesar disso, Ele o amou, ensinou, e passará a centralizar seus ensinamentos na obediência, no servir e no amor, virtudes que marcaram o seu ministério e que seriam a vida de seus discípulos por toda a vida! Ele é o mestre dos mestres.

(João 14:1) Não se turbe o vosso coração!

v. 1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.

Advertisement

As palavras de Jesus refletem admoestações semelhantes no antigo testamento (Dt 1:21 – Js 1:9 – cp. Jo 11:33Jo 13:21).

Credes denota uma confiança pessoal e relacional que acompanha o uso das Escrituras hebraicas (Is 28:16).



(João 14:2-3) Moradas celestiais

v. 2 Na casa de meu Pai há muitas mansões; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Eu vou preparar-vos um lugar.

v. 3 E quando eu for e vos preparar um lugar, eu voltarei novamente, e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, ali possais estar vós também.

v. 4 E para onde eu vou vós sabeis, e o caminho vós conheceis.

Advertisement

Em outra parte, Jesus disse que os Seus seguidores seriam recebidos “nas habitações eternas” (Lc 16:9). O regresso dos discípulos será comparável ao retorno de um filho à casa de seu pai (Lc 15:11-32).

As palavras voltarei novamente, e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, ali possais estar vós também reflete a terminologia em Ct 8:2.

Jesus, o noivo messiânico (Jo 3:29), diz que vai preparar um lugar para Seus seguidores na casa de seu Pai e, em seguida, voltará para levá-los para o lar a fim de que estejam com Ele.



(João 14:5-6) Eu sou o caminho, a verdade e a vida!

v. 5 Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais, e como nós podemos conhecer o caminho?

v. 6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Jesus é o caminho, a verdade, e a vida (ver nota em Jo 6:35) e ninguém vem ao Pai, a não ser por Ele. Só Jesus é capaz de prover acesso a Deus, porque só Ele pagou a pena pelos nossos pecados (Is 53:5 – Hb 1:3).

Jesus é a verdade (Jo 1:14Jo 18:37), e todas as reivindicações contrárias são falsas. Só Cristo é a vida e tem vida em Si mesmo (Jo 5:26).

Advertisement

Portanto, Ele pode dar vida eterna a todos que creem nele. Jesus é a verdade, a vida, e o caminho exclusivo e único da salvação.

(João 14:7) Se me conhecem, conhecem ao Pai

v. 7 Se vós me conhecêsseis, também conheceríeis a meu Pai; e desde agora o conheceis, e o tendes visto.


⚠️ Receba Estudos Exclusivos no Whatsapp:


 A ênfase em conhecer realmente Jesus e Deus, o Pai, remonta à linguagem pactual do antigo testamento (Jr 24:7 – Jr 31:34 – Os 13:4).

(João 14:8) Se veem a mim, veem o Pai

v. 8 Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos é suficiente.
v. 9 Disse-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Filipe? Quem tem visto a mim, tem visto o Pai, e como então tu dizes: Mostra-nos o Pai?

v. 10 Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que permanece em mim, é quem faz as obras.

Filipe aparentemente desejava algum tipo de revelação de Deus. No antigo testamento, Moisés pediu e recebeu uma vi são limitada da glória do Senhor (Êx 33:18; cp. Êx 24:10); o profeta Isaías recebeu uma visão semelhante (Is 6:1).

Contudo, de acordo com o ensino do antigo testamento, Jesus negou a possibilidade de uma visão direta de Deus.

(João 14:11-12) Creiam em mim, creiam no Pai e obras maiores farão

v. 11 Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim; ou senão, crede-me por causa das obras em si.
v. 12 Na verdade, na verdade eu vos digo: Aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e fará maiores obras do que estas, porque eu vou para meu Pai.

As obras dos maiores discípulos são possíveis porque Jesus está indo para o Pai logo após Sua obra na estão baseadas na totalidade daquelas que Jesus realizou e igualmente produzirão frutos permanentes (Mt 11:11 – Jo 15:8,16).

Advertisement

(João 14:13) Em nome de Jesus

v. 13 E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai possa ser glorificado no Filho.

Orar em nome de Jesus expressa o desejo do cristão em alinhar sua vontade e propósitos à vontade de Deus (1Jo 5:14-15).

(João 14:14-15) Guardem meus mandamentos

v. 14 Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.
v. 15 Se vós me amais, guardai os meus mandamentos.

As palavras de Jesus refletem as exigências do pacto deuteronômico (Dt 5:10 – Dt 6:5-6 – Dt 7:9 – Dt 10:12-13 – Dt 11:13,22).

(João 14:16-17) O consolador

v. 16 E eu orarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que ele possa habitar convosco para sempre,

v. 17 o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós.

O outro Consolador (“outro Paracleto”) ou o Espírito da verdade é o Espírito Santo (v. 26), que guia os discípulos a toda verdade (Jo 16:13).

O Espírito substitui a presença física de Jesus, vindo habitar permanentemente em Seus seguidores. A presença divina para os seguidores de Jesus inclui o Espírito, Jesus (v. 18-21) e o Pai (v. 22-24).

(João 14:18) Eu voltarei!

v. 18 Eu não vos deixarei sem consolo, eu voltarei para vós.
v. 19 Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis também.
v. 20 Naquele dia sabereis que eu estou no meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.

A habitação do Espírito nos discípulos equivale essencialmente à própria presença de Jesus, porque o Espírito testifica a respeito de Jesus e ajuda os discípulos a entender o significado daquilo que o Mestre fez (Jo 16:14).

A promessa de Jesus, não vos deixarei sem consolo, repercute as palavra de Moisés ao se despedir de Israel (Dt 31:6 – cp. Js 1:5). Ao dizer isso, Jesus provavelmente tinha em mente Sua ressurreição e a vinda do Espírito no Pentecoste.

(João 14:21) Me manifestarei a ele

v. 21 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.

 As referências aquele que tem os meus mandamentos e os guarda e à expressão me manifestarei a ele nos remetem à entrega da Lei no monte Sinai e a outras aparições de Deus (Êx 33:13).

(João 14:22) O outro Judas

v. 22 Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Senhor, como é isto que te hás de manifestar a nós, e não ao mundo?

 Esse Judas, não o Iscariotes é, provavelmente, “Judas, filho de Tiago”, mencionado em Lc 6:16 e At 1:13. Não se tratava de Judas, o meio-irmão de Jesus (Mt 13:55Mc 6:3).

(João 14:23) Faremos morada nele

v. 23 Jesus respondeu e disse-lhe: Se alguém me ama, ele guardará as minhas palavras; e meu Pai o amará, e iremos a ele, e faremos nossa morada nele.

v. 24 Quem não me ama, não guarda as minhas palavras; e a palavra que ouvis não é minha, mas do Pai que me enviou.
v. 25 Essas coisas vos tenho dito, estando ainda convosco.

Faremos nossa morada nele faz lembrar a habitação de Deus com o povo do pacto no tabernáculo (Êx 25:8Êx 29:45Lv 26:11-12) e no templo (1Rs 8:10-11 cp. At 7:46-47). Também aponta adiante para o tempo da vinda do Espírito no Pentecoste (Atos 2).

(João 14:26) O consolador ensinará todas as coisas

v. 26 Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, ele vos ensinará todas as coisas, e vos trará à lembrança todas as coisas, tudo quanto eu vos tenho dito.

O Espírito Santo (Jo 20:22) é mencionado raras vezes no antigo testamento (Sl 51:11 – Is 63:9-10). Jesus focaliza aqui o futuro ministério de ensino do Espírito (1Jo 2:20).

(João 14:27) Deixo-vos a minha paz!

v. 27 Eu deixo-vos a paz, a minha paz eu vos dou; não a dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem fiquem com medo.

v. 28 Ouvistes o que eu vos disse: Eu vou e voltarei a vós. Se me amásseis, alegrar-vos-íeis por eu ter dito: Eu vou para o Pai, porque meu Pai é maior do que eu.

v. 29 E agora eu vos digo antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós possais crer.

 A expressão paz (Heb. sholom) podia servir como uma saudação ou anúncio de bênção sobre aqueles que possuíam um relacionamento correto com Deus (Nm 6:24-26; cp. Sl 29:11; Ag 2:9).

O antigo testamento profetizou um tempo de paz que acompanharia a vinda do Messias, pois Ele é o “Príncipe da Paz” (Is 9:6), que “proclamará paz às nações” (Zc 9:10; cp. Jo 9:9).

Haverá boas-novas de paz e salvação (Is 52:7; cp. Jo 54:13 – Jo 57:19), e Deus estabelecerá um “pacto de paz” com o Seu povo (Ez 37:26).

O encorajamento de Jesus ao se despedir de Seus discípulos para que não se perturbassem nem tivessem medo reflete o mesmo conselho de Moisés em sua despedida (Dt 31:6,8).

(João 14:30) Príncipe deste mundo

v. 30 Daqui em diante eu não falarei muito convosco, porque vem o príncipe deste mundo, e ele nada tem em mim.

Sobre o príncipe deste mundo, ver nota em Jo 12:31. Satanás não possui nenhuma reivindicação legal, muito menos qualquer influência sobre Jesus.

(João 14:31) Vamos-nos daqui!

v. 31 Mas para que o mundo possa saber que eu amo o Pai, e como o Pai me ordenou, desta forma eu o faço. Levantai-vos, vamo-nos daqui.

Alguns estudiosos veem a transição de v. 31 para Jo 15:1 como uma costura literária. De acordo com esses intérpretes, o Evangelho de João teria sido formado a partir de fontes diferentes que mais tarde foram juntadas (uma terminando em v. 31; outra começando em Jo 15:1).

Todavia, é provável que João está apenas descrevendo a transição de Jesus (Levantai-vos, vamos-nos daqui) do cenáculo para o jardim do Getsêmani, onde Ele chegou em Jo 18:1.

Conclusão

 Mais um capítulo, mais ensinamentos de Jesus. Ele acalma seus discípulos, dizendo que o Pai os conhecem porque eles o conhecem, Ele o Pai são um, e que o Pai está preparando moradas celestiais para aqueles que o obedecem seus mandamentos e os guardam no coração.

Mas diz que antes disso será enviado a eles o Consolador, o Espírito da verdade que o mundo não pode receber.

Hoje ele está aí, ao seu lado, inspirando você a ler esses estudos, ministrando ao seu coração, constrangendo e convencendo-o do seu pecado, de suas falhas, atraindo você para um relacionamento de amor e transparência com Deus e Jesus, então creia somente, sinta somente, ele flui como um rio de águas vivas de dentro de você!

Jesus está assentado a direita de Deus Pai, mas agindo através do Espírito Santo que enviou, mas também vimos que é chegada a hora de seu sofrimento, o motivo, o propósito de seu nascimento, a redenção do mundo, que começara no Getsêmani. Hosana!

João 14 estudo.

Sobre o Autor

Olá, me chamo Lázaro Correia, sou Cristão, formado em Teologia e apaixonado pela Bíblia. Aqui no Blog você vai encontrar diversos estudos Bíblicos e muito conteúdo sobre vida Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *